5 de dez de 2016

CORINTHIANS 05/12/2016







































Corinthians venceu fora de casa, virando o jogo e está a um empate do título da LNF2016
Por Assessoria de Imprensa LNF

Nesta segunda feira, 05/12, o Corinthians venceu o sorocaba, fora de casa, por 3x2, de virada na primeira partida das #FinaisLNF2016, em Sorocaba.
Com a bola rolando, o sorocaba abriu o placar com Charuto e ampliou com Rodrigo, em tiro livre, na primeira etapa. No segundo tempo o Corinthians devolveu os dois gols, primeiro com Rocha e depois com Deives, também em tiro livre. O gol da vitória corinthiana ficou por conta do fixo de 41 anos de idade, o incansável Índio, em chute de longa distância que encobriu Tiago.
O Corinthians precisa de um empate no próximo jogo, dia 12/12, às 19h45, Pq São jorge, em casa, para ser campeão.

O jogo

Rodrigo Hardy bateu falta sem perigo no primeiro minuto de jogo. Depois, Nenê ficou de frente para Tiago, mas o goleiro sorocabano fechou o ângulo com segurança. No lance seguinte, Rodrigo escorregou, continuou tentando impedir o chute de Pepita mesmo no chão, que limpou o fixo do Sorocaba e procurou a cavadinha sem sucesso. O mesmo Pepita quase roubou uma bola e dentro da área defensiva do time da casa na saída de bola.


Sorocaba respondeu em passe de Falcão para a parede de Rodrigo e finalização de Pixote. Na posse de bola seguinte, Falcão arrancou e foi calçado no meio de quadra. Em outra tentativa de contra ataque dos sorocabanos, Diego quase teve sucesso em passe em profundidade que deixaria o craque da camisa 12 livre diante de Guitta.

Antes de chegar à metade do primeiro tempo, Falcão roubou de Leandro Lino, fez o corte seco e passou para Charuto, que carrego a bola pressionado pela marcação e finalizou na rede pelo lado de fora. Continuou a pressão em lançamento de Tiago para Falcão, que disputou no alto com Guitta, escanteio para o Sorocaba

Foi a vez do Corinthians contra atacar, Marcel cortou e bateu forte, procurando o canto alto de Tiago, a bola desviou no rosto de Ricardinho e quase acabou em gol para o Corinthians, que ficou com o escanteio. Um minuto depois, boa jogada de Lino, que matou no peito e conduziu ao ataque, deixando para Marcel. O ala perdeu o controle de bola em oportunidade rara no jogo.

Marcel serviu Vander Carioca no minuto dez, que caindo, conseguiu chutar e assustou a Arena Sorocaba. Leandro Lino armou mais uma jogada pelo meio, lançou Marcel na ponta, que cruzou a bola em frente à linha do gol, mas Índio não alcançou para empurrar. Faltando cinco minutos, chance lá e cá. Primeiro Falcão penteou a bola e enganou a marcação ao passar para Simi na área, que chuta em cima de Guitta e depois é atingido pela bola. Logo na sequência, quem puxa o contra ataque é mais uma vez o camisa 12, que decide chutar no último instante, tentando enganar Guitta, mas não consegue.

Faltando quatro minutos, Deives perdeu a melhor oportunidade do jogo depois de linha de passes com Leandro Caires. Depois, Charuto abriu o marcador. Faltando 40 segundos para o final do primeiro tempo, Vander Carioca atropelou Ricardinho, extrapolando a quinta falta. Rodrigo partiu para o tiro livre e ampliou Sorocaba 2 a 0.

Faltando 18 segundos, Leandro Lino fintou Mithyuê e sofreu a falta. Tiro livre para o Corinthians que Foglia bateu para fora. Final de primeira etapa.

O segundo tempo começou mais truncado, com o Sorocaba tentando parar o Corinthians nas faltas. Mas, com 14 minutos, o time da casa já marcava 4 faltas coletivas e o recurso não pode mais ser usado. Assim, o alvinegro cresceu e foi empurrado por sua torcida, que compareceu em bom número no interior paulista.

Apostando no jogo de pivô de Rocha, o Corinthians passou a acionar o camisa nove cada vez mais para segurar a bola. Em uma destas tentativas ele conseguiu girar e colocou fogo no jogo. Goooooooool do Corinthians, que diminuiu o placar. Daí em diante a partida ficou aberta e franca, com oportunidades a cada subida. Nenê e Simi, Xande e Lino, Rodrigo e Rocha, por volta da metade do segundo tempo estes eram os principais duelos em quadra.

Faltando nove para o final de primeiro tempo, Falcão puxou a corrida e Leandro Lino, já amarelado, recebeu o segundo cartão e foi expulso de quadra. Com um jogador a menos Xande teve boa chance, mas parou nas mãos de Guitta. Mesmo em desvantagem, o Corinthians quase chegou com Rocha, que sofreu falta de Falcão, a quinta coletiva do sorocaba com oito minutos de jogo pela frente.

Ainda com um jogador a mais, Simi deu o corte seco e rolou para Rodrigo carimbar a trave. Foi a última chance antes de voltar o quinto jogador alvinegro à quadra. Faltando cinco minutos, Deives tentou limpar Tiago da jogada, mas não logrou êxito. Com cinco minutos restantes, Simi parou Deives na falta. Ele mesmo correu para o tiro livre e empatou a partida para o Corinthians.


Deives fez o gol de empate do Corinthians

As chances claras de gol foram ficando mais escassas. Até que Leandro Caires, já caindo, quase virou o jogo, faltando menos de três minutos para o final de jogo. No "último" lance, o sorocaba tentou e quase fez com Simi. Quando não parecia haver tempo para mais nada, em chute de longa distância de Índio a bola encobriu Tiago, adiantado, e o Corinthians virou e venceu a partida, faltando sete segundos para o apito final. Com a vitória do Corinthians, o time precisa de um empate em casa para ser campeão da Liga nacional pela primeira vez e juntar esse título ao do bicampeonato paulista conquistado semana passada.









CORINTHIANS FICOU NO 1X2 CONTRA ponte PELO brasileiro sub 20. Ainda joga dia 9/12 as 15h30 contra flu e dia 11/12 as 15h30 contra nacional do uruguai. Precisa de duas vitórias e combinação de resultados para se classificar




CORINTHIANOS GUILHERME E MARLONE FALAM
Fim das entrevistas de Guilherme e Marlone.

Guilherme: "Não estou aliviado de estar nessa posição. Pelo grupo que temos, pela qualidade, tivemos jogos na mão em casa e fora. Não sinto alívio de estar assim, pois sou um cara vencedor, vim para um clube vencedor, meus companheiros são vencedores. Podíamos estar numa situação melhor, mas 20, 30 vão embora, chegam outros 30, a posição faz jus ao que aconteceu".


Guilherme: "Talvez tenha faltado uma linha, uma manutenção de um esquema, de titulares. Tivemos muitas trocas na equipe principal. Não tem um ponto específico, mas nós somos os responsáveis por isso. Nós que entramos em campo. Cada um tem sua porcentagem de responsabilidade, mas nem é o momento de citar motivos e razões, elas estão mais do que claras. Vamos tentar fazer um bom jogo".


Marlone: "Foi uma série de fatores, mas não podemos misturar a política do clube com as quatro linhas".

O que atrapalhou a temporada do Corinthians? Marlone diz: "Toda mudança tem um desgaste, esse ano tivemos quatro treinadores. Tite, Cristóvão, Fábio e Oswaldo agora. Toda mudança traz um desgaste. Nosso dever é dentro das quatro linhas. Não podemos misturar as coisas. A gente reconhece que oscilou dentro do campeonato. Mas as mudanças trazem estilos diferentes, a oscilação vem..."

Guilherme: "Se fosse outro clube, outra situação, poderia até ser pior, porque a debandada foi grande. Mas temos nossa última ficha para classificar à Libertadores. Depois, é analisar o que foi feito de bom para aplicar no ano que vem".

Guilherme: "Iniciamos o ano com uma linha de trabalho, aí veio Cristóvão, depois Oswaldo. O normal do clube é brigar lá em cima. Esse ano pagamos o preço das mudanças. Pela nossa qualidade, por mais que haja questionamentos, sabemos que poderíamos estar um pouco acima na tabela. Não dá para se escorar só nas mudanças. Pelo investimento que foi feito, poderíamos estar melhores".


Marlone: "É normal que se interessem pelos jogadores de um clube campeão. TImes da China, da Europa, vêm e fazem propostas. Assim é o sistema. Mas o normal do Corinthians não é estar nessa situação. A torcida está acostumada com coisas grandes. Tivemos nossas oscilações durante o campeonato, mas outros também tiveram. O normal do Corinthians é brigar lá em cima, por título e Libertadores".
Marlone: "Libertadores. Se essa vaga vier, será melhor ainda".


Marlone: "Foi um ano importante para mim, não vinha tendo muitas oportunidades, mas continuei meu trabalho, fazendo meu dever, cada dia se preparando e tentando evoluir. Sempre quando tinha minhas oportunidades, tentava agarrar da melhor forma possível. Até lá tem muita coisa, mas a última impressão é a que fica. Foi um ano de mudanças".


Guilherme analisa o ano: "Quando tive sequência, consegui mostrar futebol. Por algumas circunstâncias, fui barrado. Vejo tudo como um aprendizado para que o ano que vem seja ainda melhor. Tenho certeza de que isso vai acontecer. Todos nós oscilamos em algum momento, mas fica uma margem de coisas positivas para o ano que vem".

Marlone: "Quanto ao jogo contra o Cruzeiro, creio que será difícil, em casa eles são muito difíceis de serem batidos. Estamos focando nesses treinos para ajustar algumas coisas, melhorar".


Marlone: "Agora não temos de pensar em rivalidade, e sim em homenagear mesmo as famílias. Eu tenho uma filha, sei hoje o que é uma dor, aquelas mães... Nós que vivemos viajando mundo afora e vocês que nos acompanham, não tem de pensar em rivalidade agora. E sim em dar valor às pessoas que se foram. Infelizmente é uma lembrança que traz tristeza, mas eles merecem a homenagem".


Guilherme e Marlone. #trsccp 18h40


Léo Principe não treinou hoje por causa de uma amigdalite. #trsccp




Oswaldo de Oliveira encerra treino, mas tem conversa com o time no gramado. #trsccp





Oswaldo para o treino em vários momentos e orienta o setor ofensivo. #trsccp
18:18 Oswaldo comanda um treino coletivo com poucas pausas para orientação. Apenas observações sobre posicionamento #trCOR
O lateral-direito reserva Léo Principe não participa da atividade de hoje. #trsccp

18:17 Reservas: Cássio; Warian, Pedro Henrique, Léo e Guilherme Arana; Jean;Marciel, Giovanni Augusto, 
 Marquinhos Gabriel e Rildo; Lucca #trCOR
Reservas: Cássio, Warian, Pedro Henrique, Léo e Guilherme Arana; Jean;
 Marciel, Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto e Rildo; Lucca. #trsccp


18:15 Time escalado: Walter; Fagner, Balbuena, Vilson e Uendel; Cristian; Camacho, Rodriguinho, Marlone e 
Romero; Guilherme #trCOR

Walter, Fagner, Vilson, Balbuena e Uendel; Cristian;  Camacho, Rodriguinho, 
Romero e Marlone; Guilherme. #trsccp



17:51 Elenco está dividido em três. Treinamento técnico em espaço reduzido. Oswaldo vê tudo de perto #trCOR
17:35 Antes do treino jogadores viram vídeos do próximo adversário. Foco total em buscar o G6 #trCOR





Time armado por Oswaldo. Guilherme no comando do ataque. #trsccp


Guilherme será titular. Ele volta ao time depois de se recuperar de pequena lesão no músculo adutor da coxa direita. #trsccp





Yago passou por cirurgia de hérnia e treina há uma semana. Ficará no banco . #trsccp


Antes do treino, Oswaldo teve conversa reservada com o zagueiro Yago. Ele deve ser relacionado para o jogo de domingo. #trsccp

Marlone e Guilherme serão os entrevistados do dia no CT. #trsccp



Elenco do Corinthians se aquece com trabalho de cabeceios. #trsccp

17:23 Jogadores estão aquecendo no gramado neste momento. Único desfalque na última rodada será Danilo, lesionado #trCOR






Primeira parte do treino teve exibição de vídeos do adversário de domingo. #trsccp


Elenco do Corinthians em campo. Goleiros no aquecimento. #trsccp


17:16
Jogadores do Corinthians começam a entrar em campo neste momento.

17:11 Ideia é aprimorar passe, cabeceio, chute... Primeiro na base e depois com o profissional. Estudos e ciência a serviço da formação #trCOR

17:08 Departamento foi idealizado por Rodrigo Azevedo, coordenador da base, e será dirigido pelos treinadores Luciano Netter e Zé Augusto #trCOR
17:07 Corinthians criou um novo departamento interno. O objetivo é desenvolver fundamentos dos jogadores.

17:01

17:00
No retrospecto geral, somando as três passagens de Oswaldo pelo Corinthians, são 61 vitórias, 26 empates e 35 derrotas em um total de 122 partidas

16:56
O técnico Oswaldo de Oliveira completa 66 anos hoje. Contratado em outubro, ele comandou o Corinthians em oito partidas até o momento: duas vitórias, quatro empates e duas derrotas

16:50
O treinamento estava marcado para começar 16h, mas até agora nenhum jogador apareceu no gramado do CT Joaquim Grava

16:47
Boa tarde, internauta do LANCE!. Começa agora a transmissão em tempo real do dia do Corinthians, que retoma a preparação para a última rodada do Campeonato Brasileiro após dois dias de folga.Com agradecimento e desculpas, Willians dá adeus ao Corinthians

Após afastamento, jogador que estava emprestado pelo Cruzeiro não precisará mais ir diariamente ao CT Joaquim Grava. Atleta vinha ficando apenas na academia do CT

Willians fez 27 jogos e nenhum gol pelo Corinthians

O volante Willians deu adeus ao Corinthians. Nove meses depois de chegar ao clube, o jogador foi liberado dos treinamentos no CT Joaquim Grava e devolvido ao Cruzeiro, clube que o emprestou em troca com o jovem Marciel, que já havia retornado ao Timão em setembro.

Willians fez 27 partidas com a camisa alvinegra, sendo 12 como titular, e não marcou nenhum gol.

No último dia 20 o volante foi afastado do elenco corintiano após discutir com um torcedor que protestava na saída do CT. A diretoria do clube decidiu que ele treinaria separadamente dos demais. Assim, ele passou a trabalhar apenas na academia e não foi mais a campo.

A ideia inicial era que Willians seguisse com o grupo até o fim do Campeonato Brasileiro. Porém, a última rodada da competição, que estava prevista para o último domingo, foi adiada por conta da tragédia com o avião da Chapecoense. Desta forma, diretoria e comissão técnica do Timão entenderam que era melhor já liberar o volante para férias.

"Em dias de tamanha tristeza no mundo do futebol, encerrei minha passagem pelo Corinthians. Gostaria de agradecer a todos que estiveram na torcida e também me desculpar se caso não consegui corresponder às expectativas depositadas em mim. Dei meu máximo sempre, mas às vezes as coisas não acontecem da maneira que planejamos. Fica aqui o meu muito obrigado a diretoria, comissões técnicas, funcionários, jogadores e torcedores. Agora é descansar e voltar com tudo pra 2017", escreveu Willians em suas redes sociais.

Sobre o afastamento, o jogador de 30 anos se pronunciou da seguinte forma há duas semanas:

"Todo jogador de futebol está sujeito a cobrança, mas desde que seja com respeito. E este não foi o caso. Infelizmente, tem muita gente querendo se aproveitar de situações para aparecer, pois são muitos os canais de divulgação e de fácil acesso. Ele veio falar comigo e filmando, como todos viram. Talvez o intuito fosse mais aparecer do que cobrar e pensar no clube", argumentou.

A contratação do volante foi um pedido do ex-técnico corintiano Tite. Na época, o treinador e o gerente de futebol Edu Gaspar defenderam a transferência exaltando a experiência de Willians e suas qualificações.





CORINTHIANS SUB 20 AS 17H25 E FUTSAL, JOGO DE IDA FINAL DA LIGA NACIONAL  AS 19H25, AO  VIVO ON LINE HOJE


http://corinthiansatual.blogspot.com/2016/12/corinthians-ao-vivo_5.html


http://corinthiansatual.blogspot.com/2016/12/corinthians-ao-vivo_50.html




Hoje, fora de casa, Corinthians futsal inicia duelo com Sorocaba pelas finais da LNF 2016

Timão disputa pela primeira vez o título da competição nacional; equipes também brigam pelo posto de melhor ataque e artilharia do torneio


10h30 05/12/2016 - Agência Corinthians






© Divulgação




Pela primeira vez na história do clube, o Corinthians/UNIP inicia nesta segunda-feira (05), às 20h, a disputa pelo título da Liga Nacional de Futsal 2016, diante do Sorocaba. O Timão chegou na cidade no último domingo (04) e fez um treino na arena da cidade antes de enfrentar o time da casa no primeiro duelo das finais.

Contudo, a disputa entre as duas equipes não é apenas pelo título. O Alvinegro é dono do melhor ataque da competição com 75 gols anotados, um a mais que o Sorocaba, e pode terminar a competição na ponta. Outro duelo é pela artilharia da competição.

Deives, camisa 10 do Coringão, tem 17 gols até o momento e vem logo atrás de Rodrigo, do Sorocaba, que possui 19 tentos no total. Disputas a parte, o técnico André Bié, comandante do Timão, lembrou que será um grande duelo, mas não devem deixar a ansiedade interferir no desempenho.

“É uma decisão inédita para o nosso clube, mas não podemos criar muita ansiedade. Sabemos que vamos enfrentar uma equipe muito bem organizada e com grandes nomes do futsal. Temos que ter comprometimento e disciplina tanto coletiva quanto individual”, disse Bié.

Este será o quinto confronto entre o clube do Parque São Jorge e a equipe de Sorocaba. Nos quatro anteriores, o Corinthians/UNIP saiu vitorioso e, segundo André Bié, a equipe não deve mudar o estilo de jogo que os levou até as finais.

“Não devemos mudar nossa característica de jogo. Confiamos nos nossos jogadores. Temos que estar bem concentrados e bem equilibrados emocionalmente para esse grande jogo”, concluiu o comandante do Coringão.

A segunda partida será na próxima segunda-feira (12), no Ginásio Poliesportivo Wlamir Marques. Informações sobre ingressos serão divulgadas mais adiante.

A equipe adulta de futsal do Sport Club Corinthians Paulista é patrocinada por Caixa, Colégio Amorim e UNIP-Universidade Paulista.






Wladimir: "A Invasão Corinthiana como momento ''exclusivo'' do Corinthians"

Jogador que mais vestiu a camisa alvinegra relembrou os momentos marcantes da histórica Invasão alvinegra ao Rio de Janeiro

10h10 05/12/2016 - Agência Corinthians

Um dos momentos mais especiais da história do Corinthians, a Invasão Corinthiana completa 40 anos nesta segunda-feira (05). Jogador que mais vestiu a camisa do Timão, o ex-lateral Wladmir comentou sobre a emoção de comemorar 40 anos de um dos momentos mais históricos do Alvinegro, que considerou “exclusivo” do Corinthians.
"Eu diria que esse momento é exclusivo do Corinthians. Em 1976 a gente chega no Rio de Janeiro em uma semifinal contra o Fluminense, que era uma equipe muito bem estruturada e melhor do que a nossa. Mas de repente chega no Maracanã no domingo no dia do jogo e nós ficamos impressionados, estávamos dividindo o Maracanã. Isso nos deu uma força, uma vontade muito grande de mostrar as pessoas, que com certeza tiveram muitas dificuldades para chegar ao Rio de Janeiro, que a gente podia superar o adversário. Entramos em campo com sangue nos olhos, aí conseguimos o resultado que nos interessava.” contou Wladmir.

Para o ídolo alvinegro, o que o marcou naquele jogo foi o fato de ter de marcar um dos principais jogadores do Fluminense, o ex-ponta Gil, que segundo Wladmir era uma das tarefas mais essenciais para neutralizar as descidas ofensivas da equipe carioca. "Eu tive a oportunidade de marcar o ponta direita titular da Seleção Brasileira que era o Gil. Era um ponta extremamente veloz, chutava muito bem com as duas pernas. Eu tinha a missão de marcá-lo e pude fazer muito bem. Ele era um dos escapes da equipe do Fluminense e acabei cumprindo a missão e isso foi muito importante.”, comentou.

Wladimir comentou sobre a diferença do torcedor corinthiano e o privilégio de ter atuado boa parte da carreira no Alvinegro do Parque São Jorge. "Eu tive a felicidade a maior parte da minha carreia aqui no Corinthians. Foram 17 anos aqui dentro, eu aprendi a conviver com torcedor corinthiano, o torcedor do Corinthians não esquece jamais. Aquele titulo de 77 - na quebra do jejum de 23 anos sem títulos - todo o ano os torcedores se organizam e nos convidam pra celebrar aquele momento que é histórico. Me sinto agradecido de ter tido a oportunidade de jogar nesse time maravilhoso.”, finalizou.













Invasão Corinthiana - Há 40 anos, a Fiel protagonizava um dos capítulos marcantes da história do Timão

Mesmo com jejum de 22 anos sem conquistar títulos, torcida corinthiana invadiu a cidade maravilhosa

10h00 05/12/2016 - Agência Corinthians

Há 40 anos, a Fiel proporcionava um dos maiores momentos da história do Corinthians. Cerca de 70 mil corinthianos foram ao Rio de Janeiro para acompanhar o duelo entre Timão e Fluminense, pela semifinal do Campeonato Brasileiro de 1976, e protagonizaram a primeira edição da Invasão Corinthiana.

Nos dias anteriores à partida, os presidentes dos times buscavam promover a decisão e deram declarações polêmicas. Francisco Horta, que comandava o time carioca na época, chegou a duvidar da grande presença alvinegra no jogo. "Que os vivos saiam de casa e os mortos saiam das tumbas para torcer pelo Corinthians no Maracanã porque o Fluminense vai ganhar a partida”, afirmou.

Mesmo com a confirmação da transmissão ao vivo, o Bando de Loucos atravessou mais de 400 km e quebrou o recorde de volume de tráfego segundo o Departamento Nacional de Estradas de Rodagem, que foi obrigado a implantar a “Operação Corinthians”.

Desde a manhã do dia 05 de dezembro de 1976, a Fiel já pintava o Rio de Janeiro de preto e branco. Quando os portões foram abertos, às 13h, a torcida alvinegra logo dominou boa parte da arquibancada e cadeiras do Maracanã.

O público pagante total registrado da partida foi de 146.043, além de 12 mil não pagantes. E para completar a festa, o Timão se classificou nos pênaltis, em grande atuação de Tobias, após empate por 1 a 1 no tempo normal. O gol corinthiano foi marcado pelo saudoso Ruço.







Corinthians se mexe para desenvolver melhor suas promessas
Com novo profissional na diretoria, Corinthians monta departamento para desenvolver os fundamentos de seus jogadores. Ideia é que estudos, ciência e tecnologia ajudem a formar

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Todos os funcionários da base do Corinthians
(Foto: Divulgação)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)


Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Novo CT da base já está em uso no Timão
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
05/12/2016
06:30
Preocupado com o nível técnico de seus jogadores da base e do profissional, o Corinthians decidiu criar um novo departamento com a ideia de aprimorar os fundamentos básicos do jogo: passe, drible, cabeceio, condução, domínio, chute, marcação e tantos outros. Será o “Setor de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento de Habilidades Técnicas e Específicas”.

Já há dois profissionais à frente do novo departamento: Luciano Netter, que era auxiliar da categoria sub-15, e Zé Augusto, que já trabalhou na base do Timão e passou recentemente pelo Osasco Audax, que é uma referência em jogo conceitual e trabalho tático no futebol paulista. A dupla fará trabalhos intensivos e complementares às categorias – a princípio, o setor atuará somente na base, mas há a perspectiva de que jogadores recém-contratados ou em baixa no time profissional se aprimorem.

– Habilidades específicas precisam ser lapidadas e precisam de tempo para isso. Tem alguns jogadores que maturam um pouco antes ou um pouco depois – define Rodrigo Azevedo, coordenador geral da área de formação do Corinthians.

Mestre e doutor em ciências do esporte pela Unicamp e instrutor dos cursos de formação de treinadores da CBF, Rodrigo é o mentor deste novo departamento. Ele já trabalhou no Timão, como técnico das categorias sub-17 e sub-18, e volta para trabalhar lado a lado com Fausto Bittar Filho, que é diretor da base há somente três meses.

Estudioso do futebol, Rodrigo tem um objetivo claro em mente nesta nova missão na base do Corinthians. Ele mesmo o explica ao LANCE!:

– A ciência tenta entender a arte, entender a criatividade, entender o improviso do futebol e transformar isso em treino. A ciência só faz sentido porque existe a prática. E isso que estamos buscando.

Bate-bola



Rodrigo Azevedo, coordenador das categorias de formação do Timão, ao LANCE!

Rodrigo Azevedo e Fausto Bittar Filho, do Corinthians (Foto: Divulgação)

Você já foi treinador e agora chega ao Corinthians para uma função de gestão. O que é mais importante: o campo ou o escritório?
Eu considero que a grande sacada é o entendimento de que os dois se conversam. Ter essas duas possibilidades, a gestão de escritório e a gestão de campo, permite que as duas coisas fiquem melhores. Na Inglaterra é assim há muito tempo, isso também ocorre na França e na Espanha. Lá os treinadores estão dentro do campo, mas entendem a gestão fora de campo. Se eu consigo levar para os treinadores um pouco de ciência para correção de rota, para o melhor trabalho, convívio com profissionais diferentes. É uma troca de informações importante para o clube.

Como aplicará seu conhecimento científico no trabalho em campo?
Quando a gente teve o tropeço na Copa do Mundo de 2014, a metralhadora girou para a base: "ah, a gente já não forma tanto", "a geração é ruim", etc, etc. E aí, paradoxalmente, as grandes empresas que fornecem dados para clubes do mundo inteiro colocaram 18 jogadores brasileiros entre os melhores do mundo. Ou seja, jogadores que estavam sendo tidos como melhores e a gente achando que nossa geração não era bem formada. De uma maneira muda-se o treinador e parece que uma varinha mágica muda tudo. E mais: o histórico das nossas categorias de base, em clubes e Seleção, é de muito sucesso, nossas equipes vão para fora e vão muito bem esportivamente. Não é verdade que o Brasil parou de formar jogadores. Aí entra a questão de uma briga idiota: por que essa discussão toda começou? Porque teve uma briga entre acadêmicos e ex-jogadores, algo sem fundamento. Queremos pessoas que saibam trabalhar bem, que entendam bem daquilo que fazem. Não importa se jogou ou não. Importa o entendimento do jogo, a didática para falar, o preparo para trazer para o campo a informalidade das peladas.

Ciência faz mudar treino?
Certamente. Se a gente perguntar aos nossos craques do passado como eles aprenderam a jogar futebol vão nos contar histórias de campinhos de várzea, de bola batendo na parede. Vamos perceber que eles se divertiam fazendo, que gostavam, e aquilo os fazia querer mais. Nossa missão é envolver o garoto da base do Corinthians a ponto de ele ver o treino como prazeroso, mas sem deixar de ser sério. Posso ter uma parte formal, mas divertida, que dê liberdade. Isso que pensamos no final da iniciação, começo da especialização.

Como funciona essa conceituação de iniciação e especialização?
Iniciação termina entre 12 ou 13 anos, aí começo no início da especialização. A ludicidade pode estar em todo esse processo da iniciação e mesmo até o fim do processo de especialização. Inclusive no alto rendimento. A diferença é a abordagem da ludicidade. Para ser divertido não precisa deixar de ser sério. O treino do sub-20 pode ser envolvente, e isso é ludicidade. Ela faz com que qualquer indivídio esteja totalmente entregue à ação.

O Corinthians já está usando o novo CT da base. No que isso ajuda o trabalho de vocês?
O principal é estar próximo do profissional, as coisas vão estar mais fáceis na transição para o profissional. Sob o ponto de vista metodológico podemos ter ganhos também. Imagine que hoje temos cada categoria treinando em um local diferente. A ideia com o CT é não haver essa separação, haver integração de comissões técnicas, todos acompanhando o trabalho de todos o tempo todo. É importante que todos possam vivenciar a sua categoria e as outras. Também facilita a questão logística, campos e escritórios no mesmo lugar. Saímos do treino e já vamos para a sala discutir o treino, hoje não podemos fazer isso, por exemplo.

Qual é seu pensamento sobre o processo de captação de jogadores? O que pretende fazer de diferente?
Eu imagino uma estratégia baseada em fatos e informações à disposição. Por exemplo, tem muitos jogadores em clubes diversos que chegam ao profissional e quando vamos estudar quem chega ao profissional tem coisas em comum: é muito recorrente que esses caras não morem longe do clube, num raio de 200 km do clube. Os jogadores que chegam ao profissional em boa parte são aqui da Zona Leste. Isso é muito importante, temos que conhecer bem nossa região. Esse é o primeiro ponto estratégico, de chegar primeiro. Segundo: conseguirmos saber para onde olhar além desse raio. Para onde vamos olhar? Estamos construindo um perfil de jogador para estar no Corinthians e chegar ao profissional. Preciso saber de onde vem esse perfil. Se eu acho um jogador com esse perfil e desenvolvo, a chance é boa de dar certo. Há um terceiro ponto, mas eu não posso dizer, porque passa por uma rede de contatos para poder fazer.

Você falou em perfil de jogador para o Corinthians. Que perfil é esse?
Estamos construindo com as comissões técnicas. Mas tem coisas muito claras sob o ponto de vista do que é treinável dentro de um perfil emocional, técnico e físico. Aquilo que for menos treinável será determinante no nosso processo de captação. Velocidade de tomada de decisão é uma coisa extremamente treinável, por exemplo. Mas velocidade cíclica, correr 20 metros daqui até ali, não é treinável. Ou o cara é rápido do ponto de vista biológico ou não é. Não transformo um cara que não é rápido num cara rápido.

Mudanças na base



Profissionais - Zé Augusto no departamento inovador, Kauê Berbal como fisiologista exclusivo das categorias de formação, Leandro Mehlich como técnico do sub-17 na vaga de Marcio Zanardi e Guilherme Bellangero como auxiliar do sub-15 foram os profissionais contratados nas últimas semanas pelo clube.

Setores - Além da criação do novo setor de desenvolvimento dos jovens do Corinthians, tem havido o aprimoramento dos setores de captação e mesmo análise de desempenho focados na base. O departamento de análise agora se chama "Centro de Análise de Desempenho e Inteligência da Informação".















'Teu passado é uma bandeira': Timão celebra os 40 anos da Invasão da Fiel

Maracanã recebeu ao menos 70 mil corintianos no jogo único das semifinais do Brasileirão de 1976, quando o Corinthians eliminou o Fluminense. O amor ignorou qualquer distância

Maracanã ficou dividido em 1976
(Foto: Arquivo Lance)

30 mil corinthianos viajaram ao RJ
(Foto: Arquivo/L!)

Jogadores se surpreenderam com a invasão
(Foto: Arquivo/AGENCIA O GLOBO)

A Fiel tomou o Maracanã em 1976
(Foto: Agência Estado)

Filme sobre o tema foi lançado em 2016
(Foto: Divulgação)

Filme sobre o tema foi lançado em 2016
(Foto: Divulgação)

Filme sobre o tema foi lançado em 2016
(Foto: Divulgação)

Sala de imprensa da Arena foi decorada em homenagem à Invasão
(Foto: Divulgação)



Gabriel Carneiro
05/12/2016
07:30

"O que influi e decidiu o jogo foi a torcida (...) Houve um momento em que me senti estrangeiro na doce terra carioca." Testemunha da Invasão Corinthiana ao Maracanã, em 1976, Nelson Rodrigues eternizou o maior deslocamento de torcedores da história em sua coluna no jornal “O Globo” do dia 6 de dezembro daquele ano. Nesta segunda-feira, dia em que o Timão comemora 40 anos do feito histórico, as lembranças continuam presentes. E fortes.

– Quando jogávamos fora de casa, íamos no cantinho do estádio para cumprimentar a torcida. Sempre havia um grupo, como é até hoje. Mas naquele dia não foi preciso. A gente entrou em campo e logo viu a Fiel por todos os lados. A gente só foi para o meio-campo e fez a saudação normal, como se fosse o Pacaembu. Aquele dia é assim mesmo, jogamos no Maracanã como se fosse o Pacaembu – lembra o lateral e ídolo Zé Maria.

O Timão não conquistava um título há 22 anos e sua torcida se mobilizou para a semifinal do Brasileirão, em 1976. Cerca de 70 mil corintianos (há quem jure que foi mais) foram ao Maracanã para o jogo único contra o forte Fluminense, de Rivelino e... Carlos Alberto Pintinho, que abriu o placar aos 18 minutos. Ruço empatou pouco mais de dez minutos depois e a forte chuva do Rio de Janeiro equilibrou a partida - o Flu era superior tecnicamente, mas na raça o Timão comandava.

Após o empate em 1 a 1 no tempo normal, duas defesas de Tobias nas cobranças de pênalti garantiram a classificação do Corinthians à decisão do Campeonato Brasileiro. A questão é que o jogo já estava ganho antes de começar...

O jogo já estava ganho quando os cerca de 300 ônibus tomaram a Via Dutra na noite de 4 de dezembro. O jogo já estava ganho quando a Polícia Militar fez uma operação especial para controlar o acesso dos corintianos ao Rio de Janeiro. O jogo já estava ganho quando os fiéis começaram a chegar de ônibus, carro particular, trem, avião, bicicleta e até a pé. Dizem. O jogo já estava ganho quando o preto e branco cobriu a capital fluminense, o Cristo Redentor e a praia de Copacabana. O jogo já estava ganho quando a torcida visitante dividiu o então maior estádio do mundo em meio a meio com os mandantes. O jogo já estava ganho.

Episódio à parte na história corintiana, a Invasão ganhou um filme em 2016, ano em que completa 40 anos. A produção foi dirigida por Ricardo Aidar e Alexandre Boechat - coincidentemente, um corinthiano e um tricolor das Laranjeiras. A produção se baseia em entrevistas, depoimentos e imagens raras, que não estavam disponíveis ao público antes da produção do documentário. O ponto alto é a curiosa história de três torcedores que foram de Kombi até o Rio de Janeiro e desta vez refizeram a viagem acompanhados do goleiro Tobias, um dos heróis do jogo. 



CORINTHIANS HOJE TREINO


05/12 - Segunda-feira


16h - Treino no CT Dr. Joaquim Grava