9 de ago de 2016

CORINTHIANS 09/08/2016

Corinthiano atacante Giovanni Augusto: "Temos de ter consciência de que podemos melhorar"

Meia do Corinthians pede evolução para o returno do Brasileirão, mas confia no potencial da equipe alvinegra e diz que ainda há muito campeonato pela frente


18h20 09/08/2016 - Agência Corinthians






© Daniel Augusto Jr/Agencia Corinthians


Após o empate contra o Cruzeiro por 1 a 1 no Pacaembu pela última rodada do primeiro turno do Campeonato Brasileiro 2016 na última segunda-feira (08), o elenco do Corinthians voltou aos treinos no CT Dr. Joaquim Grava nesta terça-feira (09). Em dia de reflexão sobre o resultado, Giovanni Augusto admitiu que a equipe alvinegra precisa evoluir, mas manteve a confiança no potencial do grupo do Timão.

"Temos de ter a consciência de que podemos melhorar. É preciso ter equilíbrio", afirmou o meia do Corinthians em entrevista coletiva para a imprensa no CT. "Tem muito campeonato pela frente, muita coisa pode acontecer", acrescentou.

O Timão chegou a 34 pontos ganhos, terminando o turno na terceira colocação, dois pontos atrás do líder Palmeiras. No início do returno, o Alvinegro do Parque São Jorge terá um confronto direto pelas primeiras posições: o Grêmio, com 32, mas um jogo a menos. A partida será fora de casa, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre-RS, neste domingo (14), às 11h.

"Temos feito bons jogos fora. Vencemos o Inter lá, podemos fazer um grande jogo contra o Grêmio", concluiu Giovanni Augusto.












Atacante Gabriel Vasconcelos retorna ao Corinthians
Aos 20 anos, jogador deve aproveitado no elenco corinthiano


Por Marcelo Braga


Gabriel retorna ao Timão após empréstimo
(Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Corinthians e Joinville acertaram nesta terça-feira o retorno do atacante Gabriel Vasconcelos ao time paulista. Com apenas seis jogos disputados na Série B e sem espaço, o jogador vai romper o empréstimo seria válido até dezembro.

A tendência, a partir de agora, é que ele seja integrado ao elenco alvinegro para ser avaliado pelo técnico Cristóvão Borges.

Artilheiro na base, o centroavante renovou seu contrato até o fim de 2018 antes de ser emprestado ao time catarinense. No atual elenco, ele reencontrará o lateral-direito Léo Príncipe e o zagueiro Léo, companheiros dele na Copinha.







09/08/2016 18h22
Recuperado de lesão, meia corinthiano Bruno Paulo faz golaço e ganha atenção especial
Em atividade técnica no CT do Corinthians, atacante coloca a bola entre as pernas de zagueiro e deixa sua marca. Treino contou apenas com reservas nesta terça-feira


Por Marcelo Braga

Bruno Paulo se recuperou de lesão e aguarda estrear pelo Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Bruno Paulo foi um dos destaques do treino do Corinthians. Recuperado de contusão e cirurgia, o atacante de 26 anos busca sua estréia, participou do treino dos reservas e deixou a sua marca com um golaço. Após receber passe de frente para o gol, colocou a bola entre as pernas de um zagueiro da base e marcou em chute colocado.

Sem os titulares de linha, que fizeram treino regenerativo na academia, o treino contou apenas com Cássio, Marlone e Guilherme dos jogadores que atuaram na noite de segunda-feira. Atletas como Rodriguinho, Rildo e Luciano também marcaram alguns gols.

Após o fim da atividade, Bruno Paulo e Walter seguiram em campo para uma atividade comandada pelo auxiliar Fábio Carille. Nela, o atacante arriscava chutes de fora da área, dando certo trabalho para o goleiro. No clube desde maio, o atacante já está recuperado de cirurgia no pé direito, mas ainda não foi relacionado para nenhum jogo.

Para Corinthians x Grêmio, domingo, às 11h, em Porto Alegre, o técnico Cristóvão Borges não poderá contar com Elias, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Diante do mau rendimento do time nos últimos jogos, outras mudanças poderão acontecer ao longo dos treinamentos da semana.









09/08/2016 19h52

Goleiro reserva do Corinthians sofre luxação no treino; veja plantão médico
Caíque França deixou o treino com dores no dedo mindinho e passou por um exame de raio-X, que não apontou fratura. Volante Willians faz tratamento preventivo


Por Marcelo Braga


Caíque deixou o treino desta terça com dores no dedo, mas exame não apontou fratura (Foto: Marcelo Braga)

Quarto goleiro do Corinthians, o jovem Caíque França, de 21 anos, deixou o treino desta terça-feira com uma luxação no dedo mínimo (ou dedo mindinho) da mão direita. O problema aconteceu durante uma das atividades do dia no CT. Atendido pelo médico Ivan Grava, ele passou por um exame de raio-X que não constatou fratura. Imobilizado, passará por novas avaliações na quarta-feira.


Além de Caíque, o departamento médico do Corinthians conta com outros dois jogadores: Danilo, que há uma semana se recupera de uma lesão muscular na panturrilha direita, e Willians, retirado dos últimos dois jogos para fazer um trabalho preventivo contra lesões no tornozelo direito. Nesta terça, ele nem foi a campo.


Já o zagueiro Pedro Henrique, fora da equipe há cinco jogos por uma lesão muscular na coxa esquerda, já realiza treinos no campo com preparadores físicos e em breve poderá ser reforço para o técnico Cristóvão Borges.


Elias, suspenso, não enfrenta o Grêmio no domingo, às 11h, em Porto Alegre, na abertura do returno do Brasileirão. O Timão é terceiro com 34 pontos.
Giovanni Augusto reclama de 'mimimi' no futebol
Segundo o meia do Corinthians, emitir uma opinião pessoal é direito dos atletas: "Temos que procurar nos ajudar para as coisas começarem a melhorar"


“O futebol hoje está muito cheio de mimimi. Algumas pessoas só gostam de criticar e se sentem ofendidas quando recebem a crítica. Os jogadores têm que ter o direito de dar a opinião. Temos que parar com esse mimimi e procurar nos ajudar para as coisas começarem a melhorar”, argumentou o camisa 17.
 “Falta um pouco de paciência, mudou muita coisa do ano passado para esse. Temos que ter tranquilidade para trazer o torcedor para o nosso lado. ”

“Para a nossa equipe, [a pressão] não atrapalha, nem para o Cristóvão. Ele já está acostumado. Ele tem a nossa total confiança. Contamos com o apoio do torcedor, que faz falta para a equipe”, lembrou.






Confira o texto na íntegra de Elias, publicado em seu Facebook:
Torcida Fiel e apaixonada pelo Corinthians, nossa torcida é INCOMPARÁVEL, pois o nome já diz FIEL, porque em toda a nossa história, todos nosso títulos, vocês tiveram uma contribuição enorme pra todas as conquistas, e nos momentos ruins estiveram apoiando, como o grito:
EU NUNCA VOU TE ABANDONAR..
Mas alguns acontecimentos, em jogos na nossa casa, algumas críticas, vaias e murmúrios, estão sim atrapalhando e prejudicando a equipe que sempre está em busca (às vezes bem, às vezes mal) e honrando essa camisa sofredora. Quando vaiam ou criticam qualquer membro do nosso grupo, vcs estão vaiando e jogando contra o Corinthians, porque nós estamos representando os mais de 30 milhões.. trabalhamos e lutamos sempre pra melhorar e honrar essa camisa...
Em nome de todo elenco, e com o respeito e conhecimento do que é ser Corinthians de verdade, sei que esse tipo de atitude não é, e nunca será característica do torcedor Corinthiano de verdade. Estamos lutando por um título, um título q muitos não acreditavam, e nós atletas, comissão e diretoria, precisamos do apoio INCONDICIONAL, de todos os amantes do Corinthians, porque só assim, tendo essa a união, seremos mais fortes e lutaremos juntos até o final... Em nome do grupo de trabalho. Elias.









Arbitragem definida para jogo do Corinthians de domingo contra gremio, em porto alegre, domingo, as 11h
Confira a escala completa:

Árbitro: Bráulio da Silva Machado – SC (ASP-FIFA)

Árbitro assistente 1 : Carlos Berkenbrock – SC (MAST)

Árbitro assistente 2 : Alex dos Santos – SC (CBF-1)

Quarto arbitro : Luis Teixeira Rocha – RS (CBF-1)

Inspetor : José Mocellin – RS (ASS)










CORINTHIANO MEIA GIOVANNI AUGUSTO FALA:


17:19

"Futebol está muito mimimi. Temos que ter o direito de dar opinião. Precisamos procurar nos ajudar" #trCOR 


17:18

"Temos feito bons jogos fora. Vencemos o Inter lá, podemos fazer um grande jogo contra o Grêmio" #trCOR

17:17

"Torcida criou expectativa de que venceríamos o primeiro turno. Empolgação é normal, mas futebol está muito difícil. Estamos focados" #trCOR

17:17

"Não atrapalha o Cristóvão as vaias. Está acostumado à pressão e tem nosso respaldo. Contamos com o apoio da torcida" #trCOR

17:15

"Falta paciência da torcida, estamos em fase de construção. De nossa parte, temos que chamar o torcedor para o nosso lado" #trCOR

17:14

"Tem muito campeonato pela frente, muita coisa pode acontecer" #trCOR

17:13

"Temos que ter a consciência de que podemos melhorar. É preciso ter equilíbrio, muita coisa pode acontecer" #trCOR


17:13

"As coisas de fora não entram no nosso grupo. Cobrança é normal. Precisamos ter sabedoria para absorver as coisas" #trCOR


17:06
"Fizemos um grande jogo. Com o trabalho as coisas tendem a melhorar" #trCOR

17:05

Giovanni Augusto acaba de chegar para falar com a imprensa. Coletiva vai começar #trCOR 

CORINTHIANS TREINO
17:03

Rachão recomeça. Giovanni Augusto não deve demorar a aparecer para falar com a imprensa #trCOR
16:59 Pausa para hidratação. Treino dos reservas se encaminha para o fim #trCOR






16:57 Caique, que fazia trabalho específico dos goleiros, caiu no gramado com dores e deixou o local. Problema na mão direita#trCOR

16:52
Com Elias suspenso, especula-se que Rodriguinho deva entrar no time  #trCOR

16:49
Treino em campo reduzido segue. Agora é a vez do time sem colete atacar o gol de Cássio #trCOR

16:35
Marlone é o mais acionado no rachão. Pela esquerda, busca alternativas para o time de colete infiltrar #trCOR
16:31

Marlone e Rodriguinho fazem boa dobradinha no time dos reservas com colete. São os destaques até aqui #trCOR

16:30
Zagueiro Pedro Henrique treina no gramado à parte. Ainda não trabalha com os reservas. Willians na parte interna do CT #trCOR

16:23
Reservas, incluindo Marlone e Guilherme, treinam no gramado. Times estão sendo divididos para rachão #trCOR 



16:06


Longe da imprensa, reservas dão início ao treino no CT Joaquim Grava #trCOR
16:04
Goleiros, incluindo Cássio, acabaram de aparecer no gramado para o treino. Reservas também devem chegar #trCOR 





15:51

Jogadores devem ficar na parte interna do CT. Por enquanto, não há movimentação no gramado #trCOR
15:50
Sentado longe do campo, Cássio conversa com a assessoria do clube e com Alessandro, gerente de futebol #trCOR

15:43

Portões abertos, mas ainda sem movimentação de jogadores no CT Joaquim Grava #trCOR



CORINTHIANS SE REAPRESENTA HOJE 15H30


09/08 - Terça-feira

15h30 - Treino no CT Dr. Joaquim Grava













Jogador do Chelsea, Mikel elogia estrutura da Arena Corinthians: "Te faz querer jogar futebol"

Um dos maiores nomes da história do futebol da Nigéria, volante ainda não foi ao campo de jogo, mas avaliou a estrutura do estádio como "fantástica"


16h00 09/08/2016 - Agência Corinthians

A Arena Corinthians recebeu a visita das quatro seleções de futebol masculino que jogarão na rodada dupla dos Jogos Olímpicos Rio 2016, que acontecerá nesta quarta-feira (10): Colômbia, Nigéria, África do Sul e Iraque. Entre todos os integrantes que foram ao estádio alvinegro nesta terça-feira (09), destaque para o volante John Obi Mikel, que atua pelo Chelsea (ING) e está jogando as Olimpíadas pela seleção nigeriana. Um dos maiores jogadores da história do futebol do país africano, com duas Copas do Mundo no currículo, o atleta fez muitos elogios à casa do Timão.

"Eu ainda não estive dentro de campo, mas vendo por fora, estive nos vestiários, me parece maravilhoso, fantástico. Para um clube de futebol como o Corinthians, ter uma estrutura extraordinária como essa é excelente. Te faz querer jogar futebol. É um estádio maravilhoso. Esperamos vir aqui amanhã e jogar bem para conseguir outra vitória", afirmou o jogador da Nigéria.

Mikel certamente tem lembranças do Corinthians, em um dos dias mais especiais da história do clube do Parque São Jorge. Pelo Chelsea, o nigeriano participou do Mundial de Clubes da FIFA em 2012 e estava no banco de reservas na final da competição, vencida pelo Timão por 1 a 0.

Pela última rodada da fase de grupos do torneio masculino de futebol do Rio 2016, Mikel liderará a Nigéria contra a Colômbia a partir das 19h, pelo grupo B. Logo depois, às 22h, África do Sul e Iraque fecham a rodada dupla, em partida válida pela chave A, a mesma do Brasil.







Rio 2016: equipes masculinas de futebol visitam Arena Corinthians na véspera de rodada dupla

Integrantes de Colômbia, Nigéria, África do Sul e Iraque concederam entrevista coletiva no estádio em que vão atuar nesta quarta (10) pelo torneio masculino de futebol dos Jogos Olímpicos

16h00 09/08/2016 - Agência Corinthians


A Arena Corinthians viveu mais um dia de Jogos Olímpicos Rio 2016 nesta terça-feira (09). O estádio do Timão recebeu integrantes das quatro seleções que jogarão pelo torneio masculino de futebol na rodada dupla desta quarta-feira (10): Colômbia, Nigéria, África do Sul e Iraque.


Técnicos e jogadores das equipes concederam entrevista coletiva à imprensa na casa alvinegra durante o início da tarde desta terça (09), falando sobre a expectativa para a última rodada da fase de grupos do futebol masculino das Olimpíadas.


Pelo grupo B, Colômbia e Nigéria se enfrentam a partir das 19h desta quarta (10). A equipe sul-americana empatou as duas partidas que disputou na chave contra Suécia e Japão. Já a equipe africana está com 100% de aproveitamento, classificado para as quartas de final.



Já pelo grupo A, o mesmo do Brasil, África do Sul e Iraque jogam às 22h, na segunda partida da rodada dupla. Os sul-africanos vêm de um empate por 0 a 0 com a Seleção Brasileira e uma derrota por 1 a 0 para a Dinamarca. Já os iraquianos empataram sem gols nos dois duelos que disputaram até o momento.




Cristóvão tem dúvida tripla para escalar o Timão no Sul

9 AGO 2016 09h42
O técnico Cristóvão Borges não terá o volante Elias na partida contra o Grêmio, às 11h (de Brasília) do domingo, em Porto Alegre, e conta com três opções para montar a equipe que encara os gaúchos. O camisa 7 levou o terceiro cartão amarelo no empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, na noite de segunda-feira, no estádio do Pacaembu , e terá de lugar a Rodriguinho, Cristian ou Camacho no próximo final de semana.
Especula-se que primeira opção seja Rodriguinho, que atuou como titular durante os dois meses de ausência do titular por conta de uma fratura na costela. Outro que está na disputa é Cristian. O jogador foi titular na reta inicial do Campeonato Brasileiro, com Tite, liberando Bruno Henrique para a função de segundo volante. Àquela época, coincidentemente, Elias também não estava à disposição, já que disputava a Copa América com a Seleção Brasileira.

Contratado no ano passado, Cristian foi pela primeira vez aproveitado em uma sequência de jogos e teve boas apresentações, principalmente em Corinthians 1x0 s7os. Um estiramento na coxa direita, porém, o tirou de combate por quase nove rodadas, fazendo-o perder espaço novamente.

Conhecido por não ousar muito em suas substituições, Cristóvão tem uma terceira alternativa se quiser dar uma oportunidade a Camacho. O jogador voltou a ser relacionado ontem mas não saiu do banco. Ele tem apenas dois jogos pelo clube e também passou um longo tempo parado por conta de uma lesão na coxa.

A definição sobre o substituto só deve sair a partir de quinta-feira, dia em que normalmente o treinador ministra uma atividade tática aos seus comandados. Com 34 pontos conquistados no Campeonato Brasileiro, o Corinthians é o terceiro colocado da competição







Elias vê Corinthians em1º turno com saldo positvo

Equipe iniciou o Campeonato Brasileiro-16 com Walter no gol, Felipe na defesa e Tite no comando técnico. Após mudanças, Elias dá nota acima da média ao desempenho coletivo

Gabriel Carneiro

9 AGO 2016 08h57

O Corinthians encerrou o primeiro turno da competição na terceira posição, a dois da liderança. O volante Elias, que é um dos líderes do elenco alvinegro, foi questionado sobre a nota que daria ao primeiro turno do Timão em 2016, e vê o desempenho acima da média, no mesmo nível dos outros ponteiros da competição.

- Nós estamos brigando pelo título, são só dois pontos atrás da liderança. Nós sabemos que precisamos crescer, mas também sabemos que estamos num caminho bom e que podemos melhorar ainda mais. Hoje somos um time 6,5, um bom primeiro turno, mas queremos alcançar a nota máxima e vamos trabalhar por isso. Tivemos muitas perdas, inclusive do nosso técnico, e a oscilação é natural - relatou Elias, logo após a partida realizada no Pacaembu.
Walter, Fagner, Felipe, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique, Marquinhos Gabriel, Elias, Rodriguinho e Romero; André foi a escalação do Corinthians na primeira rodada do Brasileirão. Deste time, Walter e Rodriguinho viraram reservas, Felipe foi vendido ao futebol português e até o comando mudou: Tite deixou o clube após sete rodadas para assumir a Seleção Brasileira e Cristóvão Borges foi contratado em seu lugar.

Cristóvão dirigiu o Corinthians em dez partidas até o momento: cinco vitórias, três empates e duas derrotas. Em terceiro lugar (dois acima do que o time estava sob o comando de Tite), a meta é crescer nas próximas rodadas e seguir brigando pela ponta até o momento da decisão.

- A equipe vem bem, estamos procurando fazer o trabalho com o grupo que temos e que tem condição de dar resposta. Problema é que a exigência é bem maior que a responsabilidade. Não vemos nenhuma equipe melhor que o Corinthians. Não é assim também. Estamos no nível do campeonato - argumenta o treinador.








Compreensivo, Cristóvão reconhece má atuação da equipe

Gabriel Carneiro

9 AGO 2016 00h33

Cristóvão Borges chegou ao décimo jogo pelo Corinthians sendo vaiado por parte da torcida.

- Se o time não ganha a torcida protesta e reclama, é normal. Quando o resultado não vem é mais fácil direcionar ao técnico, cultura... Minha vinda no Corinthians é uma substituição difícil, dificuldade de aceitação. Importante é que o trabalho está sendo feito e estamos brigando pela ponta, não tem ninguém jogando maravilhoso, é todo mundo irregular - disse Cristóvão, que vê os ponteiros do Brasileirão no mesmo nível.

- A equipe vem bem, estamos procurando fazer o trabalho com o grupo que temos e que tem condição de dar resposta. Problema é que a exigência é bem maior que a responsabilidade. Não vemos nenhuma equipe melhor que o Corinthians. Não é assim também. Estamos no nível do campeonato - argumentou o treinador.

- Hoje (segunda-feira) nós nos desequilibramos no segundo tempo, não conseguimos fazer a pressão que fazemos normalmente e eles conseguiram jogar. É uma equipe com bom toque de bola, movimentação, e que envolveu a nossa em certo momento. Agora eu preciso descobrir maneiras da equipe jogar bem, ter boa perfomance, e nós continuarmos brigando na ponta. Esse é meu foco, tenho que fazer isso para fazer o Corinthians brigar para ser campeão - sentenciou Cristóvão Borges, de cinco vitórias, três empates e duas derrotas no comando do Timão.






Cristóvão vê Corinthians "no nível do campeonato"

Tomas Rosolino Amaral Do Valle

9 AGO 2016 00h44

O técnico Cristóvão Borges ganhou declarações fortes de seus jogadores em sua defesa , mas não se preocupou com as vaias de parte da torcida do Corinthians para a entrada de Marlone no lugar de Romero, durante o empate por 1 a 1 com a equipe do Cruzeiro, na noite desta segunda-feira, no estádio do Pacaembu .

"Se o time não ganha a torcida protesta e reclama, é normal. Hoje (segunda) nós nos desequilibramos no segundo tempo, não conseguimos fazer a pressão que fazemos normalmente e eles conseguiram jogar. É uma equipe com bom toque de bola, movimentação, e que envolveu a nossa", avaliou o treinador

"Tenho absoluta certeza que se eu colocasse o Marlone no lugar de outro seria do mesmo jeito. Eu não sei te responder a razão das vaias, mas qualquer que fosse a substituição a reação seria a mesma. Aqui é equipe campeã, acostumada a ganhar, e quando não se ganha é assim mesmo. Eu estava esperando que isso acontecesse. Às vezes é de uma forma exagerada, porque é o comportamento, e isso só não vai acontecer quando ganhar", comentou.

"Nós vamos continuar brigando na ponta, temos condição para isso. Quando o resultado não vem é mais fácil direcionar ao técnico, cultura… Minha vinda no Corinthians é uma substituição difícil, dificuldade de aceitação. Importante é que o trabalho está sendo feito e estamos brigando pela ponta, não tem ninguém jogando maravilhoso, é todo mundo irregular. Não vemos nenhuma equipe melhor que o Corinthians. Não é assim também. Estamos no nível do campeonato", assegurou.

Por fim, o treinador indicou fazer algumas mudanças na equipe para a partida do Corinthians contra Grêmio, às 11h (de Brasília) do domingo, em Porto Alegre. Para o embate, ele sabe que não terá o volante Elias, suspenso por conta do terceiro cartão amarelo. Especula-se que Rodriguinho e Cristian brigam para substituir o camisa 7.

"Eu preciso descobrir maneiras da equipe jogar bem, ter boa performance, e nós continuarmos brigando na ponta. Esse é meu foco, tenho que fazer isso para fazer o Corinthians brigar para ser campeão", concluiu.









Marlone espera sequência no Timão, mas vê apoio 'impactante' da torcida

Pedido frequente da Fiel nas partidas do Brasileirão, meia entende escolha de treinador, se emociona com carinho das arquibancadas e se não se mostra insatisfeito com sua situação


Gabriel Carneiro

9 AGO2016
06h39

Pedido frequente de parte da torcida do Corinthians nos jogos do Campeonato Brasileiro, o meia Marlone sentiu novamente o apelo da torcida por seu nome durante o empate contra o Cruzeiro, no Pacaembu, nesta segunda-feira. Depois de entrar bem na equipe, o camisa 8 se mostrou muito emocionado com o carinho de parte da Fiel e aproveitou para negar que esteve insatisfeito em algum momento com sua condição de suplente no time do técnico Cristóvão Borges.

- Geralmente a torcida grita nome de ídolos, de quem ganhou títulos no clube, quem fez história. E eu que não sou nada, né? Cheguei esse ano... Ver a torcida gritar meu nome é algo muito impactante para mim. Algo assim que eu fiquei impressionado. Não tenho nem palavras. Nunca fui campeão aqui, não tenho história no clube. Poxa, a potência que é o Corinthians e a torcida, que é a maior do Brasil, gritar teu nome no estádio... Eu fico sem palavras - disse Marlone, logo após o segundo duelo consecutivo em que foi acionado por Cristóvão Borges.
Para o camisa 8, tudo é uma questão de ''esperar o tempo'' certo para, enfim, engatar uma sequência como titular do Corinthians. Sereno, falou em dias ''bons e ruins'' para justificar o que se passa com ele no Timão.

- Tudo tem um tempo para acontecer as coisas. Só estou crescendo, evoluindo como homem, profissional, atleta, amigo. Trabalhando pela oportunidade para as coisas acontecerem. Aqui na Terra há dias bons e ruins. Acho que é opção do treinador. Todo treinador tem uma visão e eu respeito. Mas em nenhum desses momentos, e já estou há oito meses no clube, eu deixei de ser profissional, de trabalhar. Vocês estão todos os dias no clube (jornalistas) e acompanham. Não deixei a peteca cair. Pelo contrário, sempre fui feliz no Corinthians - completou.

Embora não esteja insatisfeito, Marlone tomou conhecimento dos rumores de um possível empréstimo para outros clubes, já que despertou o interesse no mercado nacional. Quando os rumores aumentaram, tratou de conversar com a diretoria do Corinthians e fez um pedido especial.

- Esses rumores de negociação, em nenhum momento fui eu que bati o pé para sair, porque estava insatisfeito no Corinthians ou porque estava na reserva. Nunca foi isso. A única coisa que fiz foi chegar na diretoria e falar que se caso eles fossem me emprestar, que fosse para o Sport. Onde minha filha nasceu, marquei lá um grande campeonato, clube, amigos, cidade. Mas em nenhum momento fiquei insatisfeito com o Corinthians - finalizou.

O Corinthians volta a campo no próximo domingo, às 11h, para enfrentar o Grêmio, em Porto Alegre, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. 











No Corinthians, meia Marlone se impressiona com gritos por seu nome


Tomas Rosolino Amaral Do Valle

9 AGO2016
08h06


"Olha, eu fiquei impressionado em ter meu nome gritado pela torcida, foi uma emoção diferente para mim, uma emoção sem igual. Eu não tenho nenhuma história no Corinthians, nunca ganhei nada aqui, então não esperava algo assim. Foi realmente algo diferente ouvir o pessoal chamar pelo meu nome. Eu não sou nada ainda", avaliou o jogador.
Marlone teve problemas com contusão e pouca oportunidade.
Com a participação frente à Raposa, ele chegou ao seu sexto jogo pelo Corinthians no Brasileiro. Agora agradando o técnico Cristóvão Borges, ele é visto como peça importante para o segundo turno do Brasileiro, disputado juntamente com a Copa do Brasil.

"A janela está aberta, é uma possibilidade de as equipes europeias nos desfalcarem. Corinthians é grande clube com grandes jogadores, sempre sendo observados. Enquanto a janela estiver aberta corremos o risco, mas até então vamos seguir com esses atletas", comentou o comandante.

Com 34 pontos conquistados, o Timão fechou o primeiro turno dois atrás na terceira colocação. O clube volta a campo na partida contra o Grêmio, domingo, às 11h (de Brasília), em Porto Alegre. Após a boa participação, Marlone deve brigar por uma vaga de titular no ataque da equipe, com Romero, ou os meias Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto.






9/08/2016 09h30

Marlone se anima com torcida e diz: "Sempre fui feliz no Corinthians"
Meia-atacante admite que teve propostas e pensou no Sport, mas só se o Timão quisesse emprestá-lo. Boa atuação contra o Cruzeiro o deixa confiante para sequência


Por Diego Ribeiro


Marlone se prepara para o jogo contra o Cruzeiro, na segunda (Foto: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians)

A ideia do meia-atacante Marlone é ficar no Corinthians e retribuir todo o carinho que vem recebendo da torcida. Ele se surpreendeu com as reações vindas das arquibancadas. Dali vem a força para ele querer continuar no clube.

Marlone vinha tendo poucas chances desde a chegada do técnico Cristóvão Borges. Chamou a atenção de outros clubes e avisou que, se fosse emprestado, que fosse para o Sport, onde foi bem no Campeonato Brasileiro do ano passado e viu a melhor adaptação da família. O Corinthians, porém, sempre foi a primeira opção.

– Sempre fui feliz no Corinthians. Esses rumores de negociação, em nenhum momento fui eu quem bati o pé no Corinthians para sair porque estava insatisfeito em ficar na reserva. Em nenhum momento foi isso. Surgiu o interesse de alguns clubes e eu simplesmente passei pra diretoria que, caso eles fossem me emprestar, eu gostaria de voltar pro Sport, porque foi onde minha filha nasceu, onde marquei um grande campeonato. Já conheço o clube, os amigos, a cidade. Mas em nenhum momento fiquei insatisfeito no Corinthians – disse Marlone.

A boa atuação contra o Cruzeiro ajuda em sua missão no Corinthians. Depois de ouvir a torcida gritar seu nome, o meia-atacante entrou na vaga de Romero e fez boas jogadas. Marlone se emocionou com os pedidos dos torcedores.

Ver a torcida gritar seu nome é algo muito impactante. Fiquei impressionado

Marlone

– Não ganhei nenhum título. Geralmente a torcida grita o nome de quem ganhou títulos, quem fez história, deixou sua marca... E eu que não sou nada, estou chegando agora... Ver a torcida gritar seu nome é algo muito impactante. Fiquei impressionado, já venho ficando impressionado há alguns dias. Realmente, não tenho nem palavras – destacou.

A reserva não incomoda, ele garante. Em oito meses de Corinthians, Marlone tem apenas dois gols, ambos contra o Cobresal, pela Taça Libertadores da América. Agora, aos poucos, ele quer retomar seu espaço. Sem reclamar das escolhas de Cristóvão Borges.

– É opção do treinador, todo treinador tem uma visão. Respeito. Mas em nenhum desses momentos deixei de ser profissional, deixei de trabalhar, estou todos os dias no clube, vocês acompanham os treinos. Aqui há dias bons e há dias maus em todas as áreas, em todas as profissões. Com tudo isso, só estou crescendo, estou evoluindo como homem, como profissional, como aleta, como amigo. Trabalhando pela oportunidade para, quando chegar, poder corresponder – concluiu o meia-atacante.

O Corinthians volta a campo no próximo domingo, contra o Grêmio, às 11h (horário de Brasília), em Porto Alegre. A equipe terminou o primeiro turno do Brasileirão com 34 pontos, na terceira posição.









Uendel completou 100 jogos pelo Timão e foi homenageado

Antes da bola rolar, o lateral esquerdo recebeu uma camisa e uma placa das mãos do presidente Roberto de Andrade


11h30 09/08/2016 - Agência Corinthians






Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians


Ao entrar em campo contra o Cruzeiro na última segunda-feira (08), no Pacaembu, o lateral esquerdo Uendel completou 100 jogos pelo Corinthians. Vindo da Ponte Preta em 2014, Uendel assumiu a titularidade do Timão após a saída de Fábio Santos par o Cruz Azul-MEX.

Em 100 partidas pelo clube do Parque São Jorge, Uendel marcou seis gols. Em 2015, no segundo ano como jogador alvinegro, o lateral conquistou o título brasileiro. Titular durante boa parte da competição nacional, Uendel só perdeu seu lugar na equipe após uma lesão na reta final do campeonato.

Antes da bola rolar e já confirmado entre os titulares, Uendel foi homenageado pela marca centenária. Das mãos do presidente Roberto de Andrade, o jogador recebeu placa e uma camisa especial.





















09/08/2016 00h47
Corinthiano Cristóvão admite má atuação, mas diz: "Nenhuma equipe é melhor que nós"

Terceiro colocado no Brasileirão com 34 pontos, o Corinthians empatou pela terceira vez seguida como mandante na competição, novamente por 1 a 1, desta vez contra o Cruzeiro, no Pacaembu. Apesar das críticas da torcida e da clara necessidade na contratação de um atacante, o técnico afirmou que nenhum outro time vem jogando um futebol superior ao do Timão.

– A equipe vem bem. Procuramos fazer o trabalho com o grupo que temos, que tem condição de dar a resposta. E temos dado. A exigência é muito maior que essa possibilidade. Está tudo dentro. Não vemos nenhuma equipe melhor que o Corinthians. Estamos no nível do campeonato – disse Cristóvão
 O técnico admitiu a má atuação, mas valorizou o trabalho:

– Está jogando para estar em terceiro, sim. Hoje não, jogamos abaixo do nosso nível, não foi uma partida boa, mas a gente vem mantendo um nível de atuação regular E no campeonato não tem ninguém jogando uma maravilha. Por isso está equilibrado.  Esse é o Campeonato Brasileiro – explicou.

Chamado de "burro" pela torcida ao trocar Romero por Marlone no segundo tempo, o técnico considerou normal a fúria das arquibancadas diante da falta da vitória. O técnico já havia recebido vaias em alguns jogos anteriores, dentro da Arena Corinthians.

– O time não está jogando pior (do que com Tite), fizemos boas partidas. Desde que cheguei, até as que perdemos tivemos performance regular para boa. Não é por isso. Não tenho preocupação de descobrir isso, mas sim descobrir as maneiras da equipe jogar bem e seguirmos brigando na ponta. Só isso que me preocupa, é meu foco e concentração. Tenho de fazer isso para continuar brigando para ser campeão – projetou.


Veja mais trechos da entrevista de Cristóvão Borges:

Nos outros jogos, independente do sistema, jogamos pressionando. Hoje foi opção minha. No primeiro tempo eles estavam com os dois volantes jogando com liberdade, foi a maneira que achei para tentar bloquear. Jogamos recuados. No segundo tempo, eles tiveram mais movimentação e não conseguimos fazer a pressão que fazemos normalmente. Tivemos dificuldade de marcar e eles conseguiram triangular. É um time que tem bom toque de bola, muita movimentação dos meias e conseguiram envolver a gente.

Vamos continuar brigando na ponta, temos condição para isso. E quando o resultado não vem, deve ser mais fácil direcionar (ao técnico), pela cultura. A minha vinda para o Corinthians...Era uma substituição difícil de se fazer. Uma dificuldade de aceitação, mas acho normal. Estamos brigando como todos os times que estão na ponta, ninguém está jogando nada de maravilhoso, alternando jogos regulares e irregulares. Os jogos são duros, são assim.

Tenho absoluta certeza que se eu colocasse o Marlone no lugar de outro reserva que estivesse no banco comigo, seria do mesmo jeito. Não sei responder. Mas tenho certeza que qualquer que fosse a substituição, a reação seria a mesma.

Aqui é a equipe campeã, acostumada a ganhar, a cobrança é grande. Quando não se ganha, é questionado sempre. Falei quando cheguei que estava esperando que isso acontecesse. Às vezes de uma forma talvez exagerada. Independente da substituição, quem entre ou saia, vai ser assim. Só não vai acontecer quando ganhar. E vou trabalhar para ganhar sempre.

A possibilidade de saída de jogadores não é só com Bruno Henrique, a janela está aberta, é uma possibilidade das equipes, principalmente as europeias. O Corinthians é um grande clube, tem grandes jogadores que sempre são observados. Foi com Bruno, já aconteceu com outros e enquanto a janela está aberta, corremos esse risco.