4 de mai de 2017

CORINTHIANS 04/05/2017








Timão se aproxima da sétima taça na década: ninguém ganhou mais!


Timão obteve grandes conquistas na década atual: confira o que cada um dos 12 grandes clubes levaram no período(Fotos: Lancepress!)

Títulos do Corinthians na década: Brasileiro (2015), Recopa (13), Paulista (13), Mundial (12), Libertadores (12) e Brasileiro (11)
Botafogo: Carioca (2013)Paulo Sergio/Lancepress!

Timão obteve grandes conquistas na década atual: confira o que cada um dos 12 grandes clubes levaram no período(Fotos: Lancepress!)

Títulos do Corinthians na década: Brasileiro (2015), Recopa (13), Paulista (13), Mundial (12), Libertadores (12) e Brasileiro (11)
LANCE! - 04/05/2017 - 07:50




O rei da década!
Timão está perto de erguer a sétima taça nesta década: nenhum clube brasileiro ganhou mais, em quantidade e qualidade, no período. De Estadual a Mundial, foram seis títulos desde 2011, todos sob o comando de Tite, hoje na Seleção Brasileira

Foram considerados estaduais e as principais competições nacionais e internacionais. Relembre os títulos!
Brasileirão-2015

Com a melhor campanha da era dos pontos corridos (81 pontos), o Corinthians de Tite foi o melhor time do Brasil em 2015 e ergueu a taça no mesmo dia em que massacrou o 5P por 6 a 1, na Arena Corinthians. Foi a sexta grande conquista do Timão na atual década...


Recopa-2013

Campeão da Libertadores de 2012, o Timão encarou o São Paulo, campeão da Sul-Americana, e venceu ida e volta (1 a 2 e 2 a 0) para levar a Recopa.


Paulistão-2013
Na final do Campeonato Paulista de 2013, o Corinthians venceu o s7os por 2 a 1, na ida, no Pacaembu, e empatou em 1 a 1 na Vila Belmiro para conquistar seu 27º título estadual. Timão eliminou o São Paulo na semi.



Mundial-2012
Campeão da Libertadores do mesmo ano, o Corinthians foi à final do Mundial no Mundial no Japão ao vencer o Al-Ahly, por 1 a 0. Na decisão, pelo mesmo placar, o Timão bateu o Chelsea (ING) e conquistou o troféu.


Libertadores da América-2012
O tão sonhado título da Libertadores foi conquistado em 2012, na final contra o Boca Juniors (ARG), no Pacaembu. O Timão empatou na Argentina em 1 a 1 e venceu por 2 a 0 na volta para levantar a taça.


Brasileirão-2011
Timão abriu a década conquistando o quinto Brasileirão de sua história, em 2011. Na última rodada, um empate em 0 a 0 com o Palmeiras decretou a conquista da equipe comandada por Tite: 71 pontos




Jô vê ambiente mais leve, mas faz alerta no Timão: "Entendo o outro lado"

Atacante usa lado psicológico para manter elenco do Corinthians ligado antes de decisão do Campeonato Paulista. Ele lembra de viradas anteriores para citar motivação da Ponte

Por Diego Ribeiro
04/05/2017 18h09 AO papel dos líderes do Corinthians às vésperas da decisão do Campeonato Paulista, neste domingo, contra a Ponte Preta, às 16h (de Brasília), na Arena Corinthians, é tirar qualquer indício de euforia que possa atrapalhar o elenco antes da provável conquista do torneio estadual.

Depois da vitória por 3 a 0 no jogo de ida da final, em Campinas, o clima ficou bem mais leve. É nesse contexto que entra o atacante Jô. Artilheiro do Corinthians no Paulistão, com seis gols, ele viveu situações suficientes para poder alertar os companheiros.

– Construir um placar de 3 a 0 na final deixa o ambiente mais leve, você vê muita descontração. Mas os mais experientes como eu procuram trabalhar o psicológico. É um jogo após o outro. Tem de ganhar o jogo, jogar bem, diante da nossa torcida. Ninguém quer ser derrotado para ser campeão. Queremos, se possível, ganhar para nossa torcida – afirmou Jô, em entrevista coletiva nesta quinta-feira.



Jô também tem papel de psicólogo no Corinthians, às vésperas da final (Foto: Diego Ribeiro)

– Toda hora você tem de conversar e bater na tecla. Claro que acaba relaxando, mas por tudo que nosso grupo passou, não vamos deixar essa peteca cair – ressaltou.

– Já passei por situações difíceis que consegui reverter. A motivação é muito grande. Não sei se é esse o modo de trabalho do Gilson Kleina, mas certamente ele vai mostrar viradas históricas, que tudo é possível, mas nós também temos vários exemplos de quem manteve a vantagem. Entendo o outro lado – destacou o corintiano.







Camacho deve ser titular do Corinthians em final; Carille testa variações táticas

Volante treina na formação principal pelo segundo dia seguido e deve ser substituto de Rodriguinho contra a Ponte. Técnico muda posicionamento do meio-campo em parte da atividade

Por Diego Ribeiro,
04/05/2017 18h39
É enorme a chance de Camacho ser o substituto de Rodriguinho no Corinthians para a grande final do Campeonato Paulista, neste domingo, às 16h (horário de Brasília), na Arena Corinthians

Pelo segundo dia seguido, o técnico Fábio Carille escalou o volante entre os titulares, em atividade técnica no CT Joaquim Grava. Desta vez, porém, foram duas as alternativas táticas testadas – mas sem mudar a formação inicial.

O Corinthians treinou com Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Paulo Roberto; Jadson, Camacho, Maycon e Romero; Jô.



Camacho participa de atividade com os titulares nesta quinta: ele deve jogar final (Foto: Diego Ribeiro)

Num primeiro momento, o time se armou no 4-1-4-1, com Camacho e Maycon por dentro. Na segunda parte, Maycon recuou, Camacho foi para o lado direito, e Jadson ficou centralizado, configurando um 4-2-3-1. As variações devem aparecer durante a partida.

Mesmo suspenso por um jogo pelo Tribunal de Justiça Desportiva em virtude da confusão com Cueva, do São Paulo, o lateral-direito Fagner foi mantido. O Timão aguarda para sexta-feira uma resposta do efeito suspensivo que pediu para colocar o jogador na decisão. Caso ele não possa atuar, Léo Príncipe entra.







Decisão sobre efeito suspensivo de Fagner sairá apenas na sexta-feira

Pedido feito pelo Timão está sendo analisado pelo presidente do TJD, Antonio Olim. Diretoria corinthiana está confiante na liberação do lateral-direito

Por Leonardo Lourenço,
04/05/2017 15h34
O Corinthians terá de aguardar mais um dia para saber se poderá contar com o lateral-direito Fagner na decisão do Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, domingo, às 16h, em Itaquera. A decisão sobre o pedido de efeito suspensivo feito pelo Timão será divulgada apenas na sexta-feira.

O presidente do Tribunal de Justiça de Desportiva de São Paulo (TJD), Antonio Olim, é quem analisa o recurso feito pelo advogado do Corinthians, João Zanforlin. No julgamento feito na última terça, Fagner foi suspenso por um jogo, em decisão apertada – 3 a 2.



Fagner durante treino do Corinthians na última quarta-feira (Foto: Diego Ribeiro)

O jogador, que não compareceu ao julgamento, foi denunciado no artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva – praticar ato desleal ou hostil – por causa de uma confusão com o meia peruano Cueva, do São Paulo, durante o segundo jogo das semifinais do Campeonato Paulista, em Itaquera. O jogador do Tricolor recebeu uma advertência.

Apesar de estar suspenso, Fagner vem treinando normalmente como titular no CT Joaquim Grava. No trabalho de quarta-feira à tarde, o técnico Fábio Carille manteve o jogador na equipe. Caso ele não possa atuar, o garoto Léo Príncipe, reserva imediato da função, ficará com a vaga.








Corinthianas reclamam da falta da versão feminina da camisa 2; fornecedora explica

Nike confirma que foram produzidas versões femininas apenas do primeiro uniforme por conta de uma "tendência de mercado"

Por GloboEsporte.com,
04/05/2017 13h20

Estreado no último domingo, na vitória do Corinthians por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, no primeiro jogo da final do Paulistão, o uniforme número 2 do Corinthians não foi produzido em versão feminina, o que tem causado revolta de algumas torcedoras na internet.

No Facebook, algumas corintianas iniciaram protestos em uma página chamada "Movimento Toda Poderosa Corinthiana" (confira no texto mais abaixo).

Em contato com a reportagem, o departamento de marketing do Timão disse que está ciente dos pedidos e questionou a Nike sobre a situação. Por meio de sua assessoria de imprensa, a empresa norte-americana confirmou que foram produzidos apenas camisas número 1, brancas.



Torcedoras do Corinthians na Arena (Foto: Marcos Ribolli)
– A Nike esclarece que ao longo dos anos a demanda do público feminino pelas novas camisas do Corinthians são preferencialmente pela camisa principal. Seguindo essa tendência de mercado, a nova segunda camisa não será comercializada no modelo feminino – explicou a fornecedora.


Veja o protesto das corintianas:

Qual a importância das nossas raízes? O SC Corinthians Paulista e a Nike Futebol elegeram como tema principal dos uniformes da temporada o resgate da fé e da devoção do corinthiano ao São Jorge Guerreiro. Neste ano, comemoram-se os 40 anos do fim do jejum de 23 anos sem títulos quebrado contra a Ponte Preta, em 1977.

A história estava se desenhando: listras tradicionais na camisa preta: ok. Espada de São Jorge: ok. Final reeditando o memorável jogo de 13/10: ok.

Mas parece que eles esqueceram de convidar uma parte importante para essa grande festa. Esqueceram da parcela de torcedores que também esteve presentes durante toda longa e árdua caminhada corinthiana nos últimos 107 anos: as mulheres.

FAZ SENTIDO para algum torcedor que em pleno 2017 a produção de camisas femininas seja interrompida, indo na contramão de todas as revindicações por direitos da ala feminina no futebol, com a (velha e desacreditada) desculpa da falta de demanda?

Faz sentido para alguém que 52% da torcida do Corinthians (dados Ibope/2015) fique sem opção de compra?
Não pensam em nós para a produção de camisas estilo retrô. Não pensam em nós nas promoções dos sites. E agora, não pensarão em nós nem mesmo quando o assunto é a camisa da temporada. R$ 249,90 por um produto masculino aqui, não vai rolar.

Exigimos um posicionamento oficial do SC Corinthians Paulista quanto à decisão da fornecedora de material, a divulgação de um histórico de vendas que justifique a ação pela Nike Futebol, além uma retratação pública sobre o ocorrido.

O resgate das raízes é essencial sim, mas sem esquecer um dos principais pilares da história da construção do Sport Club Corinthians Paulista: a mulher.

A todas as nossas grandes inspiradoras: salve! Tia Geni, dona Elisa, tia Ofélia: somos nós por nós.

MOVIMENTO TODA PODEROSA CORINTHIANA #MTPC


#RespeitaAsTorcedorasNike #RespeitaAsTorcedorasCorinthians


Corinthians estreou o uniforme número 2 na vitória por 3x0 sobre ponte, em Campinas (Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians)








Corinthians deve manter acordo com universidade após a final do Paulistão

Universidade Brasil, que ocupou o espaço master da camisa no jogo de ida da final e voltará ao espaço neste domingo, na Arena, deve seguir na camisa de forma definitiva

Por Marcelo Braga,

04/05/2017 13h03

O Corinthians finaliza os detalhes e deve anunciar nos próximos dias a manutenção do patrocínio da Universidade Brasil, do grupo Uniesp, para além das finais do Campeonato Paulista.

Parceira pontual nos dois jogos contra a Ponte Preta, ocupando o espaço master e as omoplatas, a instituição de ensino deve seguir com o clube, mas não na área mais nobre da camisa.

As partes ainda negociam o tempo de contrato, que pode ter duração de até três temporadas. É possível que a Arena Corinthians receba uma pequena unidade da universidade, o que ainda é discutido.

Sem acordo com a Caixa desde abril, o Corinthians mantém patrocínio com três empresas nas áreas periféricas do uniforme: Alcatel (costas), Minds (barra da manga) e Foxlux (barra das costas).


Em Campinas, Rodriguinho veste a camisa com o patrocinio pontual (Foto: Agência Estado)







Da origem ao gol histórico: Basílio antes de se tornar herói do Corinthians

GloboEsporte.com convida o Pé de Anjo para narrar, em primeira pessoa, sua trajetória até o gol que encerrou jejum de títulos do Timão, há 40 anos
Por Diogo Venturelli e Marcelo Braga,
04/05/2017 11h00
João Roberto Basílio nasceu e se criou nos campinhos de várzea da Casa Verde, bairro da Zona Norte de São Paulo. Foi à Portuguesa, ali perto, no Canindé, tornou-se jogador de futebol e ganhou destaque no futebol paulista. Em 1975, chamou a atenção do Corinthians. Foi para o Parque São Jorge, virou titular e, dois anos depois...

O GloboEsporte.com convidou o Pé de Anjo a relatar, em primeira pessoa, sua vida e carreira até aquele 13 de outubro de 1977. Herói do Timão no título paulista de 40 anos atrás, ele reviveu momentos que o levaram até o ápice. O gol que tirou o Corinthians da fila.

– O aprendizado que tive dentro de campo procuro transmitir aos meus filhos, netos e até à minha bisneta. Minha responsabilidade a cada dia aumenta mais – disse Basílio.











Choro da mãe e defesa da família motivaram Paulo Roberto no Corinthians

Questionado antes mesmo de jogar, volante mudou sua imagem com a torcida em poucos jogos, ganhou vaga na decisão do Paulistão e sonha com a renovação de contrato no fim do ano


Por Marcelo Braga e Marco Aurélio Souza,

04/05/2017 07h10
Paulo Roberto teve a sua qualidade questionada por torcedores quando foi contrato pelo Corinthians, no início do ano. Nas redes sociais, viu seu nome virar alvo de chacota. Na mídia, a contratação foi vista como um erro. Aos poucos, porém, o volante de 30 anos quebrou barreiras.

Reserva imediato do suspenso Gabriel, ele jogará a grande final do Paulistão, contra a Ponte Preta, domingo, às 16h, em Itaquera, para a alegria de quem segurou a sua barra.

O volante soube que seria titular na finalíssima ainda em Campinas. Paulo Roberto foi avisado pelo técnico Fábio Carille antes de entrar em campo no segundo tempo da vitória por 3 a 0 do Timão. De folga na segunda-feira, ele foi curtir o novo status em Lavras, Minas Gerais. O que emocionou àqueles que, há alguns meses, tiveram de brigar pela sua honra.

– Apesar da desconfiança de outras pessoas, minha família acompanhou minha carreira inteira e sabia o que eu podia jogar pelo Corinthians. Todos me deram força. Diziam: "Espere o primeiro jogo que isso vai mudar". Até algumas pessoas na minha cidade haviam falado um pouco mal de mim. Não quero provar nada, mas minha família quer. Eles não levam desaforo para casa. Diversas pessoas da minha família brigaram na internet com torcedores e tenho certeza que, agora, vão respondê-los – disse o volante.

Antes do acerto com Paulo Roberto, que chegou de graça, a diretoria do Timão tentou Rithelly, que jogava com ele no Sport. Os altos valores encerraram o negócio e a torcida do Corinthians, após passar um ano sem títulos, descontou no substituto a sua ira. Atacado nas redes sociais, Paulo até publicou um texto na ocasião, dizendo que "ídolos, muitas vezes, saem do anonimato".

– Acreditei muito no que eu estava dizendo. Quando a notícia da contratação estourou, eu estava em Lavras, e foi complicado. Eu procurava não ler nada, sabia que estavam falando coisas que não eram verdade, e me mantinha tranquilo. Mas minha mãe (Vanda Maria) às vezes lia alguma coisa e me ligava chorando. Minha esposa (Bárbara) também não saía da internet. Fiquei triste, mas isso nunca tirou meu foco nem minha vontade. Isso só me ajudou a fazer boas partidas.



Titular na final, Paulo Roberto tem apenas seis jogos com a camisa do Corinthians (Foto: Marcelo Braga)


Oficializado durante o Torneio da Flórida, nos Estados Unidos, Paulo Roberto começou a mudar a sua imagem nas boas apresentações nos minutos que atuou contra Vasco e São Paulo. Jogou ainda em outros quatro jogos, sendo titular em um, também contra a Ponte, na primeira fase. Com força na marcação e ótima qualidade de passe, foi conquistando aos poucos o treinador e os torcedores.

Emprestado pelo Audax, tem contrato apenas até dezembro com o Corinthians. Determinado a renovar, sabe que precisa fazer bem o seu papel na decisão para ganhar sequência no ano.

Na presença do pai (Carlos Alberto), da esposa grávida de cinco meses e da filha Valentina, de dois anos, todos confirmados na Arena no domingo, ele tem a chance de apagar completamente qualquer resquício de dúvida da Fiel com a confirmação do título paulista. Na ida, o Timão fez 3 a 0.

– Uma coisa bacana desse time é que juntamos qualidade técnica com a parte tática que o Carille implantou. Com muito trabalho, a gente mereceu estar nesta final. É um sonho realizado.

Além de Paulo Roberto, o Corinthians terá outras novidades diante da Macaca. Sem Rodriguinho, suspenso, é possível que Camacho assuma a vaga na equipe. A situação de Fagner, que pegou um jogo de gancho no TJD, ainda está indefinida. O clube aguarda um pedido de efeito suspensivo.










Respeito': apesar de larga vantagem, Timão treina pênaltis antes da final

Gabriel Carneiro - 04/05/2017 - 19:13
O Timão está se preparando para qualquer situação no domingo. Apesar da larga vantagem por 3 a 0 aberta no jogo de ida das finais, no estádio Moisés Lucarelli, o técnico Fábio Carille decidiu se precaver e comandou um treino de pênaltis nesta quinta-feira, já no fim da preparação para o confronto.

- O regulamento diz que se tiver resultados iguais vai para os pênaltis, então temos que treinar, por respeito e pelas outras competições também, como a Sul-americana. O time está bem focado, concentrado, não menosprezando a equipe da Ponte Preta. O grupo está bem focado nisso - disse o atacante Jô, que participou do trabalho específico nesta quinta-feira, no CT Joaquim Grava.

Logo após o treino técnico em espaço reduzido disputado entre titulares e reservas, os jogadores se dividiram em dois gols diferentes e treinaram pênaltis. Por ordem da comissão técnica, a assessoria de imprensa do clube vetou a produção de imagens desta atividade após determinado momento. O aproveitamento da maioria dos jogadores foi bom, apesar do retrospecto recente não ser tão positivo no fundamento.







Jô sonha com gol na final e confia no elenco do Corinthians contra euforia



Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr.)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Marco Galvão/Fotoarena/Lancepress!)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr.)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr)

Jô soma sete gols no Paulistão(Foto: Daniel Augusto Jr)1/8

Gabriel Carneiro - 04/05/2017 - 18:51

Os sete gols marcados até o momento no Campeonato Paulista ainda não deixaram o atacante Jô satisfeito. Principal goleador do Corinthians na competição, o camisa 7 ainda sonha com pelo menos mais um gol no segundo jogo das finais, neste domingo, contra a Ponte Preta. Caso a vantagem por 3 a 0 aberta no jogo de ida se confirme em Itaquera, Jô será campeão estadual pela segunda vez com a camisa do Timão - a primeira com participação direta, porém, já que em 2003, sob o comando de Geninho, ele só viu do banco.

- Sempre sonhamos, imaginamos o momento do gol. Não sei como vai terminar a partida e nosso objetivo é ser campeão, mas fico imaginando, sonhando, correndo para a galera. A gente fica idealizando - diz o experiente jogador, otimista pela taça logo no início de sua segunda passagem pelo Timão.

- Se conseguimos o objetivo será muito bom para mim. Desde que surgi no Corinthians não joguei em 2003, só participei do grupo, então não considero como título. Agora tenho uma coisa bem possível e fico muito contente por marcar minha volta. Ano passado tive seis meses difíceis, é complicado ficar sem clube, mas o Corinthians abriu as portas e eu mostrei que tenho lenha para queimar, não estou satisfeito com o que fiz até agora. Me sinto muito feliz pelo que estou apresentando.


Jô foi revelado nas categorias de base do Corinthians em 2003, mas ficou apena dois anos atuando entre os profissionais antes de ser vendido ao futebol europeu. Após 12 temporadas, ele teve o retorno anunciado em novembro do ano passado, quando ficou apenas treinando no CT Joaquim Grava. Treinando e observando de perto os fracassos da equipe no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil. Motivos suficientes para ele acreditar que o grupo não irá menosprezar a Ponte Preta nas finais do Paulistão.

- Você construir um placar de 3 a 0 numa final deixa o ambiente mais leve, você vê muita descontração. Mas eu e os jogadores experientes trabalham no psicológico, falar que sempre tem um objetivo, um jogo após o outro. Tem que jogar bem diante da nossa torcida. Ninguém quer ser derrotado no jogo do título, por exemplo. Queremos fazer um bom jogo, se possível ganhar, e mostrar à torcida que temos muito a crescer. Esse grupo não vai deixar essa peteca cair. Eu me sinto privilegiado de trabalhar com este grupo, que recebeu críticas pelo que passou em 2016.

VEJA OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA COLETIVA DE JÔ NESTA QUINTA-FEIRA:

OTIMISMO POR FAGNER
"A gente tem confiança, acredita que isso aconteça até sábado, que ele possa conseguir o efeito suspensivo. Ele é um jogador que ajuda muito, de Seleção Brasileira. Caso ele não possa tem o Léo, um menino que está crescendo bastante. Mas confiamos em ter o Fagner".

JOGA PARA O TIME
"É uma das minhas características. Eu nunca fui centroavante, comecei como ponta, sempre pelos lados. Virei centroavante mesmo na Inglaterra. Realmente não sou um goleador nato, como foram Romário, Ronaldo, como é o Fred, que têm faro de enorme, mas procuro me movimentar, sair para os lados, fazendo gols necessários. Não consigo ficar preso muito tempo esperando uma chance, procuro correr e fazer o melhor para o time".

CRAQUE DO PAULISTÃO?
"Deixo para o pessoal que tem que escolher, votar. Eu escolheria o grupo todo, é muito difícil (risos). A humildade é a essência do ser humano. Mas se eu puder ganhar fico feliz".

MUDANÇA FORA DE CAMPO
"Rápido não foi, é um processo bem longo e complicado, em que você passa por situações que precisa provar o que quer se tornar. A alegria é grande dos meus familiares por me ter como referência, mas é uma caminhada longa, só eu sei quantas vezes chorei sozinho. Mas graças a Deus superei isso e posso dar alegrias à minha família e ao Corinthians".

COM QUEM COMEMORAR O TÍTULO?
"Se eu pudesse agora dar um abraço em Deus eu daria e agradeceria por tudo. Mas como isso não é possível e nosso objetivo for alcançado será na minha esposa, que me atura há 11 anos, e no meu filho, são pessoas do meu dia a dia, pessoas maravilhosas com quem quero compartilhar esse momento".

GABRIEL E RODRIGUINHO FORA DA FOTO DO TÍTULO
"Complicado, eu nunca passei por isso. Imagino a ansiedade que vão passar durante os 90 minutos, não sei se eles vão poder estar naquela foto que todo time faz. Mas deveria, porque eles tiveram uma colaboração grande".

DISCURSO DE TORCEDOR NA PRELEÇÃO
"Antes de ser jogador profissional eu ia para os jogos, estava na arquibancada, às vezes na Gaviões, então eu sei o que o torcedor passa. E também sei o que é jogar, passei por momentos bons e ruins e sei o que representa essa camisa. Tenho passado para alguns mais jovens o que é o Corinthians, passei um pouco de emoção e acho que consegui passar aos jogadores e todo mundo que viu depois, foi muito emocionante. Mas é aquela coisa: Corinthians é muito grande e muito diferente".

MELHOR MOMENTO DESDE 2013
"2013 foi especial mesmo, fui campeão da Libertadores e cheguei à Seleção. Mas hoje é um momento mágico, porque vivo uma outra vida, uma referência como pessoa e jogando me sinto mais leve, não me sinto tão sobrecarregado, a forma física atingiu o ideal. Sem dúvida é um dos meus melhores momentos".

ATUAÇÃO FORA DE CAMPO
"Minha vinda no fim do ano me fez enxergar algumas coisas no elenco, então procurei passar quais foram as dificuldades do ano passado, algumas faltas de atitude, perdiam confiança muito rápido. Procurei resgatar a raça do Corinthians, atitude, de dar carrinho, de marcar, de correr. O Fábio também foi feliz em colocar isso na cabeça de alguns jogadores, psicológico é fundamental também".

1977
"Da minha família ninguém esteve presente, mas todos comemoraram aquele título. Conheço a história por reportagens, pela TV, é uma história emocionante, porque era um jejum muito grande de títulos e sabemos como é bom ganhar títulos pelo Corinthians. É uma história bonita, bacana, mas agora queremos fazer nossa história, temos a oportunidade de construir a nossa".

DESVANTAGEM DO LADO DA PONTE
"Já passei por situações de conseguir reverter e algumas difíceis, no caso da Libertadores com o Galo, que sempre tomávamos 2 a 0 fora e revertíamos em casa. A motivação é muito grande. Não sei se é esse o modo de trabalhar do Kleina, mas vai mostrar viradas históricas, que tudo é possível. Aqui temos exemplos que se houver dedicação e bom futebol podemos conseguir o título. Mas tenho certeza que lá eles vão buscar se não o título, pelo menos vencer".

ARTILHARIA DO CORINTHIANS NO ANO
"Sempre deixei claro que o mais importante é ajudar o Corinthians. O Rodriguinho vive um momento bom, nos ajuda bastante, mas eu sou cobrado por fazer gols em clássicos, e a Ponte virou um clássico também. Estou focado no meu trabalho, no que tenho que fazer e no mais importante, que é conquistar um título".














Jô brinca sobre artilharia e melhor do Corinthians: “Fico feliz se for”

04/05/2017 18:27:02

Centroavante tenta coroar bom início de trabalho neste domingo (Foto: Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)



O centroavante Jô tem sua imagem ligada diversas vezes ao processo de reconstrução pelo qual passou o Corinthians entre 2016 e 2017, semelhante ao que ele próprio enfrentou para ser titular da equipe que tem boas chances de ser campeã paulista no domingo, frente à Ponte Preta, no estádio de Itaquera. Mesmo mantendo o discurso de humildade e louvação a Deus a cada resposta, porém, o jogador admitiu que gostaria de ser considerado o melhor jogador da equipe na competição.

“(Risos). Deixo para o pessoal que tem que escolher. Por mim, eu escolheria o grupo todo”, começou o jogador, se esconder o riso a cada vez que tentava disfarçar sua vontade de receber o prêmio distribuído. “É muito difícil falar assim. É bacana porque a humildade é a essência, mas, se eu puder ganhar, fico feliz”, concluiu, enfim, o camisa 7, que ainda tenta assumir a artilharia do clube na temporada.

Com sete gols marcados atualmente, ele tem o mesmo número de tentos do meia Rodriguinho, que está suspenso devido ao terceiro cartão amarelo. No Paulista, porém, ele já tem essa condição praticamente garantida, com seis gols contra quatro do armador. Na decisão, no entanto, ele ainda não deixou sua marca, apesar da boa partida feita no Moisés Lucarelli com passes e proteção da bola.

“O mais importante é ajudar o clube. Rodriguinho está jogando muito, ajudando a gente. Claro que sempre cobram do atacante fazer gol, tão até falando que a Ponte é clássico para ver se eu faço gol (risos). Eu acho legal isso aí, mas estou mais focado em ajudar o clube mesmo”, observou, reconhecendo que a vantagem deixou a semana de trabalho mais tranquila do que o normal para uma véspera de decisão.

Ciente disso, Jô foi apontado pelo técnico Fábio Carille como um dos responsáveis por ajudar na motivação do elenco, evitando o clima de “já ganhou”. Para isso, as lembranças diárias sobre a dificuldade em alcançar a decisão são vistas como essenciais no trabalho psicológico do elenco, principalmente com os mais jovens.

“Você construir um 3 a 0 numa final deixa o ambiente mais leve, né. Você vê muita descontração, mas não só eu como os outros mais experientes procuramos trabalhar no psicológico. Sabemos que o ser humano acaba relaxando, mas tenho certeza que esse grupo, por tudo que passou, não vai deixar cair essa peteca”, avaliou, enchendo elogios os companheiros.

“Eu me sinto muito privilegiado de trabalhar com um grupo desse, que soube receber as críticas. Foram naturais, pelo que passou em 2016, eu também soube trabalhar, mas eu me sinto só mais um. Todos trabalharam igual. Espero no final do ano falar que a equipe foi bem esse ano, que ganhamos os títulos, mas até o momento estamos bem. Estamos de parabéns, me sinto muito feliz por dar o respaldo necessário”, concluiu.




Jô garante busca pela vitória no jogo de volta: "Ninguém quer ser derrotado para ser campeão."

Atacante do Timão também relembrou o passado corinthiano ao falar sobre a identificação que tem com o clube


18h00 04/05/2017 - Agência Corinthians






Divulgação
Após o treino desta quinta-feira (04), o atacante Jô concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa do CT Dr. Joaquim Grava. Um dos mais experientes e um dos lideres do elenco, o camisa sete alvinegro falou sobre a concentração da equipe para a partida de volta para sair de campo com mais uma vitória, mesmo que o empate seja suficiente para o Timão ser campeão.

"Construir um placar de 3 a 0 na final deixa o ambiente mais leve, você vê muita descontração. Mas os mais experientes como eu procuram trabalhar o psicológico. É um jogo após o outro. Tem de ganhar o jogo, jogar bem, diante da nossa torcida. Ninguém quer ser derrotado para ser campeão. Queremos, se possível, ganhar para nossa torcida", disse o jogador.

Formado nas categorias de base e atleta mais jovem na história a atuar pelo Corinthians, Jô admite ser especial a possibilidade de conquistar títulos no clube que nasceu. Ao ser perguntado sobre a identificação que tem com o Timão, o atacante foi direto.

"Antes de ser jogador profissional, eu ia nos jogos, estava na arquibancada, às vezes na organizada, outras vezes em outro setor. Sei o que o torcedor passa. E sei depois o que é jogar no Corinthians, me tornei profissional aqui, passei por momentos bons e ruins. Sei o que representa essa camisa. Tentei passar um pouco do que é o Corinthians", completou Jô.

Antes da partida decisiva pelo Paulistão 2017, o Corinthians ainda realiza dois treinos no CT Dr. Joaquim. No domingo, a equipe alvinegra vai em busca do 28º título estadual da história do clube.























Arena Corinthians terá lotação dos espaços corporativos na final do Paulistão

Ao todo, serão mais de duas mil pessoas nos setores corporativos


17h40 04/05/2017 - Agência Corinthians


A final do Paulistão entre Corinthians e Ponte Preta, 40 anos depois do histórico título de 1977, disputados entre as mesmas equipes, será o centésimo jogo do Timão na Arena Corinthians e, também, a primeira decisão da história da casa corinthiana. Por isso, não só as arquibancadas, mas também as áreas corporativas da Arena estarão lotadas na finalíssima.

Os 89 camarotes da Arena Corinthians, localizados no quinto e sexto andares do prédio oeste, estarão ocupados na decisão. Isso inclui os espaços que já estavam comercializados para a temporada e os camarotes vendidos no pacote, com ou sem mídia. Da mesma forma, os 600 lugares do Business Lounge, incluindo assentos com contrato anual e outros, comercializados para a final, serão utilizados. Ao todo, serão mais de duas mil pessoas nos setores corporativos.

Repetindo a fórmula utilizada na semifinal, contra o São Paulo, a equipe comercial do estádio disponibilizou ao mercado pacotes que envolviam espaços premium e propriedades de mídia, para interessados em expor suas marcas nos telões, painéis de LED e televisores dos camarotes e banheiros da Arena. No domingo, mais de 10 marcas terão exposição nas mídias do estádio.

A enorme procura por ingressos fez, ainda, com que os sócios do programa Fiel Torcedor esgotassem as reservas para a final do Paulistão em apenas 45 minutos.

Interessados em adquirir espaços corporativos na Arena Corinthians para o Campeonato Brasileiro podem entrar em contato pelo e-mail comercial@arenacorinthians.com.br ou telefone (11) 3152-4056.

Os pacotes de mídia podem ser adquiridos a partir de R$ 6.400 por jogo. Já os assentos do Business Lounge são comercializados a R$ 10 mil e os Camarotes a partir de R$ 250 mil por ano, todos incluindo ingressos, serviço premium de alimentação e bebida e vagas no estacionamento.















Camacho varia posicionamento, mas treina de novo como titular no Timão


Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians

Imagens do treino desta quinta-feiraDaniel Augusto Jr./Ag.Corinthians1/13

Gabriel Carneiro - 04/05/2017 - 18:10
Sem contar com os suspensos Gabriel e Rodriguinho no segundo jogo das finais do Campeonato Paulista contra a Ponte Preta, o técnico Fábio Carille praticamente esclareceu as dúvidas no treinamento desta quinta-feira, no CT Joaquim Grava. No dia anterior, o treinador confirmou Paulo Roberto na primeira vaga, mas manteve dúvida na segunda, entre Camacho, Clayton e Léo Jabá. Agora a dúvida parece solucionada: Camacho treinou pelo segundo dia consecutivo como titular e deve iniciar a partida na Arena Corinthians.

Se a peça já parece definida, nesta quinta-feira nasceu uma incerteza em relação ao posicionamento do camisa 29. Em vez de atuar centralizado na segunda linha de quatro do 4-1-4-1, Camacho treinou por bastante tempo na ponta direita, com Jadson deslocado para o centro. A formação foi a seguinte: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Paulo Roberto; Camacho, Maycon,Jadson e Romero; Jô.

Também pelo segundo dia seguido, Fagner trabalhou como titular da lateral direita. O jogador está suspenso da partida contra a Ponte Preta, mas o Corinthians tem confiança na aprovação do pedido de efeito suspensivo na manhã desta sexta-feira e a opção de Léo Príncipe nem tem sido trabalhada. O reserva de Fagner atuou na seguinte formação no treino desta quinta: Walter; Léo Príncipe, Léo, Pedro Henrique e Moisés; Fellipe Bastos e Marciel; Léo Jabá, Pedrinho e Clayton; Kazim.


Carille comandou um treino técnico em espaço reduzido de 20 por 20 minutos, com titulares contra reservas. A atividade terminou empatada em 2 a 2, com gols de Romero e Jô para os titulares e Léo Jabá e Clayton para os reservas, que tiveram maior posse de bola e controle de ações durante o treino. Além dos 22 jogadores que trabalharam nesta atividade, outros estiveram no campo anexo: Matheus, Caique, Gabriel, Rodriguinho, Mendoza, Bruno Paulo, Ameixa, Rodrigo Figueiredo e Léo Artur.

Giovanni Augusto, Vilson e Mantuan tratam lesões, Danilo realizou um trabalho físico na parte interna, ainda em tratamento de lesão, e Marquinhos Gabriel foi liberado para acompanhar o nascimento de seu filho.











Fornecedora não produz camisa 2 em versão feminina e revolta corintianas



Nova camisa estreou na final do PaulistãoMarco Galvão/ Agência Lancepress!

Nova camisa estreou na final do PaulistãoAle Cabral/AGIF

LANCE! - 04/05/2017 - 15:38

Torcedoras do Corinthians se mobilizaram nas redes sociais buscando esclarecimentos do clube e da Nike, fornecedora de material esportivo do clube, sobre a ausência da nova camisa dois do Timão em versão feminina disponível para venda. O uniforme estreou no primeiro jogo das finais do Paulistão, contra a Ponte Preta, e fez muito sucesso entre os torcedores por conta do design. Para as torcedoras, porém, não há previsão de fabricação das mesmas camisas, o que gerou duas campanhas na internet: "#RespeitaAsTorcedorasNike" e "#RespeitaAsTorcedorasCorinthians".

A Nike confirma que não são produzidas camisas listradas em versão feminina, apenas a primeira, que é branca com uma listra preta. A empresa aponta uma "tendência de mercado" como razão para a decisão: "Ao longo dos anos a demanda do público feminino pelas novas camisas do Corinthians são preferencialmente pela camisa principal. Seguindo essa tendência de mercado, a nova segunda camisa não será comercializada no modelo feminino", diz a fornecedora de material esportivo do Corinthians.

No Facebook, uma página chamada "Movimento Toda Poderosa Corinthiana" critica a decisão da empresa: "Faz sentido para algum torcedor que em pleno 2017 a produção de camisas femininas seja interrompida, indo na contramão de todas as revindicações por direitos da ala feminina no futebol, com a (velha e desacreditada) desculpa da falta de demanda? Faz sentido para alguém que 52% da torcida do Corinthians (dados Ibope/2015) fique sem opção de compra?", questionam as torcedoras.

Na internet, um abaixo-assinado criado pela torcedora Ana Clara Leite já conta com quase mil apoiadores. Quando atingir a marca, a ideia é enviar as reclamações à ouvidoria do Corinthians e departamento de comunicação da Nike. Os novos uniformes foram lançados há 11 dias.












#Arena100Jogos: Jogos marcantes do Corinthians na casa alvinegra

Da primeira vitória a goleada sobre rival. Relembre jogos que ficarão por um tmepo na memória da Fiel


15h00 04/05/2017 - Agência Corinthians






Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians




Neste domingo (02), o Corinthians completará 100 jogos atuando dentro da Arena Corinthians, inaugurada em 2014. Nada melhor do que uma decisão para marcar o centésimo jogo da casa alvinegra. Pela final do Paulistão Itaipava, o Timão receberá a Ponte Preta às 16h.

Confira alguns dos jogos mais marcante do Timão na Arena:

Corinthians 2x1 Internacional

No dia 17 de julho de 2014, o Timão fez dois gols em 10 minutos de partida e bateu o Internacional por 2 a 1, em partida que marcou o primeiro triunfo corinthiano na Arena, após dois tropeços nos primeiros jogos, Guerrero e Jadson marcaramos gols do triunfo do Timão.

Corinthians 6 x 1 5P

Após garantir o sexto título nacional no empate com o Vasco em 1 a 1 em São Januário, o Corinthians recebeu o São Paulo na penúltima rodada do Brasileirão de 2015, no jogo da entrega da taça. Mesmo com o time reserva, o Timão não teve dó e aplicou uma história goleada sobre o rival do Morumbi, que segue sem vencer o Alvinegro em Itaquera.

Corinthians 6 x 0 Cobresal (CHI)

Na maior goleada da Arena até agora, o Corinthians massacrou a equipe do Cobresal (CHI), na última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores de 2016. De quebra, a partida teve um golaço do meia Marlone, que foi eleito o segundo gol mais bonito do mundo na temporada pelo prêmio Puskas da FIFA do ano passado.

Corinthians 2x1 Coritiba

Pelo Campeonato Brasileiro de 2016, o Corinthians perdia para a equipe parananese por 1 a até os 44 minuntos do segundo tempo. Debaixo de muita chuva, o Timão empatou no úlitmo minuto do tempo regulamentar e conseguiu a virada aos 50 da segunda etapa, explodindo a Arena Corinthians.

Corinthians 3x2 São Paulo

No primeiro duelo entre as equipes na Arena Corinthians, o Timão derrou o rival do Morumbi em jogo emocionante. Depois de ficar atrás no placar em duas oportunidades, a equipe alvinegra virou sobre o São Paulo com dois gols de Fábio Santos e um de Guerrero.

Corinthians 4 x 0 Once Caldas (COL)

Em partida tensa, com expulsão de Guerrero aos 27 minutos da primeira etapa, o Corinthians precisava vencer o Once Caldas para avanças à fase de grupos do Copa Libertadores de 2015. Com um golaço de Emerson Sheik logo no primeiro minuto, o Timão goleou a equipe colombiana por 4 a 0 e garantiu vaga na competição.










Corinthians espera ser notificado  para acertar atrasos em pagamentos de compras de 3 atletas


O Corinthians ainda tem que pagar parcelas por zagueiro Vilson, meia marlone e atacante kazim e aguarda ser notificado para entrar em acordo


O menor dos valores é do Hortolândia, já que Vilson foi adquirido no meio do ano passado por cerca de R$ 500 mil. Após pagar a primeira e a segunda parcela, o Timão não completou o valor devido desde agosto de 2016. No caso de Marlone, o montante é de R$ 1,7 milhão, referente aos 50% dos seus direitos econômicos. O Penapolense, que ajudou na engenharia financeira para adquirir o atleta junto ao Sport, a pedido do então técnico Tite, espera o pagamento há quase um ano.


No caso de Kazim, o acordo com o Coxa previa o pagamento de cerca de R$ 1,2 milhão como compensação financeira pela saída do turco, que demonstrou muita vontade de defender o Alvinegro, mas tinha vínculo com os paranaenses até o final desta temporada. Incomodado com a demora para a resolução do problema, apesar do diálogo frequente entre as partes, o time de Curitiba resolveu ir para a Justiça.


Em todos os casos, porém, é provável que as partes entrem em acordo para diminuir o valor em questão e determinar o pagamento de forma mais rápida. Caso o Tribunal de Justiça (TJ-SP) determine, porém, é possível que ativos do clube sejam penhorados para pagamento, como renda de jogos ou cotas de patrocínio. O Timão, no entanto, ainda não foi notificado pelos processos.

















Até jogadores do Corinthians sofrem para conseguir ingressos para final



Arena Corinthians estará cheia no próximo domingo, na decisão(Foto: Divulgação/Corinthians)

Arena Corinthians estará cheia no próximo domingo, na decisão(Foto: Agência Corinthians)

Arena Corinthians estará cheia no próximo domingo, na decisão(Foto: Maurício Rummens/Fotoarena/Lancepress!)

Arena Corinthians estará cheia no próximo domingo, na decisão(Foto: Daniel Augusto Jr)

Arena Corinthians estará cheia no próximo domingo, na decisãoDivulgação

Bruno Cassucci - 04/05/2017 - 06:30

Não são apenas os torcedores do Corinthians que estão enfrentando dificuldades para conseguir ingresso para a final do Campeonato Paulista, domingo, contra a Ponte Preta, na Arena. Os próprios jogadores do clube têm sofrido para garantirem entradas para amigos e familiares na decisão em Itaquera.

Cada atleta tem direito a apenas três bilhetes por partida. O número costuma satisfazer o elenco, mas na decisão a demanda está bem maior. Para se ter ideia, um atleta (cujo nome não foi revelado) chegou a pedir 30 ingressos para o jogo de domingo.

- Eu já falei para os meus amigos, tem muito pedido, todo mundo está querendo ingresso. Se eu arrumar, vou aparecer lá no bairro e fazer uma distribuição - contou o lateral-esquerdo Guilherme Arana.


A diretoria alvinegra consultou os jogadores para saber quantas entradas extras cada um precisa para domingo. Nem todos os pedidos serão atendidos, mas o clube se esforça para agradar a todos. Os atletas também precisam pagar por esses bilhetes a mais.

Os ingressos para a Fiel torcida se esgotaram em menos de uma hora na última semana. A carga total é de 45 mil entradas e ainda restam lugares em camarotes, cadeiras e espaços corporativos, que são vendidos pelo departamento comercial do clube.

- É muito legal você ser campeão na frente da sua torcida. Sabemos que todos os ingressos foram vendidos, até para nossos familiares está difícil conseguir ingresso - disse o goleiro Cássio.

- Tem amigo querendo ir. Quando eu não estava bem não chamava, agora chamam. Todo mundo quer estar perto, mas a gente dá preferência a quem estava na hora boa e da derrota. Está difícil, mas vai dar para todo mundo ir no jogo - completou o camisa 12.

Há a expectativa de que a Arena atinja seu recorde de público, que atualmente pertence a Corinthians 6x1 5P , em novembro de 2015, quando o Timão ergueu a taça de campeão brasileiro. 44.976 pessoas pagaram ingresso na ocasião.


















Camacho pode se reerguer no Corinthians

04/05/2017 08:17:39


Meio-campista perdeu o pai e a vaga no time titular, mas deve começar a final (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

O volante Camacho terminou 2016 como uma das poucas boas novidades do Corinthians e entrou com bastante expectativa na atual temporada. Após a Copa Flórida, porém, perdeu a posição de titular para Fellipe Bastos ainda na pré-temporada e, quando teria suas primeiras chances, sofreu com a perda do pai, Anízio Camacho, abalando bastante o seu psicológico. Agora, diante da ausência de Rodriguinho, pode ser titular da equipe na final do Campeonato Paulista, neste domingo, contra a Ponte Preta, em Itaquera, e tenta se reerguer no Timão.

A tragédia que devastou a família do corintiano se deu no dia 19 de fevereiro. Naquela ocasião, Anízio estava com a mãe e o irmão do atleta em um elevador na residência da família, no Rio de Janeiro, quando o equipamento acabou desabando e ele não resistiu aos ferimentos. A mãe e o irmão do atleta, que é cadeirante e foi o motivo da instalação de um elevador na casa, recuperaram-se dos ferimentos e são parte importante na recuperação psicológica do jogador.

Além deles, outras duas pessoas são vistas como fundamentais por pessoas próximas no reerguimento do meio-campista: a mulher, Vanessa, e o filho Rodrigo, que fez um ano de vida na última segunda-feira. “Que Deus possa te abençoar cada vez mais e que continue me dando a força que preciso para seguir em frente”, disse o jogador na legenda da foto em que comemorava a data.

Essa, aliás, foi a primeira imagem compartilhada pelo atleta desde a perda do pai, algo que motivou muitas mensagens de carinho dos companheiros ao jogador. A maior delas se deu em uma faixa estendidas. “Força, Camacho” dizia o informe
Camacho, por sinal, possivelmente seria titular naquela partida, seguindo o exemplo do que ocorreu com o centroavante Kazim. Membro da equipe inicial pela primeira vez em jogos oficiais diante do Audax, no sábado, dia 18 de fevereiro, Camacho teve boa atuação, dando o passe para o gol do turco. Com isso, colocou uma dúvida na cabeça de Carille a respeito da função de segundo volante, ainda ocupada por Bastos naquela ocasião.

Com a sua liberação para recuperar-se da perda, porém, o meio-campista viu Maycon, até então a serviço da Seleção sub-20, ser alçado ao posto de titular pelo comandante no Derby e, a partir dali, não perdê-lo mais. Quase três meses depois, Camacho tenta recuperar esse espaço perdido.

A despeito da parte emocional, o técnico Fábio Carille vê no jogador a possibilidade de um controle maior da posse de bola, voltando ao esquema 4-1-4-1. A ideia é não deixar a Macaca impor pressão no ataque dentro da Arena Corinthians, aproveitando a boa qualidade de passe do meio-campo, principalmente com a ajuda da dupla Maycon e Jadson.

“O Rodriguinho chega mais na área, Camacho é um jogador que roda bem a bola, são características diferentes. Infelizmente a gente não pode contar com Rodriguinho nem com o Gabriel. Esperamos contar com o Fagner, mas tem que ver a força do grupo. Quem o professor optar por jogar vai fazer um grande jogo”, comentou o goleiro Cássio.

A confirmação da presença de Camacho só sairá entre sexta-feira e sábado, quando Carille costuma separar os seus titulares para trabalhos específicos de posicionamento e bola parada. O concorrente mais forte pela vaga é Clayton, que deixaria o time mais ofensivo, mas o avante deve ser apenas opção para o segundo tempo.