30 de abr de 2017

CORINTHIANS 30/04/2017





pp 0x3 CORINTHIANS


FICHA TÉCNICA
pp 0 X 3 CORINTHIANS
​Paulistão 2017 ida final
Local: estádio Moisés Lucarelli, Campinas
Data-Hora: 30/4/2017 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Alex Ang Ribeiro e Luiz Alberto Andrini Nogueira
Público/renda: 16.048 pagantes, 17.322 torcedores / R$ 655.220,00
Cartões amarelos: Renato Cajá (PON), Rodriguinho e Gabriel (COR)
Cartões vermelhos: -
Gols: Rodriguinho 14' 1ºT (0-1); Jadson 13' 2ºT (0-2); Rodriguinho 34' 2ºT (0-3)

pp: 1-Aranha; 2-Nino Paraíba, 4-Yago (15-Kadu - 14' 2ºT), 3-Fábio Ferreira e 6-Reynaldo (14-Artur - intervalo), 5-Fernando Bob, 8-Elton e 10-Jadson (20-Renato Cajá - intervalo); 7-Clayson, 11-Lucca e 9-William Pottker. Técnico: Gilson Kleina + 12- João Carlos, 23  Ivan, 13-Jeferson, 15 Kadu 16 Naldo 17-Wendel 18-Fabio Braga 19-Ravanelli 21- Lins, 22-Yuri, 


CORINTHIANS: 12-Cássio; 23-Fagner, 4-Balbuena, 3-Pablo e 13-Guilherme Arana; 5-Gabriel (28-Paulo Roberto 16' 2ºT) e 30-Maycon (29-Camacho 36' 2ºT); 77-Jadson (9-Clayton 31' 2ºT), 26-Rodriguinho e 11-Romero; 7-Jô. Técnico: Fabio Carille. + 27-Walter, 34-Pedro Henrique, 2-Léo Príncipe, 22-Marciel, 21-Fellipe Bastos, 31-Marquinhos Gabriel, 38-Pedrinho, 37-Léo Jabá, 18-Kazim








Quase lá! Corinthians faz 3 a 0 na Ponte em Campinas, e põe a mão no título paulista

Com atuação impecável diante de uma Ponte Preta apática e frágil, Timão vence com dois de Rodriguinho e um de Jadson, e tem grande vantagem para decisão na Arena Corinthians


Por GloboEsporte.com,
30/04/2017 17h57

O campeão de 1977 tem tudo para se repetir. O sofrimento não. O Corinthians venceu a Ponte Preta por 3 a 0, no Moisés Lucarelli, e ficou muitíssimo perto do título paulista de 2017. No próximo domingo, poderá até perder por dois gols de diferença em sua arena, e ainda assim será campeão. Rodriguinho, o melhor em campo, fez dois. Jadson marcou o outro.


O Corinthians fez a Ponte ser coadjuvante do primeiro ao último minuto. Dominada, controlada. Em ótima atuação, na medida exata entre a frieza necessária para encarar a pressão no campo do rival e a pegada que uma decisão exige, o Timão ditou o ritmo exatamente como queria.



Rodriguinho comemora primeiro gol do Corinthians, em Campinas (Foto: Marcos Ribolli)


Jô não fez gols, mas foi essencial. No primeiro gol, ganhou de Fábio Ferreira pelo alto, após tiro de meta de Cássio, se posicionou, recebeu de Romero e deu um lindo passe para Rodriguinho fazer 1x0. O meia estava dentro da área para finalizar, posicionamento que repetiu mais duas vezes no primeiro tempo, numa cabeçada defendida por Aranha e num chute por cima. Mérito tático.

A má notícia para o Corinthians no primeiro tempo foram os cartões amarelos de Rodriguinho e Gabriel, que não jogarão a finalíssima na Arena Corinthians. Outros seis companheiros estavam pendurados, mas não foram advertidos e estão liberados para atuar: Fagner, Guilherme Arana, Maycon, Jadson, Romero e Jô.

A Macaca só foi perigosa em cobranças de escanteios, que se repetiram, mas não foram eficazes. O sol atrapalhou mais o goleiro do Timão do que as finalizações anfitriãs.



Jô teve ótima atuação, apesar de não ter feito gols (Foto: Marcos Ribolli)

A Ponte voltou com jogadores diferentes no segundo tempo – Renato Cajá e Artur –, mas o jogo foi igual. Tentativas descoordenadas contra controle de jogo. Se marcado, Rodriguinho já estava impossível, livre então... Ele recebeu na esquerda, passou por Fernando Bob, que evitou a falta, e Yago, lesionado no instante do lance, e abriu para Jadson, que bateu de primeira, no cantinho: 2x0.

Aos berros, Gilson Kleina tentava motivar seu time. Fábio Carille estava mais preocupado em preservar seus protagonistas. Tirou o pendurado Jadson, mas deixou Rodriguinho em campo para aproveitar um vacilo inacreditável da defesa da Ponte Preta. Fagner cobrou lateral na área, a bola pingou, ninguém afastou, e o meia cabeceou: 3x0.

É gigantesca a probabilidade de título do Corinthians, em contagem regressiva até a taça. A Ponte Preta tenta manter um fiapo de esperança de conquistar, em uma semana, o primeiro título de seus quase 117 anos de história.








Carille define o substituto de Gabriel e abre alternativas para a vaga de Rodriguinho

Paulo Roberto ficará com a vaga de Gabriel, suspenso. Mais à frente, técnico deve mexer na posição de Jadson e apostar num velocista. Situação de Fagner também preocupa




Por Diego Ribeiro e Marcelo Braga

30/04/2017 19h28
Fábio Carille matou 50% das dúvidas sobre a provável equipe do Corinthians na grande decisão do próximo domingo, na Arena Corinthians, contra a Ponte Preta.

Com as suspensões de Rodriguinho e Gabriel na vitória do Timão por 3 a 0 diante da Macaca em Campinas, nesta tarde, o técnico anunciou que Paulo Roberto será o substituto do volante marcador. Mais à frente, porém, haverá disputa ao longo da semana.



Rodriguinho abraça Gabriel: dupla suspensa na finalíssima (Foto: Werther Santana/Estadão Conteúdo)

– Posso manter o Jadson pelo lado e colocar alguém no lugar do Rodriguinho ou trazer o Jadson para o meio e usar dois de velocidade – destacou o treinador.

A principal possibilidade deve ser a mudança de posição de Jadson, trazendo o jogador para a faixa central da linha de três ofensiva do esquema 4-2-3-1. Com isso, um jogador de contra-ataque pode ser escalado no lado oposto ao de Romero. Clayton, que entrou no segundo tempo do jogo em Campinas, larga na frente. O técnico conta ainda com Pedrinho, Léo Jabá e Marquinhos Gabriel.

De folga nesta segunda-feira, o Timão inicia a sua preparação para a grande final na terça. Fagner, que será julgado no TJD-SP nesse dia por agressão a Cueva na semifinal, também pode ser um desfalque de última hora. Caso seja impedido de atuar, o jovem Léo Príncipe será titular.












Na vitória do Corinthians por 3x0 fora de casa, Rodriguinho e Gabriel levam terceiro amarelo e estão fora da finalíssima

Atletas 'contrariaram' instruções de Fábio Carille, foram advertidos em lances bobos e cumprirão suspensão na final na Arena Corinthians. Paulo Roberto e Camacho devem ser titulares




Herói com dois gols e assistência, Rodriguinho está fora da finalíssima na Arena Corinthians (foto: Marcello Fim/Raw Image)

LANCE!
30/04/2017
18:10

O Corinthians venceu a Ponte Preta por 3 a 0 e saiu na frente da decisão do Paulista, mas Fábio Carille terá que ajustar o time para a finalíssima na Arena Corinthians. Dois jogadores que estavam pendurados receberam o terceiro amarelo neste domingo e cumprirão suspensão no duelo decisivo em Itaquera: o meia Rodriguinho, autor de dois gols e uma assistência em Campinas, e o volante Gabriel.

A dupla foi amarelada em lances bobos no primeiro tempo, quando o Timão já estava em vantagem no placar, contrariando a instrução de não levar advertências desnecessárias. Pagarão o preço: serão apenas expectadores da final. Camacho e Paulo Roberto, acionados no segundo tempo em Campinas, devem ser os escolhidos para ocupar as vagas.

Também estavam pendurados Fagner, Guilherme Arana, Maycon, Jadson, Romero, Jô e o reserva Léo Jabá, mas estes atletas conseguiram passar impunes e estarão aptos para atuar no jogo que vale a taça, dia 7 de maio.






Corinthians tem dois suspensos para o jogo de volta contra a Ponte Preta

Rodriguinho e Gabriel levam terceiro cartão amarelo no primeiro tempo e estão fora da segunda partida da final do Campeonato Paulista, na Arena Corinthians, no domingo que vem

Por GloboEsporte.com,
30/04/2017 16h46
Dos oito corinthianos que entraram pendurados em campo neste domingo, na vitória corinthiana por 3x0 sobre ponte, dois receberam o terceiro cartão amarelo ainda no primeiro tempo e estão suspensos da segunda partida da final do Campeonato Paulista.

Após a vitória por 3 a 0 em Campinas, o Timão leva essa grande vatagem para a Arena Corinthians, para chegar ao seu 28º título estadual

O meia Rodriguinho e o volante Gabriel, advertidos antes do intervalo, cumprirão suspensão automática daqui a uma semana, na Arena Corinthians, . De acordo com Paulo Cesar de Oliveira, comentarista de arbitragem da TV Globo, os cartões foram corretos.

– Difícil. Fiquei muito chateado. Perder uma final em casa, o sentimento é de tristeza, mas temos que fazer o máximo agora nesse segundo tempo para sair com uma boa vantagem – lamentou Rodriguinho, no intervalo, a caminho do vestiário.



Rodriguinho e Gabriel serão desfalques para o Corinthians na decisão (Foto: Marcos Ribolli)

Os outros seis titulares com dois cartões eram Fagner, Guilherme Arana, Maycon, Jadson, Romero e Jô. Além deles, também está pendurado Léo Jabá, opção para o técnico Fábio Carille no banco de reservas.




Atuações do Corinthians: em tarde de gala, Rodriguinho deixa time perto da taça

Com dois gols e uma assistência, meia define vitória por 3 a 0 sobre a Ponte Preta e praticamente assegura título do Timão. Jadson, Pablo e Jô colaboram




Por Diego Ribeiro e Marcelo Braga,

30/04/2017 18h04
Rodriguinho
Dois gols e uma assistência, em decisão, e fora de casa. O meia cresceu no jogo deste domingo, cumpriu bem seu papel de carregar a bola ao ataque e aparecer como surpresa na área – como no lance do primeiro gol. Depois, sozinho, desmontou a zaga da Ponte e deu o segundo gol para Jadson. Ainda fez o terceiro, de cabeça. Atuação memorável e gigante. O único porém é o cartão amarelo, terceiro, que o tira do jogo de volta. Nota: 9



Jadson
Mesmo discreto, foi decisivo ao fazer o gol que daria tranquilidade ao Corinthians até o fim do jogo. Aberto pelo lado direito, conseguiu também armar jogadas e deixar os companheiros na cara do gol. Nota: 7,5


Pablo
Outro que teve atuação gigante na primeira partida da final. Não perdeu uma disputa sequer pelo alto e, em dois lances, evitou gols da Ponte Preta ao mostrar arranque suficiente para alcançar os rivais e travar os chutes. Ajudou a arrumar a defesa em 2017. Nota: 8



O rei dos clássicos não fez gol, mas exerceu função tática importante no ataque. Segurou a bola no último terço do campo, movimentou-se pelas pontas para atrair a marcação, ganhou disputas pelo alto e deu assistência para o primeiro gol de Rodriguinho. Nota: 7



Rodriguinho marcou dois gols neste domingo (Foto: Marcos Ribolli)


Veja todas as notas:


Cássio [GOL]: 6,5
Fagner [LAD]: 6,5
Balbuena [ZAG]: 6,5
Pablo [ZAG]: 8
Guilherme Arana [LAE]: 6,5
Gabriel [VOL]: 6
(Paulo Roberto [VOL]): 6,5
Maycon [VOL]: 6,5
(Camacho [VOL]): sem nota
Jadson [MEC]: 7,5
(Clayton [ATA]): 6
Rodriguinho [MEC]: 9
Romero [ATA]: 6,5
Jô [ATA]: 7







Rodriguinho diz que 3º cartão o estimulou na final: "Tentei fazer tudo agora"

Autor de dois gols e uma assistência na vitória por 3x0 sobre a Ponte Preta, meia, que está suspenso para a decisão em Itaquera, admite surpresa com vantagem tão grande na casa do rival



Por Diego Ribeiro e Marcelo Braga,

30/04/2017 18h16

Destaque do Corinthians no primeiro jogo, desfalque no segundo. Autor de dois gols e uma assistência para Jadson, o meia Rodriguinho levou o terceiro cartão amarelo e não enfrentará a Ponte Preta na finalíssima do próximo domingo, em Itaquera. A advertência estimulou o jogador a ter uma excelente atuação e ser o melhor da vitória por 3 a 0, em Campinas


Os gols de Ponte Preta 0 x 3 Corinthians no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista


– Foi o pensei quando tomei o amarelo. Já que vou ficar fora do outro jogo, tenho que tentar fazer tudo agora. Graças a Deus, fui abençoado e consegui fazer uma bela partida – afirmou Rodriguinho, que admitiu ter feito seu melhor jogo com a camisa alvinegra.

– Pela importância, foi minha melhor atuação com a camisa do Corinthians. Mas, se eu me der nota 10, vou parecer prepotente (risos) – comentou, mais tarde, antes de manter cautela quanto ao desfecho da decisão estadual, no próximo domingo.

– Resolvido ainda não está, temos que respeitar, mas está bem encaminhado. Nem nos nossos melhores pensamentos imaginamos uma vitória tão elástica.






Rodriguinho comenta a sua atuação e a do Corinthians em Campinas: "Eu não imaginava tanto"

Um dos melhores jogadores da equipe no Campeonato Paulista, Rodriguinho também destacou a importância de Jadson para turbinar o desempenho ofensivo ao longo da competição.
– A equipe marcava poucos gols no começo, mas estava ganhando e isso era importante. Crescemos num momento muito bom, estamos conseguindo chegar bastante à frente nos jogos decisivos. A chegada do Jadson ajudou muito também. Estamos marcando mais gols no momento certo – analisou.

Além de Rodriguinho, outro suspenso para a decisão da semana que vem é o volante Gabriel. O Corinthians leva para sua casa Arena Corinthians essa grande vantajem de 3 gols de diferença.






Carille promete semana mais séria do ano no Timão mesmo com grande vantagem
Técnico diz que fará mais cobranças do que nunca em razão da vantagem de 3x0


Por Diego Ribeiro e Marcelo Braga,
30/04/2017 19h16

Basta uma vitória convincente do Corinthians e o papo de "quarta força do estado" reaparece. O rótulo que se espalhou no início do ano está cada vez mais desmentido, ainda mais depois da vitória por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, na primeira partida da final do Campeonato Paulista, em Campinas.

– Nós nos fechamos e trabalhamos. Procurei olhar no olho de cada um e falar a verdade. Todo mundo gosta de escutar a verdade. Errei algumas vezes na questão da montagem, mas o jogo nos mostra algumas coisas – afirmou o técnico



Fábio Carille (à dir.) trabalha no banco ao lado do auxiliar Osmar Loss (Foto: Marcos Ribolli)


– O que me fortalece é o dia a dia. Não fico pensando no Campeonato Brasileiro, na Sul-Americana, eu penso no amanhã. Em que posso ser melhor, como posso melhorar minha equipe? E assim vai ser na minha carreira.

Com enorme vantagem para o jogo derradeiro na Arena Corinthians, no próximo domingo, o treinador disse que o trabalho ao longo da semana será mais sério do que nunca, justamente para evitar qualquer possibilidade de relaxamento ou desrespeito à Ponte Preta, que precisa devolver uma vitória por três gols de diferença, na arena corintiana, para levar a final aos pênaltis.

– Deixei claro, no dia 22 de dezembro, quando fui oficializado como técnico, que seria um time de muita entrega, que nos faltou ano passado, e organização. Nunca prometi títulos nem vou prometer, mas o torcedor pode esperar um time muito determinado. Essa será a semana em que mais farei cobranças para que seja séria.







Ainda sobre entrega, Carille falou em DNA corinthiano. Sem pudores, disse que ainda busca aprimorar a parte ofensiva do time, mas que a marcação jamais deixará de ser prioridade.

– Essa questão da entrega é um pouco o DNA corinthiano, e isso estou conseguindo resgatar. Esse vai ser o Corinthians, marcando forte, muitas vezes jogando por poucas bolas, mas muito determinado.
























Estatísticas de Ponte 0x3 Corinthians
NÚMEROS GERAIS DE PONTE PRETA 0X3 CORINTHIANS:
– Dados Footstats
Posse de bola do Corinthians: 47%
Finalizações certas do Corinthians: 6
Cruzamentos certos do Corinthians: 5
Passes certos do Corinthians: 320
Lançamentos certos do Corinthians: 25
Desarmes certos do Corinthians: 12












Suspensão inspira Rodriguinho a fazer sua 'maior atuação' pelo Timão

Meia recebeu terceiro amarelo ainda na primeira etapa, depois de abrir o placar no Moisés Lucarelli. Sabendo que estaria fora da finalíssima, se inspirou, brilhou e encaminhou a taça

Veja as imagens de Ponte 0x3 Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!

Veja as imagens de Ponte Preta x Corinthians
Divulgação
LANCE!
30/04/2017
19:42

- Individualmente foi uma grande noite na minha vida. A gente sempre imagina o melhor, mas nunca imagina tanto, né (risos).

Foi assim que Rodriguinho definiu a atuação de gala na vitória do Corinthians por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, pelo jogo de ida das finais do Campeonato Paulista. Autor de dois gols e de uma assistência para Jadson, o meio-campista abriu o placar ainda no primeiro tempo, pouco antes de receber o terceiro amarelo que o tirará do duelo de volta na Arena Corinthians, dia 7 de maio.

Os números de hoje tornam Rodriguinho o jogador que mais participou de gols do Corinthians na temporada: sete gols e quatro assistências, superando Jô com uma assistência a mais que o atacante. Assim, Rodriguinho participou de 11 dos 29 gols do Timão em jogos oficiais nesta temporada.


De acordo com o meia, saber ainda antes do intervalo que não poderia estar em campo na decisão diante da torcida foi a motivação para crescer ainda mais na etapa complementar.

- Fiquei muito triste, ainda mais na hora que aconteceu. Eu estava muito concentrado em não levar o cartão. Final de campeonato, com a nossa torcida, queria estar presente. Vou estar, mas não da forma que eu queria. Depois tive que retomar a concentração ali. Aí pensei, se eu não vou jogar lá, tenho que fazer uma coisa diferente aqui - afirmou o meia, que protagonizou boa jogada individual para deixar Jadson na cara do gol, fez mais um para fechar a conta e ajudou a encaminhar o 28º título estadual do Timão.

- Jogar a final em casa seria especial para mim. Lutei para estar no Corinthians, vivendo um momento como esse. Coloquei a cabeça no lugar e, já que não vou jogar a final, quis fazer o máximo no segundo tempo. Foi a maior atuação no Corinthians, até pela final de campeonato. Poder colaborar muito com o título.

Além do meia, o volante Gabriel também recebeu o terceiro amarelo e não jogará em Itaquera - Camacho e Paulo Roberto devem ser os titulares. Apesar de chateado por não jogar a finalíssima, Rodriguinho relembrou o lance e achou que o árbitro Raphael Claus não errou.

- Eu perdi a bola, fui brigar por ela depois. Então tive que rever o lance, acho que ele poderia relevar como relevou em vários outros lances. Falei para ele (Raphael Claus) que a atuação dele foi muito boa, só não precisava me dar o amarelo (risos). Mas ele está de parabéns pela atuação e ele fez o que achou - disse o meia, cuja felicidade pela "maior atuação" que já teve com a camisa do Corinthians parece ter superado a tristeza pela ausência na decisão.

- Estou muito feliz, a gente provou, calou a boca de muita gente também. Não ganhamos nada ainda, mas demos um grande passo - completou.

Veja as principais respostas de Rodriguinho após o jogo:

A que se deve a superioridade do Corinthians no Moisés Lucarelli?
A gente entrou muito focado e concentrado no jogo. Estudamos a equipe da Ponte, sabíamos o que devíamos anular e que pontos poderíamos usar. Fábio (Carille) foi muito inteligente, desenhou nossa equipe de forma espetacular, por isso o domínio grande do jogo. Não sofremos sustos. Saímos na frente, a Ponte abriu espaços. Sabíamos que, quando as chances aparecessem, tínhamos que matar para levar vantagem para sua casa. Foi o que aconteceu.

Título está ganho?
​Primeiro temos que respeitar a Ponte, que tem uma grande equipe. Conseguimos anular eles na casa deles, fomos muito bem. Fomos o que a gente vem sendo no campeonato, uma equipe muito sólida, que consegue matar o jogo. Não ganhamos nada ainda. Temos um outro jogo diante da nossa torcida. Isso é muito importante. Mas sabendo que temos uma grande vantagem, lógico, mas sem perder a concentração.

Sobre o passe de Jô no primeiro gol e a importância de abrir logo o placar
Jô é um jogador excepcional, jogou Copa do Mundo, tem currículo invejável, jogador de muita qualidade. Quando não tivemos centroavante, sofremos. E ele está fazendo esse papel importante, com os mais jovens, passando sua experiência. Ele é muito importante, hoje conseguiu me achar ali com muita inteligência. Consegui passar. Se a gente fizesse um gol, facilitaria nosso trabalho porque a Ponte é muito rápida. Poderíamos diminuir os espaços deles. Sair na frente seria muito importante.

Ronaldo Fenômeno foi ao vestiário falar com os atletas antes do início do jogo. Que importância isso teve? Dá para comparar Rodriguinho com Ronaldo?
Se comparar com Ronaldo Fenômeno não tem jeito. Foi muito legal a presença dele aqui. Não só para a torcida, os brasileiros, para nós jogadores. Só a presença dele ali, motiva de uma forma muito legal. Chegou um pouquinho atrasado, dava para chegar um pouquinho antes e ficar com a gente. Se estivesse aqui iria pagar uma caixinha, né? (risos). Mas foi muito importante, motivacional. 










Ronaldo reforça torcida do Timão em vitória em Campinas e é exaltado: 'Pé quente'

Ex-atacante do Corinthians assiste ao jogo do camarote e vibra com a vitória sobre a Ponte Preta. 'É uma presença forte, um cara positivo, dá o impacto', agradeceu Fábio Carille

Ronaldo vê vitória do Corinthians em Campinas
(Foto: Divulgação)

Ponte Preta x Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!
Gabriel Carneiro
30/04/2017
19:13

O Corinthians contou com um ilustre torcedor neste domingo, em Campinas (SP): Ronaldo, duas vezes campeão do mundo pela Seleção e atacante do Timão entre 2009 e 2011. O ex-jogador teve um rápido contato com os corintianos antes da partida e foi elogiado pelo técnico Fabio Carille.

- Eu tive a oportunidade e o prazer de trabalhar com ele dois anos, em 2009 e 2010. Ele não falou nada, chegou no vestiário na hora em que estávamos saindo pelo túnel. Ele cumprimentou um a um e desejou boa sorte, só. Mas é uma presença forte, um cara positivo, dá o impacto. Agradeço por ele ter ido ao vestiário - afirmou o treinador, depois da vitória por 3 a 0.


No Twitter, o clube aproveitou para brincar com o ex-camisa 9, tratado como pé quente.


O @Ronaldo é pouco pé quente, hein? Tamo junto, Fenômeno!#UmPorTodos #TodosPorUm #VaiCorinthians


Os jogadores corintianos citam que a presença do ídolo teve importância motivacional. Mas Rodriguinho, destaque da vitória com dois gols e uma assistência, aproveitou para "puxar a orelha" do Fenômeno.

- Foi muito legal a presença dele aqui. Não só para a torcida, os brasileiros, para nós jogadores. Só a presença dele ali, motiva de uma forma muito legal. Chegou um pouquinho atrasado, dava para chegar um pouquinho antes e ficar com a gente. Se estivesse aqui iria pagar uma caixinha, né? (risos). Mas foi muito importante, motivacional - completou.






ATUAÇÕES: Brilhante Rodriguinho comanda Corinthians perfeito

Meia fez dois gols e deu passe para outro, de Jadson, em tarde sem erros do Timão na vitória por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, em Campinas

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Daniel Vorley/AGIF

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Divulgação

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!
LANCE!
30/04/2017
18:22

Perfeito. O Corinthians teve destaques em todos os setores e aniquilou uma Ponte Preta muito abaixo da média em Campinas. A vitória por 3 a 0 foi comandada por Rodriguinho, autor de dois gols e uma assistência. O meia foi o melhor em campo. Confira as notas do LANCE!:



6,0
Cássio
Bem protegido, praticamente não foi acionado. O gol de Rodriguinho que abriu o placar começo por um tiro de meta seu.

6,5
Fagner
Atuação segura, cobrindo bem seu lado sem precisar tomar o cartão que o suspenderia para a outra final. Ainda vai a julgamento na terça.

7,5
Balbuena
Não é à toa que a zaga foi o setor mais eficiente do time no campeonato. Partida impecável, com segurança e tranquilidade. .

7,5
Pablo
No mesmo nível do companheiro, com quem tem um entrosamento que beira à perfeição. Um dos grandes destaques do Estadual.

7,0
Guilherme Arana
Técnico, ágil, amadurecido. A boa participação em uma final reforça ainda mais seu potencial para se firmar como grande jogador do time.

6,0
Gabriel
Recebeu o cartão amarelo que o suspendeu para o segundo jogo, mas teve participação importante, combativa.

6,5
Maycon
Competitivo, com técnica, deu equilíbrio no meio de campo, mas sem participar tanto como de costume. Seguro.

9,0
Rodriguinho
Partida brilhante. Praticamente deu o título ao Corinthians em seu último jogo no campeonato. Dois gols e uma assistência. Que estrela!

8,0
Jadson
Técnico, habilidoso, esteve no momento certo e no lugar certo nas principais jogadas. Frieza para finalizar no gol.

6,5
Romero
Importante para o time, ajudando a fechar o forte lado direito da Macaca. Muitos não veem, mas contribui muito coletivamente.

7,0

Forte fisicamente, impressiona pelo modo como tem lido o jogo fazendo a parte. Participação decisiva no gol de Rodriguinho e na posse de bola.

6,0
Paulo Roberto
Entrou mordendo, mantendo a pegada no meio de campo. Com a suspensão de Gabriel, deve jogar a segunda final.

6,0
Clayton
Mais incisivo, mas com poucas oportunidades. Entrou quando o jogo já estava definido.

5,5
Camacho
Também entrou com a partida já definida e pegou pouco na bola. Surge como um dos possíveis substitutos de Rodriguinho.

7,5
Téc: Fábio Carille
Teve o dia mais feliz de sua carreira em Campinas. Seu time sobrou em tudo, com atuação coletiva impecável. Merece o título iminente.














'Como nossos pais': Corinthians goleia a Ponte e fica mais próximo do título

Passados 40 anos da histórica conquista que encerrou o jejum de títulos do Timão, goleada por 3 a 0 em Campinas encaminha a taça. Como diria Belchior, 'ainda somos os mesmos'


Ponte Preta 0x3 Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Daniel Vorley/AGIF

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Divulgação

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Marco Galvão/ Agência Lancepress!

Ponte Preta 0x3 Corinthians
MARCELLO FIM / RAW IMAGE

Ponte Preta 0x3 Corinthians
MARCELLO FIM / RAW IMAGE

Ponte Preta 0x3 Corinthians
MARCELLO FIM / RAW IMAGE

Ponte Preta 0x3 Corinthians
Ale Cabral/AGIF


Gabriel Carneiro
30/04/2017
18:01


Um refrão de Belchior, ilustre cantor e compositor brasileiro morto neste domingo (e, curiosamente, simpatizante da Ponte Preta), define o duelo em preto e branco que inaugurou as finais do Campeonato Paulista neste domingo, no estádio Moisés Lucarelli: "Apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais". Passados 40 anos da história conquista com gol de Basílio, o Timão destilou superioridade para cima da Macaca e goleou por 3 a 0 o primeiro jogo das finais do Estadual.
O jogo começou com as chances que o Corinthians acumulou jogando com o "coração selvagem", mesmo na casa do adversário. Aos dois minutos, não fosse uma antecipação de Yago, Romero poderia ter feito o primeiro gol. Pouco depois, Aranha ainda defendeu um chute de Jô. Só que é aquela coisa... "uma nova mudança em breve vai acontecer".


Aos 13 minutos, Jô tocou para Romero, que devolveu o passe. De primeira, o camisa 7 serviu Rodriguinho dentro da área, em linda trama ofensiva. Decisivo em partidas importantes, o número 26 do Corinthians apareceu livre, tirou de Aranha e marcou o primeiro gol do Corinthians. Rodriguinho, de novo em mata-mata, já que os "ídolos ainda são os mesmos".

Parecia até "alucinação", mas a Ponte Preta terminou o primeiro tempo sem dar trabalho quase nenhum a Cássio. Mesmo jogando em casa! O gol do Corinthians fez a Macaca precisar propor o jogo para desequilibrar a defesa do time que estava em vantagem. "Sem parentes importantes", ou alguém que assumisse a bronca para resolver, a Macaca trocou duas peças logo no intervalo, viu sua torcida "voltar" ao jogo e tentou se aventurar no segundo tempo. "Like a rolling stone".

"Na parede da memória, essa lembrança é o quadro", e o fantasma de 1977 parece ainda não ter dissipado de Campinas. Aos 13 minutos do segundo tempo, Rodriguinho deu bela arrancada, ficou em pé mesmo com a falta, tirou a marcação e serviu Jadson, que bateu de primeira, sem chances de defesa para Aranha. "No presente a mente, o corpo é diferente". Ou não.

Depois do segundo gol, o jogo virou uma pelada. A Ponte, improdutiva. O Corinthians, calmo, com "dedo em V, cabelo ao vento, amor e flor". A tal tranquilidade entrou em contraste definitivo com a inoperância da Ponte aos 34: Fagner bateu lateral para Jô, mas a bola ficou solta na área e Rodriguinho é quem desviou de cabeça. "O novo sempre vem".

FICHA TÉCNICA
pp 0 X 3 CORINTHIANS
​Paulistão 2017 ida final
Local: estádio Moisés Lucarelli, Campinas
Data-Hora: 30/4/2017 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Alex Ang Ribeiro e Luiz Alberto Andrini Nogueira
Público/renda: 16.048 pagantes, 17.322 torcedores / R$ 655.220,00
Cartões amarelos: Renato Cajá (PON), Rodriguinho e Gabriel (COR)
Cartões vermelhos: -
Gols: Rodriguinho 14' 1ºT (0-1); Jadson 13' 2ºT (0-2); Rodriguinho 34' 2ºT (0-3)

pp: Aranha; Nino Paraíba, Yago (Kadu - 14' 2ºT), Fábio Ferreira e Reynaldo (Artur - intervalo), Fernando Bob, Elton e Jadson (Renato Cajá - intervalo); Clayson, Lucca e William Pottker. Técnico: Gilson Kleina

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel (Paulo Roberto 16' 2ºT) e Maycon (Camacho 36' 2ºT); Jadson (Clayton 31' 2ºT), Rodriguinho e Romero; Jô. Técnico: Fabio Carille.





















Entenda o porquê de só a zaga do Timão não entrar pendurada na final
Além do goleiro Cássio, apenas Balbuena e Pablo entre os titulares do Timão não têm dois cartões amarelos no primeiro jogo contra a Ponte. Preocupação com suspensões é grande
Fagner, Guilherme Arana, Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho, Romero, Jô e Léo Jabá. Parece até escalação, mas na verdade é a lista de jogadores do Corinthians que entram pendurados com dois cartões amarelos no primeiro jogo das finais do Campeonato Paulista, neste domingo, contra a Ponte Preta, em Campinas. Entre os titulares, somente o goleiro Cássio e os zagueiros Balbuena e Pablo não fazem parte da lista de jogadores que podem ficar fora da finalíssima por suspensão.

"Mas como assim? Logo os dois zagueiros?" alguém pode perguntar. E a resposta é simples: os zagueiros fazerem poucas faltas e, consequentemente, receberem poucos cartões amarelos é efeito de uma estratégia de jogo do técnico Fabio Carille. Assim, não é por acaso que só os zagueiros entre todos os jogadores de linha do Timão não estão pendurados e sob risco de suspensão.

A ideia de jogo do Corinthians passa pelo senso coletivo defensivo. Ou seja, não são apenas os zagueiros que marcam, dão botes e aparecem em divididas. Romero e Jadson, os jogadores de ponta, por exemplo, têm importante papel na contenção dos laterais e pontas adversários. Da mesma forma, Gabriel e Maycon, que ocupam espaços e evitam a penetração dos atacantes. Em resumo: sobram poucas bolas para os zagueiros cortarem.

- Nosso time está sempre bem posicionado, e isso faz com que a gente não precise sair na caça, como se diz no futebol. Isso acontece uma, duas vezes no jogo. Se você não tiver um time organizado acontece várias vezes, e óbvio que se você está marcando tem que chegar firme, acontecem as faltas e você leva o amarelo. Nosso time é muito organizado, todo mundo marca, e as bolas quando vêm chegam mascadas. Isso nos ajuda muito a não ficar muito expostos - explica Pabl

Protegidos pela estratégia de jogo de Carille, Balbuena e Pablo esperam estar em campo na finalíssima, que será disputada na Arena Corinthians, no dia 7. E esperam, também, que o Corinthians se safe do maior número possível de suspensões.










Corinthians hoje inicia decisão do Paulistão 2017
A semana do Corinthians serviu para a recuperação física dos principais jogadores, desgastados pela longa sequência de jogos em abril. O Timão vinha de uma maratona de quase três meses com jogos às quartas-feiras e domingos. A boa notícia é que nomes como Jadson e Rodriguinho, que conviviam com dores, estão 100% para a decisão.

Por outro lado, é necessário tomar cuidado com os pendurados. São nove (oito titulares): Fagner, Guilherme Arana, Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho, Romero, Jadson, Jô e Léo Jabá. Curiosamente, os únicos livres são o goleiro Cássio e os zagueiros Balbuena e Pablo.


Veja as informações do primeiro jogo da final:
pp x Corinthians
Local: Moisés Lucarelli, em Campinas
Data e horário: domingo, às 16h (de Brasília)
Escalação provável da Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Fábio Ferreira, Yago e Reynaldo; Fernando Bob, Jádson e Elton; Lucca, Clayson e Pottker.
Desfalque: Marllon (suspenso)
Pendurados: Emerson, Fernando Bob, Jádson, Jeferson, Matheus Jesus e Yago
Escalação provável do Corinthians: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel e Maycon; Jadson, Rodriguinho e Romero; Jô
Desfalque do Corinthians: Giovanni Augusto (lesão no tornozelo esquerdo)
Pendurados do Corinthians: Fagner, Guilherme Arana, Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho, Romero, Jô e Léo Jabá














Autor de gol do Corinthians campeão paulista 77, Basílio se emociona ao rever a camisa usada na decisão
Paulo Gini é colecionador e está com o modelo usado pelo herói do título desde 2010. 'Xodó' do dono, peça tem lugar especial no acervo que recebeu visita do ex-corinthiano

Basílio e Paulo seguram a camisa histórica
(Foto: Eduardo Viana)

Basílio posa com o manto corintiano
(Foto: Eduardo Viana)

Basílio repete gesto da comemoração feita por ele em 1977
(Foto: Eduardo Viana)

Basílio segura camisa número 8
(Foto: Eduardo Viana)
Angelo Martins, Rafael Bullara e Vinícius Perazzini
30/04/2017
08:15

- É maravilhoso e emocionante saber que no dia 13 do dez eu estava com isso no corpo.

A frase acima é de Basílio, herói do Corinthians contra a Ponte Preta naquela noite de quinta-feira em 1977, ao deparar com a camisa número 8 que vestiu no gol histórico que findou jejum de 23 anos sem títulos.

Na semana em que Timão e Ponte se encontram para o primeiro jogo da decisão, que acontece neste domingo, em Campinas, o Pé de Anjo foi até o acervo do colecionador Paulo Gini para rever o modelo usado por ele na noite histórica. A final que mudou a vida de Basílio será reeditada 40 anos depois. Coisa do destino?

- Acredito, sim (em destino). Mas jamais imaginava. Eu trabalho na Rádio Capital e quando terminou o jogo (contra o São Paulo) eu fiquei olhando e falei: "Nossa, como o destino reserva as coisas para nós". Foi contra o São Paulo que a gente se classificou e a Ponte já estava classificada no sábado. As coincidências são muitas - disse, com o manto preto e branco nas mãos.


A camisa histórica está com Paulo Gini desde 2010, quando o colecionador a comprou do próprio Basílio. A exemplo do gol chorado contra a Macaca, não foi nada fácil convencer o ex-jogador a se desfazer da relíquia.

- Eu já tinha visto algumas matérias na casa do Basílio com a camisa por causa de 1977 e eu sou um garimpador de itens usados por jogador. Fiiquei enchendo o saco dele durante uns cinco anos. Eu ligava para ele a cada seis meses e falava que esta camisa tinha que vir para minha coleção, que cuidaria bem dela. É uma peça super-histórica. Sou corintiano e todo corintiano se considera roxo. Tenho coleção de quase toda a história do Corinthians e achava que cuidaria bem dela - conta Paulo Gini.

Além da camisa do terceiro jogo daquela decisão, o acervo conta também com a usada por Vaguinho na segunda partida da final. Até um modelo de Carlos, vestida pelo então goleiro da Ponte Preta no mesmo ano, faz parte dos itens.
'Acabou o jogo, eu tirei a camisa e a chuteira e dei para o massagista'
levar embora', conta Basílio, sobre 1977

A presença do valioso objeto merece um lugar especial no espaço em que Paulo guarda camisas, chuteiras, bolas, luvas e flâmulas. Uma caixa de madeira com vidro serve para adequar e proteger a camisa 8 autografada com a data de 13 de outubro de 1977. É o "xodó".

Desde a venda, há sete anos, Basílio não tinha mais visto a camisa.

- Muito fera. Sempre quis essa cena, sabia? - disse Paulo na hora de posar para a foto com Basílio, que prontamente respondeu:

- Opa, que legal, Paulo!

A história de uma nova decisão para o Corinthians começa a ser escrita a partir deste domingo e a chance de uma nova peça estar em breve nas prateleiras catalogadas com o distintivo do clube de coração de Paulo é grande. Resta saber se haverá e quem será o herói em caso de mais uma conquista.
 Todos os itens são de jogo e a cada pequena mudança na camisa do clube é motivo para que um novo manto faça parte da lista.

- O Corinthians tem usado uma média de 40, 45 camisas diferentes por ano. Com detalhes diferentes. Eu tento pegar uma de cada - comenta Paulo.

Neste domingo o time estreará o uniforme preto e branco, feito justamente em homenagem ao título de 1977.

Paulo esteve no Japão em 2012 para acompanhar o Mundial de Clubes e de lá retornou com a camisa usada por Cássio e uma das bolas da final contra o Chelsea. Meses antes, a camisa da final da Libertadores contra o Boca Juniors entrou na coleção. Outro item raro é o modelo único preto que o Corinthians usou diante do Real Madrid, em 2000, no Mundial disputado no Brasil. Paulo o classifica como "mosca branca".










Corinthians na final do brasileiro de basquete feminino:
A SÉRIE
Jogo 1 - Corinthians 62 x 73 Uninassau Basquete
Jogo 2 - Corinthians 78 x 57 Uninassau Basquete
Jogo 3 - Uninassau Basquete 68 x 80 Corinthians
Jogo 4 - Uninassau Basquete 71 x 64 Corinthians
Jogo 5 - 02/05 (terça), às 21h30 - Centro Cívico, em Americana (- Ao vivo no SporTV 












Mudar pra quê? Corinthians vai se manter fiel a estilo

Timão inicia final do Paulistão fora de casa. Carille confia em suas convicções e pede marcação, velocidade no ataque e entrega


Por Diego Ribeiro

30/04/2017 08h00

O torcedor do Corinthians não deve esperar uma postura diferente de seu time no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista, neste domingo, às 16h (horário de Brasília), contra a Ponte Preta, em Campinas. A meta de Fábio Carille é manter a equipe fiel a seu estilo.

O que isso significa? Um Corinthians aguerrido, de muita marcação, com transições rápidas quando tem a bola. Triangulações pelos lados do campo e infiltrações de volantes e meias também fazem parte do plano. Exatamente como na classificação do Timão nas semifinais sobre 5P, com vitória fora de casa por 2x0 e empate em casa em 1x1.

Embora reconheça que o rival anterior e o atual têm propostas de jogo bem diferentes, Fábio Carille não vê motivos para mudar sua abordagem.



Fábio Carille se mantém fiel às convicções desde o início do ano: final dura pela frente (Foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians)


– Eles também vão procurar jogar no erro, no contra-ataque. Mas a nossa ideia de trabalho é a mesma, para fazer um grande jogo no domingo – ressaltou o técnico corintiano.

O Corinthians, então, deve começar a partida esperando um pouco mais a Ponte, fazendo o rival propor o jogo. Durante a semana, Carille testou a estratégia ao formar o time reserva com o mesmo esquema da equipe de Campinas, com três jogadores fortes no meio-campo e três atacantes – um deles mais avançado, mas com movimentação no último terço do gramado.

Dessa maneira, os titulares enfrentaram, em uma atividade técnica, aquilo que devem ver no domingo.

– Vamos marcar pressão no tiro de meta, todo mundo atrás da linha da bola sem ela, competindo bastante e fazendo triangulações. É isso que buscamos melhorar nessa semana. Você vir com um empate para decidir em casa é ótimo resultado, mas vamos buscar a vitória – destacou Carille.

O papel dos homens de frente será, mais uma vez, vital para o sucesso do Corinthians. Sem a bola, Rodriguinho e Jô fazem a pressão inicial, com Romero e Jadson na mesma linha de Gabriel e Maycon. A ideia é roubar a bola perto do campo de ataque e fazer a transição com a defesa da Ponte desarrumada. Foi assim que o Timão venceu 5P, fora de casa

Dependendo do resultado parcial, Carille tem opções para o segundo tempo. Léo Jabá é de velocidade, enquanto Marquinhos Gabriel, de volta à lista de relacionados, tem o drible e a finalização como trunfos. Para melhorar a posse de bola, há Camacho. Para retê-la no campo de ataque, Kazim. Sem invencionices, o Corinthians está pronto para a decisão.