13 de out de 2017

CORINTHIANS 13/10/2017



Corinthians formaliza prorrogação contratual com técnico Fábio Carille por mais dois anos, até o fim de 2019
​O Corinthians anunciou a renovação de contrato do técnico Fábio Carille há cerca de um mês. No entanto, o novo vínculo - válido até 2019 - só foi formalizado nesta sexta-feira (13).

Pelo acordo acertado, ficou previsto também a possibilidade de extensão de mais um ano do contrato, fazendo assim o vínculo ser até 2020.

Em sua primeira temporada como técnico, Fábio Carille - que foi por 8 anos (desde 2009) auxiliar do Corinthians - conseguiu a conquista do título paulista e é o líder isoladíssimo do Campeonato Brasileiro. No total, o treinador comandou a equipe em 57 partidas, com 32 vitórias, 20 empates e cinco tropeços







Cássio comemora rodada boa para Corinthians e mira duelo contra Bahia: "Pé no chão"
Combinação de resultados deixou o Timão com 10 pontos de vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro, mas goleiro alvinegro reiterou o discurso de jogo a jogo na briga pelo título

13h20 13/10/2017 - Agência Corinthians



Cássio defende bola em treino do Timão

© Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

O Corinthians terminou a 27ª rodada do Campeonato Brasileiro ainda mais líder da competição. Depois de superar o Coritiba por 3 a 1 na Arena Corinthians, na última quarta-feira (11), o Timão viu os adversários na briga pelo título tropeçarem e a distância para o vice-líder subir para 10 pontos. A combinação de resultados animou o goleiro Cássio. O camisa 12 comemorou, mas manteve os pés no chão para os próximos jogos.

"Ânimo temos de sobra, só de estar aqui no Corinthians e na briga por título. Primeiro pensamos na vitória, em nosso trabalho, depois vemos os resultados. Os resultados foram legais para nós nessa rodada, ganhamos em casa e aumentamos a distância. É pé no chão, jogo a jogo, temos um duelo bem difícil. Vimos um pouco do jogo do Bahia contra o Palmeiras, equipe bem qualificada", falou o arqueiro alvinegro, já mirando o próximo compromisso, a partida contra o Bahia na Arena Fonte Nova, em Salvador-BA, neste domingo (15), às 19h.

"Tem de pensar em ganhar o próximo jogo, pensar por etapas. Algumas pessoas já vêm falando em título, mas temos de ter os pés no chão e focar 100% na partida que nós temos", acrescentou Cássio, que prometeu estudar o adversário para não ser surpreendido durante os 90 minutos.

"Não olhamos se o adversário está lá embaixo ou em cima. Respeitamos todas as equipes, não é porque o Bahia está lá embaixo que vamos faltar com respeito. Jogo difícil, todos são. Muitas vezes, mesmo com nós fora de casa, a equipe mandante muda sua maneira de jogar. Vamos tentar ver os pontos fracos da equipe do Bahia e tomar cuidado para não sermos surpreendidos", analisou. 













Técnico do Corinthians volei relembra a conquista de 77: ''Minha primeira lembrança de Corinthians''

Corinthiano desde criança, Alexandre Stanzioni também falou sobre a festa da Fiel na comemoração: ''A gente comemorava, brincava e gritava''


18h00 13/10/2017 - Agência Corinthians






© Arquivo Placar


O dia 13 de outubro é uma das datas mais simbólicas do torcedor corinthiano. Foi neste dia que o Corinthians encerrou um período de quase 23 anos sem títulos. Com gol de Basílio aos 36 minutos do segundo tempo, o Timão venceu a Ponte Preta por 1 a 0 no terceiro jogo da final e conquistou o Campeonato Paulista daquele ano. Com cinco anos à época e corinthiano desde criança, o treinador do Corinthians-Guarulhos, Alexandre Stanzioni, relembrou os momentos que teve com a família naquele título.

“Eu lembro bastante da festa. Eu era pequeno, cerca de cinco anos, aí a gente tinha um pouco de gente lá em casa, uns amigos. Então eu tive vários flashes de algumas coisas assim com meu pai e torcida, que vinha de uma fila de muitos anos sem ganhar. Eu lembro também um pouquinho de meu pai ter ido à semifinal de 1976, lá no Maracanã. Minha primeira lembrança de Corinthians é dessa época, de 76 e 77. Eu lembro também muito da festa que foi, porque eram muitos anos sem ganhar, então isso tudo ficou marcado. Então, minha primeira lembrança assim como corinthiano foi essa do título Paulista”, comentou Alexandre Stanzioni

O técnico corinthiano também comentou sobre a festa que os torcedores e os próprios familiares fizeram com a conquista do título de 1977. Alexandre definiu o título como um alívio para a torcida alvinegra.

“Era um alívio, né? Pelo que eu vi, e pude entender, porque na época a gente não entendia nada. A gente comemorava, brincava e gritava. Então era uma coisa legal porque eu lembro muito da forma como foi comemorado o gol. Porque foi um gol chorado. Depois que a gente foi entender. Obviamente na época a gente só gritava, pulava, mas eu lembro meu pai ali, que era corinthiano doente. Então essa lembrança da comemoração daquele dia que tirou o pessoal da fila parece que foi uma libertação, assim como foi o da Libertadores”, explicou.









Corinthians vende ingressos para estreia na Superliga de Vôlei no Parque São Jorge e na internet

O Corinthians-Guarulhos encara o tetracampeão Sada Cruzeiro no Ginásio Poliesportivo Wlamir Marques pela primeira rodada da competição nacional

15h05 13/10/2017 - Agência Corinthians





Nicolas Ornellas/Corinthians-Guarulhos

O Ginásio Poliesportivo Wlamir Marques será o palco da estreia do Corinthians-Guarulhos na Superliga Masculina de Vôlei. O Timão encara o Sada Cruzeiro, atual tetracampeão da competição, neste sábado (14), às 20h. Os ingressos estão à venda no Parque São Jorge e na internet.

Na sede social do clube, a compra pode ser feita no Controle de Acesso, localizada na galeria central, das 15h30 às 18h desta sexta-feira (13) e das 8h às 18h no sábado (14).

Na internet, os ingressos podem ser adquiridos pelo endereço www.omniticket.com.br As entradas custarão R$ 20, com meia a R$ 10. Será permitida no máximo a compra de cinco entradas por CPF.

Haverá também a venda de entradas para a Área VIP, ao custo de R$ 50, com serviço de buffet





Basílio lembra de contusão que quase o tirou de jogo do título paulista em 1977

Autor do gol histórico da quebra do tabu, o herói alvinegro teve uma contratura dias antes da decisão contra a Ponte Preta

13h10 13/10/2017 - Agência Corinthians



Nesta sexta-feira (13), o Corinthians celebra um dia emblemático na história do clube Há 40 anos, o Timão derrotava a Ponte Preta por 1 a 0 no jogo decisivo do Campeonato Paulista de 1977, era campeão paulista e encerrava um jejum de quase 23 anos sem títulos. O herói daquela noite foi Basílio, autor do gol da conquista, que por pouco não ficou fora da partida por conta de uma lesão. O eterno camisa 8 revelou a história no documentário #77Vive, produzido pela Corinthians TV.

“Na segunda-feira, nós treinamos, e foi aí que eu senti uma contratura. O Zé Maria também, mas nem por isso [Oswaldo Brandão] deixou a gente fora. Foi um tratamento intensivo todos os dias. Sem perna, sem braço, sem cabeça... Não sei se o juiz iria deixar, mas se pudesse entrar, eu entraria”, contou.

Apesar de todos os esforços, a situação não era boa. Isso porque Basílio sabia que quando fizesse o teste para entrar em campo, sentiria dores e seria vetado.

“Na véspera do jogo, estavam eu e o Zé Maria fazendo tratamento, e eu falei pra ele: ‘Zé, nem na foto a gente vai sair’. A gente teria de fazer um teste, e sabíamos que ele é sempre muito forte”, relembrou.

Para a sorte do jogador -- e também do Corinthians --, o técnico Oswaldo Brandão era supersticioso e uma “visão” do treinador acabou fazendo com que Basílio entrasse em campo.

“O Brandão teve um intuito passando que nós ganharíamos de 1 a 0 e de que eu faria o gol. Mas o mais importante foi quando ele falou que a gente não faria o teste. Ele deu a mensagem que a gente seria titular”, explicou o ex-jogador.






Corinthians domina adversárias e estreia com vitória na Libertadores Feminina

Mimi e Monique Peçanha garantiram os primeiros três pontos da equipe na competição sul-americana


16h05 13/10/2017 - Agência Corinthians




Timão superou as atuais campeãs da Copa Libertadores Feminina

© Corinthians


O Corinthians/Audax começou muito bem a sua caminhada na Copa Libertadores da América Feminina. Diante do Sportivo Limpeño, atuais campeãs continentais, as meninas alvinegras dominaram o jogo e venceram por 2 a 0. Mimi e Monique Peçanha foram as autoras dos gols.

Mostrando toda a sua força desde o primeiro minuto, o Timão assustou no começo com Raquel. A camisa 11, uma das estreantes da noite, recebeu passe em profundidade e, na saída da goleira adversária, acertou o travessão.

Criando chances em sequência, as corinthianas viam seu gol cada vez mais próximo, até que ele chegou ainda na primeira etapa. Após cobrança de falta de Daiane, Grazi desviou para o gol, acertando a trave. No rebote, Mimi completou arrematou, abrindo o placar.

Logo após as primeiras movimentações do segundo tempo, Monique Peçanha, na pequena área, desperdiçou belo passe de Kerolin. Porém, a camisa 5 iria se redimir poucos minutos depois. Após boa jogada pelo meio, mais uma vez a estreante Kerolin achou Monique Peçanha. Desta vez, a meio-campista invadiu a área e tocou na saída da goleira, fazendo o segundo e último gol do encontro.

Na partida, ainda houve tempo para um lance de grande habilidade de Byanca Brasil. Na lateral direita do ataque, a camisa 9 avançou com a bola dominada, aplicou uma linda lambreta na adversária e cruzou na cabeça de Raquel, que cabeceou para uma boa defesa da goleira paraguaia.

Com a vitória, o Corinthian/Audax divide a liderança do Grupo C com o Independiente Santa Fé. Os dois somaram três pontos em suas estreias, porém o saldo das colombianas é maior. Na próxima partida, que será disputada no sábado, as meninas do Timão enfrentam o Desportivo ITA, da Bolívia. O jogo acontece às 18h, no estádio La Arboleda.









 Corinthiano atacante Vitinho como titular, participa de vitória do Brasil sobre Níger que avança em primeiro às oitavas da Copa do Mundo Sub-17:

Jogador do Timão tomou uma pancada na cabeça e acabou substituído no fim do primeiro tempo; Brasil conhecerá adversário da próxima fase na manhã deste sábado (14)


16h00 13/10/2017 - Agência Corinthians


No fim da manhã desta sexta (13), o Brasil entrou em campo pela terceira rodada da primeira fase da Copa do Mundo Sub-17. A Seleção Brasileira venceu o Níger por 2 a 0, em Goa, na Índia, e carimbou sua classificação às oitavas de final na primeira colocação do Grupo D, com nove pontos conquistados – 100% de aproveitamento. Vitinho, do Corinthians, começou a partida como titular pela primeira vez neste mundial.

O camisa 18 do Brasil fazia um bom primeiro tempo – teve duas chances de gol –, mas precisou ser substituído, já nos acréscimos da etapa inicial, com dores após ter levado uma pancada na cabeça.

O Brasil conhecerá seu adversário neste sábado (14), com o término da rodada. Há uma grande possibilidade de Honduras ser o rival brasileiro. A partida está marcada para a próxima quarta (18), às 12h30 (horário de Brasília), em Cochim.





Corinthians campeão. Heróis do Paulistão de 77 celebram 40 anos do título

Homenageados, ex-jogadores dizem que fim do tabu abriu as portas para as glórias

Por Marcelo Braga

13/10/2017 16h18


Homenageados num evento na Megaloja do Parque São Jorge, na tarde desta sexta-feira, em que receberam réplicas da camisa usada na grande final e distribuiram autógrafos para vários fãs, alguns dos ex-jogadores opinaram sobre o tema.




Basílio, Wladimir, Vaguinho e Zé Maria recriam gol do título paulista do Corinthians de 77

VAGUINHO (ex-ponta)
– Foi a abertura. O último título que o Corinthians tinha ganho havia sido em 1954, com o próprio Oswaldo Brandão. E ele repetiu em 1977. O Corinthians começou a ganhar títulos ali. De 77 para frente ficou fácil. Nós fomos a chave, abrimos a porta. O Corinthians é o que é hoje graças a 77.









Vaguinho atendeu torcedores do Corinthians nesta sexta (Foto: Marcelo Braga)


GERALDÃO (ex-centroavante)

– Para mim, o título de 1977 é o maior de todos. O Corinthians dependia muito dele, quantos anos estava sem ser campeão de alguma coisa? Mais de 22 anos. Isso é muito tempo. Foi a maior satisfação tirar o Corinthians daquela agonia. Dali para cá, só deu Corinthians. Não parou mais.



Geraldão distribuiu autógrafos nesta sexta (Foto: Marcelo Braga)


ADEMIR GONÇALVES (ex-zagueiro)

– O título de 77, o de 90 (Brasileirão), os de 2012 (Libertadores e Mundial) são títulos marcantes. Mas se você analisar, naquele período que ganhamos, o Paulistão era o título mais disputado da época. Náo existia essa briga por Libertadores. Era o campeonato que todo mundo queria. E ficar quase 23 anos sem a conquista foi muito tempo. Sou suspeito, mas o título de 1977 é o maior de todos.
 



Ademir Gonçalves era zagueiro no Corinthians de 77 (Foto: Marcelo Braga)



ZÉ MARIA (ex-lateral-direito)


– Para mim, todos os títulos são importantes, mas 77 quebrou um período sem conquistas. Eu queria estar nesse Mundial de 2012, mas eu estava em 77 e quarenta anos depois estou sendo lembrado. Imagino que esse pessoal que participou disso, quando forem lembrados terão uma festa estrondosa.
 

 
Zé Maria exibe camisa comemorativa de 1977 (Foto: Marcelo Braga)

Autor do gol salvador, o que lhe rendeu o apelido de "Pé de Anjo", Basílio esteve na Arena Corinthians no início da tarde com participantes do tour do estádio. Hoje comentarista numa rádio paulistana, ele esteve presente na vitória do Timão por 3 a 1 diante do Coritiba, na quarta







Balbuena revela que Corinthians quer renovar por quatro anos

13 OUT2017
16h23


O Corinthians já está se movimentando para manter uma de suas principais peças no elenco. Com contrato até o final da próxima temporada, o paraguaio zagueiro Balbuena pode ter seu vínculo renovado com o Timão por mais quatro anos.

Em entrevista à rádio paraguaia ABC Cardinal , Balbuena admitiu que o Corinthians já conversou com ele sobre uma possível extensão de vínculo. "O pessoal do Corinthians se aproximou para renovar. À princípio, seriam quatro anos de renovação", declarou o defensor.
Balbuena chegou ao Corinthians no início de 2016 e se firmou como um dos principais jogadores do time. Titular absoluto na zaga, o paraguaio também já marcou sete gols pelo Timão.




















Vitinho, do Corinthians, sofre concussão cerebral leve e ficará sob observação

Atacante vai a hospital após deixar vitória da seleção sub-17 no 1º tempo e deve ficar fora das oitavas


Por Richard Souza
13/10/2017 14h52

A seleção brasileira que disputa o Mundial Sub-17 na Índia sofreu um susto nesta sexta-feira, na vitória sobre Niger que encerrou a participação da equipe de Carlos Amadeu na primeira fase. O atacante Vitinho teve que deixar a partida precocemente após receber uma pancada na nuca, foi ao hospital realizar uma tomografia e teve constatada uma concussão cerebral leve.

O atacante do Corinthians, que voltou para o estádio após realizar os exames, ficará agora sem treinar por alguns dias em observação. A tendência é que ele fique fora do jogo das oitavas de final, na próxima quarta-feira.

Pouco antes do Brasil chegar ao segundo gol, aos 34 minutos da primeira etapa, Vitinho sofreu uma pancada na nuca. Num primeiro momento não apresentou sintomas e voltou a campo. Só que ele se sentiu mal na sequência e deixou o gramado de maca aos 46 para dar lugar a Helio Junio. 











Jovem corinthiano meia atacante Vitinho, 17 anos, participou dos primeiros 45 minutos, da vitória da Seleção Brasileira sobre Níger por 2x0, pelo Mundial da categoria. Foi substituído pós bater a cabeça




















Goleiro do Timão, Cássio comemorou os resultados, mas dispensou a euforia. 

– Os resultados foram legais para nós nessa rodada, ganhamos em casa e aumentamos a distância. Mas é pé no chão, jogo a jogo, temos um duelo bem difícil. Vimos um pouco do jogo do Bahia, e é uma equipe bem qualificada – afirmou.
Ele também falou das críticas dos anti:
– Temos de ter uma autoavaliação sobre nosso trabalho. Não acho que a gente tenha caído de produção. Teve jogos (no primeiro turno) que fomos piores que o adversário e ganhamos. Tivemos desatenção em lances e momentos que não tínhamos normalmente. Levamos gols que normalmente não tomaríamos. Equipes fizeram um gol e se trancaram atrás. Temos só três derrotas no campeonato – destacou o goleiro. 





Cássio deu entrevista coletiva nesta sexta-feira (Foto: Marcelo Braga) 


– Pode se falar de desconfiança lá fora, mas o importante é que o Corinthians está firme, a desconfiança nunca chegou aqui. Sabíamos que uma hora iríamos perder (durante a sequência invicta). No momento, temos dez pontos na liderança e é uma vantagem bem legal – avaliou. 


O Timão volta a campo no domingo, às 19h, contra o Bahia, pela 28ª rodada.


Cássio relembra histórico título paulista de 77 do Corinthians: "Contra tudo e contra todos"

Goleiro do Corinthians falou sobre a conquista, que completa 40 anos nesta sexta-feira (13)


12h50 13/10/2017 - Agência Corinthians




Cássio relembrou a conquista histórica de 77

© Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians


Um dos títulos mais importantes do Corinthians completa 40 anos nesta sexta-feira (13)Em 13 de outubro de 1977, o Timão vencia a Ponte Preta por 1 a 0 e conquistava o Paulistão daquela temporada, após quse 23 anos. No Alvinegro desde 2012, o goleiro Cássio sabe quanto o título significa para a história do clube. Por isso, falou sobre a data e resumiu o momento em uma frase: “contra tudo e todos”.

"A gente sabe da história de 77, vê o Basílio [hoje funcionário do clube], está sempre aí. O Seu Miranda [funcionário com mais de 50 anos de Corinthians] que sabe melhor, pegou tudo quanto foi título. A gente vê vídeos, pessoal atravessando o campo, tudo. A paixão continua até hoje. Corinthians contra tudo e todos. Mostra a paixão, fidelidade, amor do corintiano. Foi uma marca que fez parte da história e evolução do Corinthians. Marca bem legal", afirmou o arqueiro alvinegro. 









Com pés no chão, goleiro Cássio comemora rodada favorável ao Corinthians, lider isoladissimo com 10 pontos de cantagem

Goleiro pede foco no próximo jogo, contra o Bahia, neste domingo, pela 28ª rodada




Cássio durante treinamento nesta sexta-feira (Foto: Marco Galvão/Fotoarena/Lancepress!)
LANCE!
13/10/2017
12:37


Um dos capitães do elenco do Corinthians, Cássio prefere não fazer contas pelo título brasileiro. Ao contrário do que fizeram o técnico Fábio Carille e o atacante Jô, que projetaram que mais cinco vitórias garantem o troféu, o goleiro ainda manteve o discurso de "ir jogo a jogo".

Cássio, porém, admitiu que a rodada foi favorável ao Corinthians e comemorou. Por outro lado, freiou a empolgação ao pedir pés no chão. Com o empate do Santos, o Timão voltou a abrir dez pontos de vantagem para o segundo colocado.

- Ânimo temos de sobra, só de estar aqui no Corinthians e na briga por título. Primeiro pensamos na vitória, em nosso trabalho, depois vemos os resultados. Os resultados foram legais para nós nessa rodada, ganhamos em casa e aumentamos a distância. É pé no chão, jogo a jogo, temos um duelo bem difícil. Vimos um pouco do jogo do Bahia, é uma equipe bem qualificada - disse Cássio, se referindo ao adversário do Timão neste domingo.

- Tem de pensar em ganhar o próximo jogo, pensar por etapas. Algumas pessoas já vêm falando em título, mas temos de ter os pés no chão e focar 100% na próxima partida - acrescentou o goleiro.


Com a vantagem de dez pontos faltando 11 jogos para o fim do Brasileirão, o Corinthians volta a entrar em campo neste domingo, às 19h, contra o Bahia, pela 28ª rodada. O último treino será realizado na manhã deste sábado, no CT Joaquim Grava, antes da viagem a Salvador










Corinthians faz treino de recuperação física e técnico Fábio Carille define time amanhã, mas imprensa especula voltas de zagueiro Pablo, lateral Fagner e atacante Romero

Do time ideal, apenas o volante Gabriel deve ser desfalque para o jogo contra o Bahia


Guilherme Amaro

13 OUT2017
12h21

O técnico Fábio Carille ainda não esboçou o Corinthians para o jogo contra o Bahia, domingo, às 19h, pela 28ª rodada do Brasileirão. Porém, a tendência é de que o treinador tenha apenas um desfalque no time ideal: Gabriel, que ainda tem mais uma partida de suspensão a cumprir por conta da punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)



Carille não esboçou o Corinthians nesta sexta (Foto: Daniel Augusto Jr) Foto: LANCE!

Por outro lado, o Corinthians contará com as voltas de Pablo, que está recuperado de dores na coxa esquerda e novamente treinou sem restrições, além de Fagner e Romero, que estavam suspensos na última rodada. Assim, o Timão deve iniciar o jogo em Salvador com: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Camacho e Maycon; Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô.


Em treino realizado na manhã desta, a maioria dos titulares na vitória sobre o Coritiba apenas correu em campo após um trabalho na academia. Maycon, substituído no início do segundo tempo, e Cássio participaram das atividades com os demais companheiros.

Os jogadores que não apareceram em campo foram: Balbuena e Matheus Vidotto, que fizeram trabalhos na academia; Marciel, com amigdalite; e Vilson, ainda faz atividades no laboratório R9 após passar por cirurgia no joelho esquerdo em março.

Já a novidade no gramado foi Romero, que não havia treinado na última quinta após voltar da seleção paraguaia. Pablo, Léo e Danilo também participaram normalmente das atividades.

No treino desta sexta, Carille focou em cruzamentos seguidos de finalizações, cobrando e elogiando a todo instante os jogadores. Houve ainda uma atividade em campo reduzido na parte final.

O Corinthians volta a treinar na manhã deste sábado, antes da viagem a Salvador. O técnico Fábio Carille deve confirmar a escalação para o jogo contra o Bahia.









Titulares fazem treino leve, e Corinthians terá retornos contra o Bahia

Fagner, Pablo e Romero trabalham no campo entre os reservas e devem jogar domingo

Por Marcelo Braga

13/10/2017 12h14


Quando sete dos 11 titulares do Corinthians na vitória contra o Coritiba apareceram no campo usando apenas tênis de corrida na manhã desta sexta-feira, ficou claro para os jornalistas que o técnico Fábio Carille deixaria para armar na atividade de sábado a equipe que pega o Bahia, domingo, às 19h (de Brasília), em Salvador, pela 28ª rodada do Brasileirão.

Correram no campo:
Léo Príncipe, Pedro Henrique, Guilherme Arana, Camacho, Jadson, Rodriguinho e Jô.

Ficou só na academia:
Balbuena.


 


Pablo treina e deve voltar ao time do Corinthians; veja as outras novidades

Enquanto isso, o restante do elenco fez alguns trabalhos técnicos. Suspensos contra o Coxa, Romero e Fagner participaram e devem reforçar a equipe. O lateral iniciou o dia com trabalhos especiais com o preparador Walmir Cruz, mas depois integrou os treinos programados.




Romero volta a treinar em campo e enfrenta o Bahia (Foto: Marco Galvão/Estadão Conteúdo)

Além deles, Pablo também deve ser novidade no time. Pelo segundo dia consecutivo, o zagueiro foi a campo e treinou sem acusar nenhum problema. Cortado do último jogo por causa de dores na coxa esquerda, ele deve ficar com a vaga que foi de Pedro Henrique. 

O Timão deve jogar com Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Maycon e Camacho; Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô.

Além de Vilson, que segue em trabalho de manutenção após operar o joelho em março, o volante Marciel foi desfalque na atividade de campo. Com uma amigdalite, não deve viajar a Salvador.

Com maioria dos titulares no Ceproo para recuperação física habitual, técnico Fábio Carille comanda treino no lider isoladísdimo, Corinthians,  de olho no Bahia


Camila Del Manto Bomtempo* 

13 OUT2017
12h23

O Corinthians se reapresentou com vantagem de dez pontos na liderança e de olho no confronto contra o Bahia pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro, no domingo, às 19 horas (de Brasília), na Fonte Nova, em Salvador,. O técnico Fábio Carille comandou um treino na manhã desta sexta-feira, no CT Joaquim Grava. O comandante, contudo, não contou com todos os titulares na atividade.

Dos titulares, apenas Maycon, Fagner, Romero e Pablo participaram do treinamento, sendo que apenas o primeiro atuou no último jogo. O restante apenas correu ao redor do campo, com exceção de Balbuena, que ficou trabalhando na academia, mas não preocupa para a partida deste domingo.

Aliás, Fagner e Romero voltarão a ficar à disposição do técnico após cumprirem suspensão pelo terceiro cartão amarelo na última quarta. Por sua vez, Pablo, poupado contra o Coritiba por conta de dores na coxa esquerda, treinou normalmente e deve retomar a posição na zaga, após ser substituído por Pedro Henrique.

O treino desta sexta começou com o tradicional bobinho, com clima descontraído entre os jogadores, enquanto os goleiros faziam trabalho específico à parte. Depois, os atletas treinaram em duplas, enquanto a maioria dos titulares corria em volta do gramado.

Depois disso, Carille comandou um treino de cruzamento e finalizações em campo reduzido, e os jogadores do Timão mostraram boa pontaria. O destaque ficou por conta do golaço do Danilo, que mandou a bola no ângulo. O meia ainda não atuou em 2017 após ter quebrado a perna em agosto do ano passado.

Apesar de ter várias opções à disposição, Carille ainda não revelou o time que vai a campo contra o Bahia, mas deve manter a mesma escalação do último jogo, mas com Fagner e Romero voltando à equipe. A certeza é que o comandante não poderá contar com Gabriel, que ainda cumpre a suspensão imposta pelo STJD, e Marciel não será uma opção no banco, já que está com amigdalite.

Neste sábado, o Timão volta a treinar no CT Joaquim Grava, novamente às 10 horas. Depois disso, a equipe encerra a preparação para enfrentar o Bahia. Após os resultados da 27ª rodada, o Corinthians voltou a ter dez pontos de imensa vantagem para o segundo colocado, faltando 11 rodadas pro fim




Volante do Corinthians, Gabriel distribui presentes a crianças na capital paulista

Volante foi ao bairro da Brasilândia para celebrar o Dia das Crianças

Por GloboEsporte.com

13/10/2017 12h15
O volante Gabriel, do Corinthians, aproveitou o Dia das Crianças para distribuir presentes aos moradores do bairro da Brasilândia, na capital paulista, na última quinta-feira. A rua ficou cheia de gente no encontro com o jogador.

– Uma das coisas que mais me emociona no futebol são as crianças nos pedindo fotos ou autógrafos. Resolvi tentar levar um pouco de alegria à esta comunidade porque sei que a situação no país não é das mais fáceis e a maioria deles aqui têm poucas chances de ir para um estádio de futebol – disse Gabriel.

– Fazer o bem nos faz bem também. Acredito nisso e hoje estou mais feliz que ontem e sinto que podemos fazer mais amanhã. Que as autoridades cuidem das crianças, o maior patrimônio do país.








Corinthians não tem propostas oficiais por lateral esquerdo Guilherme Arana. A multa é de R$ 187 mi
Há sondagens de clubes europeus por Arana, mas a diretoria aguarda documento oficial;
A pedida inicial é a mesma da janela do meio do ano: € 20 milhões (R$ 75 milhões), mas propostas por até € 15 milhões (R$ 56 milhões) são consideradas;
A multa rescisória de € 50 milhões (R$ 187,5 milhões) para clubes do exterior é apenas referência;
Depois de segurar o lateral no meio do ano, a postura agora é de abertura maior.

Bordeaux, da França, e CSKA, da Rússia, foram os clubes que tiveram propostas rejeitadas no meio do ano. O Sevilla, que volta a se interessar pelo lateral, também teve tentativa frustrada. Atlético de Madrid e Inter de Milão são citados como outros clubes na mira.


A ideia de diretoria e empresários é blindar Guilherme Arana para que ele não seja afetado pelas negociações. Em fase irregular, o lateral foi o corintiano que mais errou passes na vitória por 3 a 1 sobre o Coritiba, quarta-feira passada: seis toques errados. Após o jogo, deixou o futuro aberto.

– Ouvi esses boatos, mas deixo para a minha família, minha mãe e meu pai, e meus empresários. Estamos no final do campeonato, tenho de me manter focado no Corinthians. Quando terminar o ano, se Deus quiser campeão, vou parar para pensar e ver o que é melhor para mim – afirmou o lateral-esquerdo.

Com Guilherme Arana em campo, o Corinthians volta a campo no próximo domingo, contra o Bahia, às 19h (de Brasília), em Salvador.









#77Vive! Histórico título paulista do Corinthians completa 40 anos

No dia 13 de outubro de 1977, Basílio fez o único gol da vitória que entrou para história como a quebra do tabu de quase 23 anos

09h00 13/10/2017 - Agência Corinthians





© José Pinto/Placar


Era uma noite de quinta-feira, dia 13 de outubro de 1977 Mais de 86 mil torcedores não deixavam mais espaços nas arquibancadas. O terceiro e último jogo da decisão do Campeonato Paulista daquele ano, entre Corinthians e Ponte Preta, significava mais do que uma final para os alvinegros do Parque São Jorge. Momento de exorcizar todos os fantasmas que assombravam o Timão desde 1954.

Eram quase 23 anos sem conquistar títulos. Mesmo assim, a torcida corinthiana não parava de crescer. Por isso ela é a Fiel. A última conquista havia sido o Campeonato Paulista de 1954, o famoso IV Centenário.

Depois de ganhar a primeira partida por 1 a 0 com gol de Palhinha, o Corinthians havia perdido o segundo jogo por 2 a 1 em um Morumbi lotado, com 146 mil torcedores, recorde de público do estádio até hoje. Para a terceira partida, o Timão não contava com o atacante que marcou o gol da vitória no primeiro jogo. A equipe titular do clube do Parque São Jorge entrou em campo com Tobias; Zé Maria, Moisés, Ademir e Wladimir; Ruço, Basílio e Luciano; Vaguinho, Geraldão e Romeu, todos comandados pelo técnico Oswaldo Brandão.

Logo no início da partida, Rui Rei, craque da Ponte Preta, discutiu com o árbitro Dulcídio Wanderley Boschila e foi expulso. Contudo, a partida continuou tensa com muitas chances de gols para ambas as equipes.

Só aos 36 minutos do segundo tempo saiu o gol mais esperado da história do Sport Club Corinthians Paulista. Em um enredo típico de roteiro de Hollywood.

Em uma falta na ponta direita, Zé Maria cobrou na área, Basílio desviou de cabeça, e a bola sobrou para Vaguinho, que chutou no travessão. No rebote, Wladimir subiu mais alto do que a zaga, testou com força e consciência, mas Oscar, zagueiro da Ponte Preta, tirou em cima da linha. A redonda sobrou para Basílio, que mandou uma bomba de primeira, fez a Fiel explodir e, posteriormente, soltar o grito entalado de ‘É campeão! ’.

Depois de 22 anos, oito meses e sete dias, o jejum foi, enfim, quebrado naquela noite. Graças ao gol do 16º título estadual do Timão, Basílio se tornou um ídolo eterno e ganhou o apelido pelo qual é conhecido por onde passa: Pé-de-Anjo.

Inclusive, era algo que parecia marcado nas estrelas. O eterno camisa 8 conta que, na manhã do jogo decisivo, o técnico Oswaldo Brandão entrou no quarto e disse “Basílio, eu vi! Você vai fazer o gol do título!”. O treinador havia conquistado o último título do Coringão, em 1954, e voltou para o comando do Alvinegro para acabar com o tabu.

Nesta sexta-feira (13), a conquista completa exatos 40 anos. Um aniversário marcante. Desde então, foram muitos canecos conquistados. Seis títulos do Campeonato Brasileiro, três títulos da Copa do Brasil, uma Libertadores da América e dois Mundiais. Isso para mencionar apenas dos mais importantes. Mas mesmo com todas essas conquistas, o Paulista de 1977 terá para sempre um lugar cativo na galeria das maiores conquistas do Sport Club Corinthians Paulista. E todos os heróis daquela noite se tornaram ídolos eternos da Fiel.

Você encontra esta e outras informações no aplicativo oficial Almanaque do Timão e no aplicativo oficial do Sport Club Corinthians Paulista, ambos disponíveis em sistemas iOS, na Apple Store, e Android, na Google Play Store.













Corinthians TV exibe #77Vive, documentário sobre título paulista de 1977

Produção do canal oficial do Timão no YouTube ouviu diversos personagens sobre a campanha alvinegra e a noite de 13 de outubro de 1977, que completa 40 anos

11h45 13/10/2017 - Agência Corinthians



Herói da final, Basílio é um dos entrevistados

Reprodução/Corinthians TV

O histórico título paulista de 1977, que acabou com um longo jejum de conquistas do Corinthians, completa 40 anos nesta sexta-feira (13) Para relembrar o feito, a Corinthians TV exibe #77Vive, documentário contando a história da campanha do Timão que culminou no marcante gol de Basílio na vitória sobre a Ponte Preta por 1 a 0, no terceiro jogo da final do Campeonato Paulista.

Na produção original de 47 minutos, a Corinthians TV ouviu diversos personagens sobre o fim do tabu de quase 23 anos sem títulos: Basílio e Zé Maria, jogadores que estiveram em campo no dia 13 de outubro de 1977; Fábio Ferrari, Mário Barros e Juca Novaes, torcedores que estavam nas arquibancadas do Morumbi naquela noite; Celso Unzelte e Fernando Wanner, historiadores.

O documentário está no ar e pode ser visto a qualquer momento no canal oficial do Timão no YouTube: youtube.com/Corinthians

"O que levou a 77"

A Corinthians TV também contou todos os fatos e motivos que levaram o Timão a ficar quase 23 anos sem ser campeão. A série "O Que Levou a 77" é uma produção de 10 capítulos, em que os mesmos personagens do documentário falam sobre vários temas do período entre 1954 e 1977.



Início do jejum, crescimento dos rivais, anos 60, Rivellino, fatídica final de 1974, a Invasão Corinthiana de 1976 e a transição para 1977 são alguns dos assuntos abordados pela série.

Todos os 10 capítulos já estão no ar no canal oficial do clube no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=ItbcUZiLzpQ&list=PLAh7A4IFh_oM3t83YFUH5ze4UHs9JswQc

Veja o documentário #77Vive, produção da Corinthians TV









Corinthians tem 38.536 de media de publico por jogo no Brasileiro e lidera ranking



Médium, filme, fuga... 7 curiosidades sobre o histórico 1977 do Corinthians

Timão celebra nesta sexta-feira os 40 anos da memorável conquista do Paulista que fechou um jejum de 22 anos, oito meses e sete dias sem conquistas importantes.
Corinthians foi campeão paulista em 1977



Lance do gol da vitória por 1 a 0 sobre a Ponte

Reprodução/A história de um tabu que durou 22 anos







Lance do gol da vitória por 1 a 0 sobre a Ponte




Lance do gol da vitória por 1 a 0 sobre a Ponte


 




Lance do gol da vitória por 1 a 0 sobre a Ponte




Bola levantada por Zé Maria na área que resvala na cabeça de Basílio e sobra para Vaguinho bater de esquerda. A bola bate no travessão e volta para Wladimir, que cabeceia com firmeza, mas em cima do zagueiro Oscar. No rebote, Basílio enche o pé e estufa as redes. Corinthiano que é corinthiano já viu esse lance trocentas vezes. É o gol que marcou a conquista do Paulistão de 1977, que encerrou um jejum de 22 anos, oito meses e sete dias sem conquistas importantes do time mais popular do Estado.

O título que marcou o fim do prolongado sofrimento e até hoje é lembrado como uma das conquistas mais importantes da história do Corinthians completa 40 anos nesta sexta-feira, 13 de outubro de 2017. Muitas histórias já foram contadas ao longo das décadas sobre o feito que "enche de lágrimas os olhos desse povo e enche de felicidade o coração dessa gente", na inesquecível narração de Osmar Santos.

Por isso, o LANCE! ouviu personagens e buscou histórias desconhecidas (ou mesmo pouco conhecidas) a respeito do Paulistão de 1977. Ou você sabia que um jogador trancou a faculdade para se dedicar à campanha vencedora? E que muitas pessoas atribuem ao médium Robério de Ogum uma parcela do título? Você sabe qual filme foi usado na preleção e motivou os jogadores? Sabe quem é o jogador que tentou fugir da concentração antes do título?


Descubra abaixo sete curiosidades do título da libertação corintiana. Ou, como diz o clube nas ações em homenagem ao feito, 1977 vive!


1 - Corinthians conquistou títulos durante a fila. Oi?

Na verdade, o Corinthians não ficou quase 23 anos na fila. Entre 1954 e 1977, anos de títulos estaduais marcantes, o suposto jejum foi interrompido por uma série de títulos de menor importância. Mas ainda assim títulos. Em 1955 veio o Torneio Internacional Charles Miller contra o Benfica (POR), no ano seguinte a Copa do Atlântico e depois taças como o Torneio de Brasília, o Pentagonal do Recife, a Taça Piratininga, o Torneio Costa do Sol, Torneio rio sp 66 ... Ao todo, foram 15 títulos nacionais e seis taças fora do país. Nenhum deles, no entanto, com o peso que tinha o Campeonato Paulista naquela época.


2 - Oswaldo Brandão resolveu crise na base da conversa

O Campeonato Paulista de 1977 foi decidido em três turnos antes da final. O terceiro turno contava, além da Ponte Preta, com Santos, Palmeiras, São Paulo, Guarani, Botafogo e Portuguesa, e os dois melhores na disputa todos contra todos avançavam. O Corinthians não começou bem. Foram três pontos nas primeiras três partidas, restando apenas quatro jogos até o fim. A eliminação parecia iminente e se tornou ainda mais clara com uma derrota por 1 a 0 para o Guarani no quarto jogo. O resultado deixou todos os jogadores abatidos. Pelo visto, um novo fracasso se aproximava.


Revoltava com o vexame, a diretoria representada pelo presidente Vicente Matheus, o vice Isidoro Matheus e os diretores Leonel Marconi e Aloísio Santos entrou no vestiário para distribuir broncas, mas o técnico Oswaldo Brandão interrompeu o ato antes mesmo de ele começar. De acordo com relatos, o treinador anunciou ao grupo o cancelamento da folga do dia seguinte para que houvesse treino para titulares ou reservas. Ele ainda teria dito: "Aqueles que acham que não dá mais para se classificar nem precisam ir treinar". Todos foram, o desafio esfriou os ânimos e o Corinthians venceu 3 jogos até se classificar para a decisão.


3 - Teve jogador que fugiu da concentração antes da decisão!

O título do Campeonato Paulista era decidido em formato melhor de três jogos. Mesmo desfalcado o Corinthians venceu o primeiro por 1 a 0 e bastava uma vitória no segundo jogo para evitar o terceiro e garantir o título. Oswaldo Brandão queria repetir a tática e a escalação do primeiro jogo, em que não contou com o ponta Vaguinho, que havia cumprido suspensão. Para repetir o time, no entanto, era necessário que Vaguinho seguisse fora e Basílio fosse mantido como titular. Aí Brandão foi ao quarto de Vaguinho na concentração dizer que ele havia perdido a posição de titular. O novo reseva não aceitou a condição. Mal Brandão deixou o quarto ele já arrumou as malas a caminho da portaria do hotel.


Revoltado com a decisão do treinador, Vaguinho pediu um táxi para ir embora da concentração, mas a recepção já estava avisada de que não era para deixar ninguém ir embora. A desculpa oficial, então, foi que não havia nenhum veículo disponível. Vaguinho, então, ligou para Maria do Carmo, sua esposa, que começou a desfazer seus pensamentos de fugir da concentração: "Se você abandonar a concentração e o time perder você será responsabilizado. E se houver uma vitória você será esquecido e desvalorizado". Vaguinho ficou. Foi para o banco de reservas e acabou entrando. Fez o gol de honra do Corinthians na derrota por 2 a 1 do segundo jogo. O gol que manteve o Timão vivo.


- Após o jantar na véspera do terceiro jogo reunimos os concentrados em um dos salões do hotel para assistirem à projeção de um filme que tinha uma mensagem referente ao que estávamos passando naquele momento. Sentido de mentalização. "Como se faz um campeão?". Três corredores recordistas, mas em competições diferentes. Iriam participar de uma prova onde seriam comparados. EUA, Inglaterra e Alemanha. Reta final empatados, até que um passa. "Era emocionante ver-se quão difícil era liderar e ganhar uma competição, quando os adversários se equivalem". Todos emocionados.


4 - Um filme foi exibido aos jogadores e serviu de motivação

Na véspera do terceiro jogo, após o jantar realizado na concentração, a comissão técnica reuniu o grupo de jogadores em um dos salões do hotel para assistirem a um filme motivacional. A ideia era exibir algo que tivesse uma mensagem referente ao que o elenco estava passando, entre contestações e dúvidas. O filme escolhido foi "Como se faz um campeão?", em que três corredores recordistas de Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha participam de uma prova em que seriam comparados entre si. Os três estão empatados até a reta final, até que um deles toma a dianteira e vence. O filme não é encontrado na internet, mas emocionou a todos os corintianos em 1977.


5 - Um jogador trancou a faculdade para se dedicar ao time

Os 806 jogos tornaram Wladimir o jogador que mais defendeu o Corinthians na história, em recorde que dificilmente será batido. A trajetória no futebol, porém, foi dividida com os estudos até... 1977. O jogador estava no último ano do curso de Educação Física na Faculdade do Clube Náutico Mogiano, em Mogi das Cruzes, mas a classificação do Corinthians para as fases mais avançadas e depois o título impediram que ele frequentasse as aulas. Para não bombar ele trancou o curso na metade do ano. Sorte que depois foi campeão estadual.




6 - Título teve união de magia e ciência nos bastidores

Magia e ciência se uniram para que o Corinthians fosse campeão paulista de 1977 na pele do médium Robério de Ogum e do preparador físico José Teixeira.


O guru, que anos mais tarde trabalharia lado a lado com o técnico Vanderlei Luxemburgo se tornou protagonista do cenário esportivo no ano do fim do jejum corintiano. Na ocasião, ele teria desenterrado um sapo no gramado da Fazendinha, que fica no Parque São Jorge, local de treinos do Corinthians. Era atrás de um gol. Robério de Ogum identificou as forças maléficas e retirou de lá a ossada do animal que atrapalhava os caminhos do Timão por um título. O médium ainda teria conversado com Oswaldo Brandão recomendando a escalação de Basílio, que estava em um período mais profícuo.


A ciência entrou em campo por meio da ciclobiologia. O Corinthians jamais havia realizado um trabalho tão forte de preparação para competições como foi em 1977, com mapeamento de informações de jogadores e novos métodos de treino. José Teixeira, preparador físico naquela conquista, estabeleceu a tal ciclobiologia, que é uma mistura de estatística e astrologia que diz que a vida e os comportamentos de uma pessoa são influenciadas pela data e hora de seu nascimento e as posições dos planetas. Um caso emblemático de uso desse estudo foi quando Teixeira notou que Rui Rei estaria em um dia crítico na final do Paulista por conta desse alinhamento planetário. Por isso, o Corinthians entrou com o propósito de irritar o jogador da Ponte Preta contratando um falso repórter para fazer perguntas sem sentido e incomodando o jogador com ameaças e faltas em campo. Rui Rei foi expulso no começo do jogo e o Corinthians venceu.


7 - Campanha marcou recorde histórico de público

O maior público da história do Morumbi, e que dificilmente será batido, foi de 138.032 torcedores no segundo jogo entre Corinthians e Ponte Preta. No jogo final o público foi menor, mas pintou o local de preto e branco para celebrar o fim da fila. Naquele dia, os números do placar foram levados de lembrança e setores danificados pela euforia da festa