4 de fev de 2018

CORINTHIANS 04/02/2018








FICHA TÉCNICA
novor 0 X 1 CORINTHIANS

Paulistão 2018- 5ª rodada
Local: Jorge Ismael de Biasi, Novo Horizonte
Data-Hora: 4/2/2018 - 19h30
arb: Vinicius Gonçalves Dias Araújo, Miguel Cataneo da Costa e Vitor Carmona Metestaine
Público/renda: 8.914 pagantes/Não disponível 

Cartões amarelos: Alisson Safira e Tony (NOV), Fagner (COR)
Cartões vermelhos: -
Gols: Pedro Henrique (40'/1ºT) (0-1)

novor :12 Oliveira; 2Tony, 3Fábio Ferreira,4 Éder e 6 Lucas;5 Adílson Goiano, 8Jean Patrick e 10 Jean Carlos (23 Cléo Silva, aos 11'/2ºT);11 Everton, 7Juninho (20Rafael Ratão, aos 18'/2ºT) e 9Magno Alves (22Alisson Safira, aos 25'/2ºT). Técnico: Doriva.+1Macanhan 13 Hayner 14Guilherme  18Jonatan Lima 16Thallyson 15Gilberto 21Francis 17Tiago Costa 19Valdeir          



CORINTHIANS: 12- Cássio; 23- Fagner, 4-Balbuena, 34- Pedro Henrique e 6-Juninho Capixaba; 5-Gabriel;  26- Rodriguinho, 10- Jadson (29-Camacho, aos 39'/2ºT), 11- Romero (31- Marquinhos Gabriel, aos 26'/2ºT)  e 25- Clayson (47-Emerson Sheik, aos 21'/2ºT); 19- Júnior Dutra. Técnico: Fábio Carille. + 1-Caíque, 33-Yago, 14-Léo, 16-Mantuan, 8-Maycon, 22-Mateus Vital, 20-Danilo, 18-Kazim, 30-Lucca  

















Após 4ª vitória do Timão, meia Rodriguinho diz: “Vamos trabalhar para minimizar os erros”
Meio campista do Timão falou à imprensa após vitória, por 1 a 0, sobre o Novorizontino e comentou o desempenho da equipe - 04/02/2018





© Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Na noite deste domingo (04), o Corinthians superou o Novorizontino, por 1 a 0, em Novo Horizonte-SP, e encaminhou sua quarta vitória consecutiva no Campeonato Paulista. Pedro Henrique anotou o único gol da partida de cabeça.

Após o fim do jogo, Rodriguinho falou à imprensa na saída dos vestiários. Questionado sobre a forma física dos jogadores, o meia explicou. “Isso é fruto do pouco tempo de pré-temporada que temos. Acabamos sentindo nos jogos. Os times do interior tem um tempo maior de preparação mas como eu falei antes é o resultado. Temos tranquilidade para trabalhar e as coisas vão melhorando ao longo do ano”

Apesar do resultado positivo, o Timão não teve seu melhor desempenho. Além do treinador Fábio Carille, o meio-campista também reconhece as falhas do Alvinegro. “Eu concordo com o Carille. Tecnicamente não foi nossa melhor partida, erramos muitos passes simples. Não conseguimos manter a posse de bola e em certos momentos do jogo tomamos decisões erradas. Vamos trabalhar para minimizar os erros e na próxima partida ser melhor ainda”.








Atuações do Corinthians em 4ª vitória no paulistão: Jadson ajuda a decidir, e Sheik faz reestreia

Camisa 10 dá assistência na vitória corinthiana por 1 a 0 sobre o Novorizontino; atacante entra no segundo tempo

Por Diego Ribeiro

04/02/2018 21h21
Jadson: cada vez mais perto daquele meia que encantou o Corinthians em 2015, ele voltou a contribuir de maneira decisiva. Em cobrança de falta, colocou a bola na cabeça de Pedro Henrique e viu o zagueiro fazer o gol da vitória corintiana. Jadson é o maior beneficiado pelo 4-1-4-1 implantado por Carille em 2018. Nota: 7


Pedro Henrique
Além do gol, foi bem nas disputas com os atacantes do Novorizontino. Foi bem na cobertura dos laterais e jogadas aéreas defensivas. Promete dar trabalho a seu quase xará, Henrique, na disputa por uma vaga ao lado de Balbuena. Nota: 7


Júnior Dutra
Substituto de Kazim, mostrou maior mobilidade que o antecessor, abriu espaços na área para a chegada dos meias e buscou a bola para arrancar em velocidade. Faltou finalizar com maior precisão. Nota: 6


Emerson Sheik
Natural que ainda esteja abaixo da média. Aos 39 anos e em sua primeira partida no retorno ao clube, entrou aos 21 minutos do segundo tempo, jogou aberto pelo lado esquerdo e correu muito. Mostrou, ao menos, disposição para ajudar o Corinthians no curto período que terá de contrato (cinco meses). Nota: 6



Rodriguinho, do Corinthians, teve atuação nota 6 diante do Novorizontino (Foto: Célio Messias / Agência Estado)


Veja as notas dos jogadores do Corinthians:


Cássio [GOL]: 6
Fagner [LAD]: 6
Balbuena [ZAG]: 6,5
Pedro Henrique [ZAG]: 7
Juninho Capixaba [LAE]: 6
Gabriel [VOL]: 6,5
Rodriguinho [MEC]: 6
Jadson [MEC]: 7
(Camacho [VOL]): sem nota
Romero [ATA]: 5,5
(Marquinhos Gabriel [MEC]): 6
Clayson [ATA]: 5,5
(Emerson Sheik [ATA]): 6
Júnior Dutra [ATA]: 6






Carille sobre planejamento com Andrés no Corinthians: "Primeiro tenho que ouvir"

Técnico ainda não teve nem tempo para uma conversa sobre reforços com o novo presidente


Por GloboEsporte.com,

04/02/2018 21h55



Veja a entrevista do técnico do Corinthians, Fábio Carille, que venceu o Novorizontino

O Corinthians venceu seu 4º jogo seguido no Paulista, e foi sobre Novorizontino, fora de casa, por 1 a 0 , na noite deste domingo, pela quinta rodada do Campeonato Paulista.

Após o jogo, o técnico Fábio Carille disse que só conversou por mensagens com o novo presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, em sua segunda gestão no clube. E falou sobre o planejamento

– Primeiro tenho que ouvir. Se ele falar "neste momento, não" (vem mais reforço), eu estou muito tranquilo, vamos esperar mais um pouco. Estou muito satisfeito com este grupo de jogadores, podendo improvisar um pouco ali na frente, sem problema nenhum – disse Carille.

– Se puder vir é bom, todo técnico gosta de quanto mais (melhor). Mas primeiro quero saber dele até onde podemos ir – completou o  técnico do Corinthians, atual campeão paulista e brasileiro

Líder do Grupo A com 12 pontos, o Corinthians chegou a quatro vitórias consecutivas no Paulistão. Junior Dutra ficou no comando de ataque. A ideia de Carille é manter o jogador para a partida de sexta-feira, contra o Santo André, no ABC paulista.

– Junior fez o que a gente queria, é um jogador que tem de ter sequência e tenho certeza que vai crescer com o time. A gente não ficou muito com a bola, tomou umas decisões erradas, princpalmente em triangulação. Se a gente ficasse, nosso time é técnico e teria mais facilidade.

– Sabemos que temos melhorar, mas a vitória mostra que estamos no caminho certo.

Os jogadores que atuaram neste domingo ganham folga na segunda-feira. Na terça, a comissão técnica promove treino para todo elenco. Pela manhã, Andrés Sanchez falará com a imprensa.


 



Novo diretor diz que Corinthians não fará loucura na busca por um centroavante

Duílio Monteiro Alves afirma que o clube terá calma para fazer a contratação

Por GloboEsporte.com,
04/02/2018 22h15

Novo diretor de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves falou sobre a busca do Corinthians por um reforço para o ataque após a vitória da equipe por 1 a 0 contra o Novorizontino, em Novo Horizonte, na noite deste domingo, pela quinta rodada do Campeonato Paulista.

Ainda sem um nome definido, a diretoria deve se reunir com o técnico Fábio Carille e com o gerente de futebol Alessandro Nunes no início da semana para refinar a busca por uma contratação.


– Não existe um alvo, não existe um atleta específico, nenhuma negociação em andamento – disse Duílio.



Duílio Monteiro Alves é o novo diretor de futebol do Corinthians (Foto: reprodução)


Em entrevista coletiva, Carille disse que não exigirá do presidente Andrés Sanchez a chegada de um reforço, embora ficasse satisfeito com uma nova contratação. Numa primeira análise, Duílio acredita que a busca por um atacante será feita, mas com calma e cuidado.

– De fora, até como torcedor, de estar acompanhando de perto, a posição que se fala é a de centroavante, mas não tem no mercado. Não é uma urgência que vamos sair fazendo loucura. O Corinthians é grande, não á fácil jogar aqui, vamos ficar de olho em oportunidades de mercado. Em alguém que atenda o que o treinador quer – disse o diretor.


Duílio foi perguntado ainda sobre a situação do ex-lateral-direito Alessandro, que hoje ocupa o cargo de gerente de futebol. Durante a campanha, Andrés fez elogios ao desempenho do profissional, mas disse que ele só seguiria no clube caso "se enquadrasse" em seu estilo.

– Vamos sentar para avaliar o trabalho de todo mundo, não dá para prever nada. É esperar, ter calma, hoje não existe nada de sair um e entrar outro. Vamos chegar ainda. Cada pessoa tem uma forma de trabalhar, o Andrés tem a dele, eu a minha. Vamos trabalhar para o Corinthians seguir conquistando títulos – disse Duílio.




Novo diretor de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves fala em Novorizonte
 








Emerson reestreia com vitória pelo Corinthians e diz que condicionamento virá com o tempo

Atacante jogou cerca de 30 minutos na vitória do Timão por 1 a 0 contra o Novorizontino

Por GloboEsporte.com

04/02/2018 21h32
Emerson Sheik teve atuação tímida em sua reestreia pelo Corinthians, na noite deste domingo, em Novo Horizonte, em partida que o Timão venceu o Novorizontino por 1 a 0

Em campo para os cerca de 30 minutos finais do jogo, o jogador de 39 anos ocupou a faixa esquerda do campo, buscou o jogo, mas não conseguiu nenhuma grande jogada de efeito.



Emerson Sheik comenta retorno ao Corinthians e vitória sobre novor

Na saída de campo, disse que precisará de tempo para estar no melhor da parte física.


– Foram dois meses sem jogar, agora alguns minutos. Esse condicionamento vem com jogos, com essas entradas. Sou um cara privilegiado na parte física, segundo os que entendem. Cheguei, treinei, meus testes foram bons, e estou me sentindo bem. Agora é ritmo, quem entende sabe como funciona. É jogar e condicionar dentro de campo o mais rápido – afirmou o jogador.

Emerson Sheik Corinthians (Foto: reprodução)



Técnico do Timão, Fábio Carille explicou o que pensou com a entrada do veterano.


– Sei que falta muito, não só para ele, mas para a maioria. O jogo mostrou que ele poderia jogar aberto, o Tony não estava descendo mais. Coloquei mesmo não estado 100%. Vai pegar condicionamento com os jogos – explicou.

Dono da camisa 47, que faz referência ao dia 4 de julho (mês sete) de 2012, data da conquista da Libertadores, o atacante falou ainda do prazer de poder retornar ao clube após duas temporadas e meia longe.
– A história ultrapassa a condição de conquistas, troféus, títulos, jogos importantes. Para mim é motivo de muita alegria, gosto daqui, amo esse clube, sou um carioca que chegou em São Paulo e que se apaixonou por um clube. Isso ultrapassa títulos, dinheiro, salário, essas coisas. Realizo mais um sonho de voltar para o lugar que fui e sou feliz – destacou.








Emerson Sheik festeja reestreia pelo Timão: 'Muita alegria, porque amo o clube'

Atacante reestreou pelo Corinthians neste sábado, ao entrar aos 21 minutos do segundo tempo da vitória por 1 a 0 sobre o Novorizontino, pela quinta rodada do Paulistão

Corinthians venceu o Novorizontino
(Foto: Celio Messias)


Corinthians venceu o Novorizontino
CELIO MESSIAS


Emerson Sheik reestreou pelo Corinthians neste sábado, ao entrar aos 21 minutos do segundo tempo da vitória por 1 a 0 sobre o Novorizontino, pela quinta rodada do Paulistão. Após a partida, o atacante comemorou e voltou a se declarar ao Timão. O último jogo dele pelo clube havia sido em 24 de maio de 2015, no empate sem gols com o Fluminense, pelo Brasileirão.

- A história ultrapassa a condição de conquistas, troféus, títulos e jogos importantes. Para mim é um motivo de muita alegria, porque eu gosto daqui, amo esse clube. Carioca que chegou em São Paulo e se apaixonou por um clube. Estou realizando mais um sonho de voltar a um lugar que fui e sou feliz - disse Sheik.

Aos 39 anos, Sheik não atuava desde o dia 8 de novembro do ano passado. Ele iniciou sua preparação no Corinthians no dia 16 de janeiro, passou a treinar normalmente com o elenco no dia 20 e disse ser privilegiado fisicamente.

- Dois meses sem jogar, agora alguns minutos. Esse condicionamento vem com os jogos. Sou um cara privilegiado, segundo os que entendem da parte física. Cheguei, treinei, os testes foram bons. Agora é ritmo. Quem entende de futebol sabe como funciona - afirmou Sheik.

O técnico Fábio Carille analisou a reestreia do atacante, que atuou aberto pelo lado esquerdo, como vem sendo nos treinos no CT Joaquim Grava.

- Sei que falta muito, não só para ele (Sheik), como para a maioria. O jogo me mostrou que ele poderia jogar aberto. O Tony (lateral-direito do Novorizontino) não estava mais descendo naquela parte do jogo. Por isso que coloquei o Sheik aberto - declarou Carille.

Emerson Sheik utiliza agora a camisa 47, em referência à data do Corinthians campeão da Libertadores da América de 2012: 4 de julho (4/7/12). Na ocasião, ele fez dois gols na final sobre o Boca Juniors (ARG).


Atual campeão brasileiro e campeão paulista, Corinthians não tem pressa por reforços
Carille não cobra Andrés por reforços, e novo diretor descarta ter urgência

Treinador preferiu não fazer exigências para posições carente e manteve discurso de utilizar o elenco que possui, já Duílio Monteiro Alves revelou não ter pressa no mercado
Veja, na galeria, imagens de Novorizontino 0x1 Corinthians
(Foto: Gero Rodrigues/Ofotografico)


Novorizontino 0x1 Corinthians
Thiago Calil/AGIF

Novorizontino 0x1 Corinthians
(Foto: Fernando Calzzani/Photopress)

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
Thiago Calil/AGIF

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS


LANCE!
04/02/2018
22:41

A vitória do Corinthians sobre o Novorizontino por 1 a 0 foi a quarta seguida, e o gol de Pedro Henrique foi suficiente para conquistar os três pontos e manter a tranquilidade no clube, tanto é que o técnico Fábio Carille apenas parabenizou os novos mandatários do clube

- Não conversei ainda, Duilio chegou depois do almoço, não deu tempo de conversarmos ainda. Amanhã é folga para este pessoal que viajou pra cá, provavelmente na terça começamos algo. Com Andrés só (conversei por) mensagem, parabenizando por ter ganhado a eleição, mas nada de mais até agora, até porque é dia de jogo, prefiro ficar voltado para o jogo e não falar sobre outras coisas - relatou o comandante, que disse esperar a conversa com a diretoria antes de fazer pedidos:

- Primeiro tenho que ouvir. Se ele falar "neste momento, não" (vem mais reforço), eu estou muito tranquilo, vamos esperar mais um pouco. Estou muito satisfeito com este grupo de jogadores, podendo improvisar um pouco ali na frente, sem problema nenhum - completou.

Embora tenha evitado fazer alguma exigência em relação a novos jogadores e repetido que pretende esperar o contato de Andrés e Duílio, Carille não negou que a vinda de reforços é algo que agrada a qualquer treinador.

- Se puder vir é bom, todo técnico gosta de quanto mais (melhor). Mas primeiro quero saber dele até onde podemos ir - concluiu.

Ainda que as conversas não tenham começado, as partes parecem em perfeita sintonia. Após a partida, Duílio aparece para dar as suas primeiras palavras como diretor de futebol neste mandato de Andrés e disse não ter pressa para buscar reforços no mercado.

- Não existe um alvo, um atleta específico. Sobre posição, de fora, falando até como torcedor, a posição que se fala é só centroavante. Mas não é uma urgência e não vamos fazer loucura. O Corinthians é um clube muito grande, não é fácil jogar no Corinthians. Vamos ficar de olho no mercado - afirmou.

Duílio também optou por enaltecer o elenco do Corinthians, que vem de conquistas na temporada passada e, em sua visão, não necessita de tantas mudanças, tampouco de um prazo para agir nas negociações.

- É muito cedo para falar. Temos um grande time, é o atual campeão paulista e atual campeão brasileiro. Não tem urgência. Vamos trabalhar para melhorar o elenco, mas não tem urgência. Não há um prazo - finalizou. 



















Estatísticas de Novorizontino 0x1 CORINTHIANS 

4 DE FEVEREIRO DE 2018 ÀS 20:27





Pedro Henrique fez o gol da vitória corinthiana (Foto: Thiago Calil/AGIF)

NÚMEROS GERAIS DE novor 0X1 CORINTHIANS:
– Dados Footstats

Posse de bola do Corinthians: 48%
Finalizações certas do Corinthians: 2
Finalizações erradas do Corinthians: 4
Cruzamentos certos do Corinthians: 6
Cruzamentos errados do Corinthians: 13
Passes certos do Corinthians: 355
Passes errados do Corinthians: 37
Lançamentos certos do Corinthians: 13
Lançamentos errados do Corinthians: 21
Desarmes certos do Corinthians: 19
Faltas cometidas pelo Corinthians: 14 



















Corinthians vence e tem mais
#TrêsPontosNaConta
Em Novo Horizonte, interior paulista, Timão vence por 1 a 0 – com gol de cabeça de Pedro Henrique – e engata quarta vitória consecutiva no Paulistão

 - 04/02/2018





© Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Na noite deste domingo (04), o Corinthians venceu o Novorizontino por 1 a 0 no Estádio Jorge Ismael de Biasi em Novo Horizonte-SP. Pela quinta rodada do Campeonato Paulista, Pedro Henrique anotou o único gol da partida e garantiu a quarta vitória consecutiva do Alvinegro.

Timão em campo: O treinador Fábio Carille enviou a campo Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique, Juninho Capixaba; Gabriel; Clayson, Rodriguinho, Jadson, Romero; Júnior Dutra. Entre os suplentes, tinha à sua disposição Caíque França; Yago, Léo Santos; Maycon, Camacho; Mateus Vital, Marquinhos Gabriel, Danilo; Lucca e Kazim.

Pedro Henrique abre o placar: Encaminhava-se um empate para o intervalo. A única oportunidade clara do Timão havia sido com Rodriguinho em boa jogada, mas o meio campista chutou por cima. Aos 40 minutos de jogo, em falta a favor do Alvinegro no meio do campo, Jadson cruzou e o defensor Pedro Henrique subiu de cabeça para abrir o placar.

Segunda etapa: Na frente, a equipe comandada por Fábio Carille soube manter a vantagem. Jogando com a bola nos pés, manteve a posse de bola mas sem criar grandes oportunidades. Na defesa, as linhas do Timão mantiveram-se bem posicionadas e o goleiro Cássio não teve trabalho embaixo da trave.

Substituições do Alvinegro: Aos 27 minutos, Clayson saiu e deu lugar a Emerson Sheik. Mais tarde na segunda etapa, Marquinhos Gabriel e Camacho também entraram no lugar de Romero e Jadson, respectivamente.

Próximo confronto: Pela sexta rodada do Campeonato Paulista, o Corinthians visita o Santo André, na próxima sexta-feira (09), às 19h, no Estádio Bruno José Daniel, em Santo André-SP.






Corinthians vence 4ª seguida

Corinthians venceu por 1 a 0, com gol de cabeça de Pedro Henrique, e disparou na liderança do Grupo A

Novorizontino 0x1 Corinthians
Thiago Calil/AGIF
  

Novorizontino 0x1 Corinthians
(Foto: Fernando Calzzani/Photopress)

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS
   
Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
Thiago Calil/AGIF

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS

Novorizontino 0x1 Corinthians
CELIO MESSIAS



Guilherme Amaro
04/02/2018
21:22


O Corinthians venceu o Novorizontino por 1 a 0 na noite deste domingo, no estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte. Eficiente e seguro como nos títulos de 2017, o Timão chegou a 12 pontos no Paulistão e aumentou a vantagem na liderança do Grupo A para cinco pontos


A primeira boa jogada trabalhada do Corinthians foi só aos 26 minutos, quando o lance terminou em finalização por cima de Rodriguinho.
  Aos 31, Jadson levantou para Romero, que deixou Rodriguinho livre na área, mas o meia chutou por cima. Aos 35, Romero lançou Júnior Dutra, que disparou e finalizou mal, em cima do goleiro.

Pedro Henrique fez boa partida e marcou de cabeça após cobrança de falta de Jadson, aos 40 minutos.

Aos 21 minutos do segundo tempo, Emerson Sheik fez sua reestreia pelo Corinthians ao substituir Clayson.  Ele  atuou aberto e participou de algumas jogadas, mas sem perigo.
Júnior Dutra  abriu espaços para os companheiros aparecerem, principalmente Rodriguinho. Ele também deu mais mobilidade ao ataque, como queria Carille. O jogador levou perigo de cabeça no início da partida e perdeu boa chance ainda no primeiro tempo..

Segundo tempo, o Corinthians só administrou.
 
















Sem sustos, Corinthians vence Novorizontino e dispara no Grupo A do Paulistão
Gol de Pedro Henrique, no primeiro tempo, é suficiente para garantir vitória por 1 a 0 – quarto triunfo seguido; Sheik reestreia pelo Timão






40' 1º








11' 1º TEMPOLance Importante





RESUMÃO
O JOGO

Sem sustos, o Corinthians emendou sua quarta vitória seguida no Paulistão ao bater o Novorizontino por 1 a 0, neste domingo, no interior paulista, e deu mais um passo para a classificação no torneio estadual. O Timão de 2018 mostrou consistência mais uma vez sob comando de Fábio Carille.










Corinthians joga 5ª rodada do Paulistão, sendo primeiro jogo longe do Pacaembu

o Corinthians encara neste domingo, às 19h30 (de Brasília), no estádio Doutor Jorge Ismael de Biasi, o Novorizontino, fora de casa. Líder absoluto do Grupo A, com nove pontos, a equipe do técnico Fábio Carille deverá entrar em campo com poucas mudanças em relação aos últimos jogos. A única dúvida foi resolvida no trabalho de sábado, quando Júnior Dutra ganhou a disputa com Kazim.

Pelos treinamentos que os jornalistas puderam acompanhar nesta semana, Fábio Carille ainda seguia em dúvida em relação a quem será o centroavante de sua equipe. Na última quinta-feira, o treinador revezou Júnior Dutra e Kazim na vaga. Já na sexta o mistério seguiu, uma vez que o grupo não realizou trabalhos táticos envolvendo o setor ofensivo.Corinthians espera voltar para casa com mais uma vitória na bagagem (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

Tendo como uma de suas premissas a manutenção dos pilares da equipe, Carille mais uma vez não deverá ousar, apostando no 4-1-4-1 que, assim como no ano passado, vem dando resultados na atual temporada. Já no banco de reservas o treinador deixou de lado seu lado conservador e tratou de incluir Emerson Sheik entre os relacionados mesmo com pouco tempo de trabalho do experiente atleta.


FICHA TÉCNICA
nov X CORINTHIANS
Paulistão 2018 5ª rodada
Local: Estádio Doutor Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte 
Data: 4 de fevereiro de 2018, domingo
Horário: 19h30 (de Brasília)
arb: Vinícius Gonçalves Dias Araújo, Miguel Ribeiro da Costa e Vitor Carmona Metestaine

novor: Oliveira; Tony, Fábio Ferreira, Éder e Tallyson; Lucas, Adilson Goiano, Jean Carlos e Everton; Alisson Safira e Juninho Técnico: Doriva

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique e Juninho Capixaba; Gabriel; Rodriguinho, Romero, Jadson e Clayson; Júnior Dutra Técnico: Fábio Carille













Corinthians parabeniza Basílio
Parabéns, Basílio!
Um dos maiores ídolos da história do clube completa 69 anos neste domingo (04)


04/02/2018


Um dos maiores ídolos da história do Corinthians comemora 69 anos de idade neste domingo (04): Basílio, o “Pé de Anjo”. O ex-jogador ficou marcado por fazer o gol que tirou o Timão do jejum de títulos, que já durava mais de 22 anos, na vitória por 1 a 0 sobre a Ponte Preta no Campeonato Paulista de 1977, fato que completou 40 anos em 2017.



Eternizado pela imagem na qual corre em direção à massa alvinegra com sua camisa 8, Basílio atuou no clube entre 1975 e 1981, em 253 partidas, além de ter marcado 29 gols. Conquistou ainda o Paulista de 1979 e anos mais tarde viria a ser técnico do Alvinegro em 1987, 1989, 1990 e 1992.

O Sport Club Corinthians Paulista e o Bando de Loucos parabenizam um de seus grandes heróis pelo seu 69º aniversário. Responsável por encerrar o jejum mais doloroso de nossa história, o Pé de Anjo Basílio até hoje é relembrado pelo inesquecível gol contra a Ponte Preta, que deu o título paulista de 1977 ao Timão.

Você encontra esta e outras informações no aplicativo oficial Almanaque do Timão e no aplicativo oficial do Sport Club Corinthians Paulista, ambos disponíveis em sistemas iOS, na Apple Store, e Android, na Google Play Store.















Como pai e filho: juntos, integrando muitos títulos do Corinthians, Mauri e Cássio atingem nova marca

Goleiro e preparador chegam a 326 jogos juntos e integraram sete títulos do Corinthians


Por Marcelo Braga

04/02/2018 08h58

O jogo de hoje do Timão contra Novorizontino, domingo, às 19h30 (de Brasília), colocará Cássio um degrau acima na história do Corinthians. 

Com 326 jogos, o camisa 12 se igualará a Cabeção como o terceiro goleiro com mais jogos pelo clube. Gilmar, com 395, e Ronaldo, com 602, ainda aparecem acima no ranking da posição. 

A marca, embora seja individual, coroa um trabalho coletivo. Preparador de goleiros do Corinthians há dez anos, Mauri Lima acompanha Cássio desde 2012. 

No período, viveram muitos momentos bons, mas também um de crise. Aconteceu em 2016, quando o goleiro foi sacado do time titular por Tite e desabafou publicamente contra a decisão de Mauri. 

Como numa relação de pai e filho, a bronca foi absorvida tempos depois e a confiança, assim, foi retomada: 

– No final de 2016 tivemos uma conversa que achei que foi importante demais. Falei para ele: “Nós perdemos um ano”. Foi um ano perdido – relata Mauri, sobre o ponto de mudança.

Para Cássio, o episódio foi importante para o seu amadurecimento. 

– Às vezes a gente não se dá conta de que vem errando. (...) Comecei a olhar para trás, vi o que tinha construído e não era possível que eu ia jogar tudo fora.  

Após uma conversa muito franca de 20 minutos com os dois, o GloboEsporte.com mostra como aconteceu a retomada da parceria que, para o Corinthians, já rendeu sete títulos. 



Mauri Lima e Cássio em treinamento no Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians) 


Confira a entrevista:

Globo.Esporte.com: Como é trabalhar com um goleiro que vem quebrando marcas no Corinthians?


Mauri: É de fundamental importância ter um profissional há tanto tempo no clube e que vai permanecer por tantos mais (renovou até o fim de 2021). Não é só quebrar marcas, é ficar marcado pelos títulos e pelo desempenho desde que chegou. Espero que ele chegue à marca de goleiro com o maior número de jogos pelo clube. Ele vai chegar. O maior goleiro da história do clube já é ele. Torcemos para que Deus dê saúde para que ele possa quebrar essa marca. 


Você sempre fala de Ronaldo com muito respeito. É realmente uma meta superar essa marca dele (602 jogos)? E o que faz de um goleiro ser histórico?


Cássio: A história do Ronaldo é muito bonita e serve como referência. Não é por dizer que quero bater a marca dele que quero tirar os méritos. É uma ambição, somos movidos a desafios. No final das contas, vamos nos tornar ídolos ou ficar marcados só no fim da carreira. Não me apego muito. Sei quantos títulos nós ganhamos, mas a gente sempre almeja mais. Não posso me acomodar porque já fui campeão da Libertadores e do Mundial. Tenho que sempre evoluir. Falamos de Ronaldo no Corinthians, mas pode pegar também a história do Marcos no Palmeiras e do Rogério Ceni no São Paulo. São grandes goleiros com grandes títulos e histórias bonitas. Espero ter a minha. 


Você falou em não se acomodar. O quanto Mauri te ajuda nesse desafio diário?

Cássio: Muito. Mauri desde que cheguei trabalha da mesma maneira, é minha sétima temporada. A gente conversa muito e uma das metas é fazer um ano melhor, o que exige muito trabalho e dedicação. Muitas vezes a gente está cansado de viagem, mas vai para o campo. Mauri me puxa, a gente se cobra, somos francos um com o outro. Depois que fui para o banco (em 2016) e voltei, ele foi de suma importância para meu crescimento como atleta e pessoa, para realçar minhas ambições. É importante ter um grande treinador de goleiros para crescer. Um treinador que te prepara bem faz a diferença na hora de pegar aquela bola no final do jogo ou que decide um título. 

 


Cássio voltou ao alto nível em 2017 após uma temporada difícil (Foto: Daniel Augusto Jr / Agência Corinthians) 


E qual o desafio de manter um goleiro em alto nível por tanto tempo?

Mauri: É não olhar para trás. Cada dia é um desafio novo, cada fim de campeonato é um desafio. Você tem que ter sua missão profissional. Cássio foi lembrado na seleção brasileira, é o ápice de qualquer profissional, e foi por mérito, por se empenhar da melhor forma em 2017, na hora que precisou ele estava ali. Hoje, para chegar na seleção não é só futebol, temos um treinador (Tite) que traz para si o lado do ser humano. Não desrespeitando os demais goleiros lembrados, mas esperamos que Cássio tenha essa oportunidade (de jogar a Copa). Para ter isso, é trabalho. Ele é uma referência para os outros goleiros. Teve um crescimento extracampo com os cuidados que hoje tem. Nesses dois anos, a forma física como chegou para a pré-temporada foi fundamental. 


De 2012 para cá, qual foi a maior evolução do Cássio?


Mauri: Pelo o que a gente conversa, e ele pode até confirmar, Cássio estava há muito tempo sem jogar na Holanda, estava só treinando, né Cassião? 


Cássio: Passeando... (risos)

Mauri: No início foi uma dificuldade. Chegou acima do peso e foi crescendo em relação aos demais quando chegou ao peso normal. A gente foi administrando. Era complicada a situação, tinha outros goleiros. Lembro que às vezes a gente conversava na sala e ele dizia: “Poxa, o homem (Tite) não dá moral, nem olha para mim”. Eu pedia calma. E comecei a brigar por isso, pelo merecimento dele. Quando não era convocado para um jogo, a gente trabalhava de manhã, ele ficava chateado, puto. Falei: “Tite, vamos começar a levar para o banco, por favor, vamos colocar para jogar uma no Paulistão”. Ele jogou contra o XV de Piracicaba. Eu dizia: “Calma, Gigante, vai chegar a hora”. Foi numa insistência. Às vezes o Tite levava para o banco e depois ficava uns dois ou três jogos sem levar, e eu pedia de novo. 



De tanto insistir, Tite começou a acreditar. Uma hora, atletas e parte da comissão também perceberam: “Cássio está voando”. Por isso, não titubeamos depois do problema que tivemos no jogo contra a Ponte Preta (no Paulistão, quando Julio Cesar falhou) de colocá-lo contra o Emelec (na Libertadores). Tite me chamou, disse que estava preocupado, perguntou o que fazer e eu falei: “Coloca o Cássio”. No outro dia, ele decidiu por isso. Quando fomos para Equador, sabíamos que seria muita bola na área e ele se destacou. Aquele jogo foi o ponto fundamental para ele. 


Valeu a pena ter paciência, né Cássio?

Cássio: Valeu! É difícil para um jogador ter paciência. No meu caso, era um pouco pelo tempo que fiquei na Holanda, para mim foi muito frustrante. Saí do Grêmio com um projeto e me dediquei, mas não joguei tanto. O treinador que me pediu (no PSV Eindhoven) saiu e não tive chance. Quando cheguei no Corinthians, comecei a treinar, mas não ia para os jogos. Eu tinha 24 anos. Você fica: “Será que fiz a escolha certa? Será que vou ser jogador mesmo?”. Mas nunca deixei de trabalhar. Julio Cesar merece só elogios. Depois, quando assumi, ele e Danilo Fernandes foram sensacionais comigo. Mas era assim, goleiro é só um que joga. Quando apareceu a chance, eu estava preparado. 


O ano de 2016 foi difícil para você, que saiu do time e deu aquela entrevista que gerou um embaraço com Mauri. Como foi o processo de retomada de confiança de vocês?

Cássio: Fui muito infeliz e me desculpei com o Mauri depois da entrevista. É o serviço de vocês da imprensa pegar o cara de cabeça quente (risos), irritado...Mas eu entendo. Fui na empolgação, estava frustrado, era recente o que aconteceu. A gente conversou bastante, teve um dia que sentamos numa sala, conversamos e projetamos pontos que eu tinha que evoluir. Acho que dali foram só coisas positivas para mim. Mesmo quando tivemos o problema, Mauri sempre foi muito profissional e me treinou da mesma maneira. Foi um momento difícil, mas que eu tinha que passar e aprender com aquilo. A partir das escolhas que fiz, hoje colho os frutos. Às vezes a gente não se dá conta de que vem errando. Foi o que Mauri me falou naquele momento. A gente pensa: “Ele está de sacanagem comigo”. Mas uma hora vi que ele estava certo, que eu tinha que escutar, que eu tinha que melhorar e foi o que aconteceu. 


Comecei a olhar para trás, vi o que tinha construído e não era possível que eu ia jogar tudo fora. Acho que foi o momento que o Walter vinha muito bem e, não desrespeitando o trabalho dele, que é um profissional de excelência, mas eu dei chance de ele pegar minha posição, eu dei a oportunidade, eu não me preparei bem. Levo tudo isso como um aprendizado, graças a Deus que aconteceu, percebi que eu estava mal e que tinha que rever o que eu estava fazendo com minha carreira e com minha vida pessoal. Consegui dar a volta por cima. A gente vê muitos jogadores que passam pela mesma coisa e depois não conseguem dar a volta. E de uma carreira legal, ela só afunda. Foi uma conversa franca, "vamos retomar" e a gente se ajudou. Consegui com ajuda do Mauri e da minha família. Ficou para trás, acho que a gente voltou mais forte do que era. 


Queria te ouvir também sobre isso. Foi uma coisa de pai e filho, em que o filho só entende a bronca depois?

Mauri: Tite tinha conversado comigo em 2016: “Temos de fazer alguma coisa, senão a gente vai perder o profissional e a carreira”. Conversamos, mas às vezes o atleta não escuta porque é como ele falou, ele pensa: “Está de sacanagem comigo”. Mas não é. A gente sabe o que ele pode dar, o que pode render e naquele momento não estava sendo assim. Eu também errei, podia ter falado alguma coisa diferente, agido de outra forma. No final de 2016 tivemos uma conversa que achei que foi importante demais. Falei para ele: “Nós perdemos um ano”. Foi um ano perdido. 


No início de 2017, quando sentamos no campinho dos goleiros, olhamos o passado e falamos: “O presente tem de ser assim. Vamos voltar porque você pode chegar onde sempre sonhou”. Buscar títulos e chegar à Seleção. Ele acreditou nele e chegamos onde queríamos. Aquele início de 2017 foi importante. E ele passou a falar: “Não me deixa cair. Se tiver de cobrar, me cobra”. É uma sintonia. Aquilo foi importante para mim como experiência, para ver que cada um tem seu temperamento, ajudou no meu crescimento profissional, para saber tratar às vezes de uma forma diferente. E não ficou uma mágoa. Se você guarda mágoa no coração, você não rende.