4 de jul de 2016

CORINTHIANS 04/07/2016









CORINTHIANS É SEGUNDO COLOCADO DO BRASILEIRAO 2016 COM 25 pontos


GERENTE ALESSANDRO FALA SOBRE PATO E BUSCA POR NOVOS REFORÇOS NO CORINTHIANS 
04/07/161895 leituras O Corinthians segue em busca de reforços na Série A do Campeonato Brasileiro está atento no mercado tanto no futebol brasileiro, quanto em território sul-americano para 2016. Diante disto, o gerente de futebol da equipe alvinegra, também falou sobre a situação de Alexandre Pato e aguarda um posicionamento do próprio atleta para saber se continuará no Timão.  “É uma pergunta muito direta, né? Não sou contra, mas, para ficar a favor, depende de uma conversa com o jogador. Vai depender muito da conversa que teremos com ele na terça-feira. Precisamos ver o que o Pato quer para a carreira dele”, diz. 

 Alessandro também destaca que o Corinthians está atento para a disputa da Série A do Campeonato Brasileiro, mas garante que vai fazer o máximo para deixar o elenco qualificado. O gerente de futebol corintiano deixa claro que analisa o mercado para buscar novas peças e reforçar o setor alvinegro para está temporada. “Estamos atentos a situações que sejam importantes para somar a um elenco que já é qualificado”, completou Alessandro 

 Questionado sobre a busca por um novo camisa 9 no Corinthians, Alessandro se mostra paciente com a situação e aguarda a situação para avaliar as situações tanto na Série A do Campeonato Brasileiro e também na Série B. O dirigente deixa claro que confia bastante no futebol brasileiro, para trazer novas contratações para está temporada. “Eu acho que precisamos de paciência para analisar o nosso mercado, de Série A e Série B. Acredito muito no futebol brasileiro, é uma questão de saber peneirar bem”, concluiu








02/07/2016 08h29
Democracia Corinthiana: Casagrande lança livro sobre Sócrates e declara: ‘Foi menos reconhecido do que merecia’

No ‘Altas Horas’, o comentarista relembra parceria com o companheiro de Corinthians


Com talento e atitude, Sócrates e Casagrande abrilhantaram o futebol nacional e ajudaram a mudar a história do país. Companheiros na época da Democracia Corinthiana, movimento de atletas que decidiam através de voto as contratações e regras na concentração na década de 1980, os craques se tornaram símbolo de uma geração. “Vivenciando, você não tem noção da importância daquilo que está acontecendo. Eu sempre soube da minha ligação com o Sócrates, mas não tinha noção do tamanho.”

No Altas Horas deste sábado, 2/7, Casagrande comenta sobre o livro “Sócrates & Casagrande: uma história de amor”, que será lançado no próximo dia 12, em São Paulo. “Depois da morte dele, eu senti uma necessidade muito grande de passar essa história para todo mundo, porque ele era uma pessoa totalmente diferente da maioria dos jogadores de futebol e acho que ele foi menos reconhecido do que realmente merecia.”
Casão conta que ficou um tempo sem conversar com Sócrates, mas nega que eles tenham brigado. “Não teve nada, foi a vida que levou cada um para um lado. Eu tive meus problemas com drogas e me isolei não só dele, mas do mundo”, declara. “Infelizmente, quando eu me aproximei dele foi naquela situação em que ele estava, internado e em coma, mas eu tive a oportunidade de falar para ele tudo o que eu senti por ele e tudo o que ele representou na minha vida”, completa.













Especula-se interesse corinthiano em meia peruano

Segundo os sites peruanos Libero.pe e Depor.com, o meio-campista Alejandro Hohberg, do César Vallejo, tem negociações em andamento com o Corinthians para reforçar a equipe de Cristóvão Borges no segundo semestre. A informações ganhou força após o comentarista Roberto ‘Titin’ Drago contar a história durante a transmissão da vitória do César Vallejo por 3 a 1 sobre o Sport Huancayo.



04/07/2016 11h57

Histórico! Relembre a conquista do título da Libertadores da América invicta pelo Corinthians
Há quatro anos, Timão vencia o Boca Juniors no Pacaembu e levantava o inédito título sul-americano. Assista aos vídeos daquele dia que não sairá da memória da Fiel


Por GloboEsporte.com


O Corinthians vivia há exatos quatro anos um dos momentos mais marcantes de sua história. O Timão venceu o Boca Juniors por 2 a 0, no Pacaembu, e conquistou o título da Libertadores da America 2012, invicto




CORINTHIANS CAMPEAO DA AMERICA 2012, completa 4 anos

recordar






CORINTHIANS 2 X 0 BOCA JUNIORS

Local: Pacaembu
Data-hora: 4/7/2012, 21h50
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Assistentes: Abrahan Gonzales e Humberto Clavijo (COL)

Renda e público: R$ 2.580.912,50 / 40.186 total 37.959 pagantes 2.227 ñp
Cartões amarelos: Chicão, Leandro Castán e Jorge Henrique (COR); Mouche, Schiavi, Caruzzo e Santiago Silva (BOC)
Cartão vermelho: -
GOLS: Emerson Sheik, 8'/2ºT (1-0); Emerson Sheik, 27'/2ºT (2-0)

CORINTHIANS CAMPEÃO: 24-Cássio, 2-Alessandro, 3-Chicão, 4-Leandro Castán e 6-Fábio Santos; 5-Ralf, 8-Paulinho, 20-Danilo e 12-Alex (15-Douglas - 43'/2ºT); 11-Emerson Sheik (9-Liedson - 46'/2ºT) e 23-Jorge Henrique (25-Wallace - 46'/2ºT). Técnico: Tite banco +1-Júlio César, 10-Marquinhos, 16-Ramón, 9-Liédson grupo +22-Danilo Fernandes, 18-Wélder, 13-Paulo André, 21-Edenílson, 13-William Arão, 14-Luís Ramirez, 19-Élton, 7-William, 17-Gilsinho, 21-Romarinho

BOCA JUNIORS: 1-Orión (12-Sosa Silva - 32'/1ºT), 4-Sosa, 2-Schiavi, 6-Caruzzo e 3-Clemente Rodríguez; 18-Somoza, 16-Ledesma (20-Cvitanich - 20'/2ºT), 11-Erviti e 10-Riquelme; 7-Mouche (24-Viatri - 37'/2ºT) e 19-Santiago Silva. Técnico: Julio Cesar Falcioni +5-Sanchez, 8-Rivero, 21-Chavez






















 Corinthians 2 x 0 Boca Juniors


relembre este jogo
Libertadores 2012 - Final: Corinthians 2 x 0 Boca Juniors

 Corinthians 2 x 0 Boca Juniors

Ficha Técnica
Campeontato: Libertadores 2012 Local: Pacaembu
Data-hora: 4/7/2012, 21h50
Árbitro: Wilmar Roldan (COL)
Assistentes: Abrahan Gonzales e Humberto Clavijo (COL)
Renda e público: R$ 2.580.912,50 / 37.959 pagantes
Cartões amarelos: Chicão, Leandro Castán e Jorge Henrique (COR); Mouche, Schiavi, Caruzzo e Santiago Silva (BOC)
Cartão vermelho: -
GOLS: Emerson Sheik, 8'/2ºT (1-0); Emerson Sheik, 27'/2ºT (2-0)
CORINTHIANS: Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex (Douglas - 43'/2ºT); Emerson Sheik (Liedson - 46'/2ºT) e Jorge Henrique (Wallace - 46'/2ºT). Técnico: Tite
BOCA JUNIORS: Orión (Sosa Silva - 32'/1ºT), Sosa, Schiavi, Caruzzo e Clemente Rodríguez; Somoza, Ledesma (Cvitanich - 20'/2ºT), Erviti e Riquelme; Mouche (Viatri - 37'/2ºT) e Santiago Silva. Técnico: Julio Cesar Falcioni








Corinthians campeão da Libertadores da América 2012

04/07/2012

Sobre a Partida
Decidindo sua primeira final de Libertadores, o Corinthians venceu o Boca Juniors no Pacaembu por 2x0 e conquistou a Taça tão sonhada pela torcida.
No primeiro tempo, o Timão começou sem atacar muito e viu o Boca Juniors se sair melhor no início mas a partir dos 20 minutos o Corinthians se encontrou na partida e começou a mandar no jogo, construindo as melhores jogadas enquanto o Boca Juniors parava boa parte das jogadas com falta.
Na segunda etapa o Corinthians jogou um futebol mais tranquilo enquanto o Boca tentava fazer cera pra levar a partida pros pênaltis até que numa bola na área, Jorge Henrique escora de cabeça, Danilo toca de calcanhar e Emerson Sheik domina, bate e faz o gol.
Depois do gol, o Boca Juniors ficou nervoso e o Timão passou a dominar completamente a partida e num contra-ataque, Sheik mais uma vez ganhou a bola, correu mais que o zagueiro e fez 2x0, matando a partida e conquistando a primeira Libertadores pro Corinthians.
Avalie os personagens da partida



Títulares



>Craque da partida
Cássio
nota média: 9.9









Alessandro
nota média: 9.6














Chicão
nota média: 9.7














Leandro Castan
nota média: 9.9





Fábio Santos
nota média: 9.4








Ralf
nota média: 9.6







Paulinho
nota média: 9.7







Alex
nota média: 9.4







Danilo
nota média: 9.6





>Craque da partida
Emerson Sheik
nota média: 9.9



>Cartão amarelo
Jorge Henrique
nota média: 9.5



Reservas






Douglas
nota média: 8.3





Liedson
nota média: 9.3






Wallace
nota média: 8.4


Técnico



Tite
nota média: 10.0

















É final 





















Assista ao domínio corintiano sobre o Boca Juniors na final




É campeão! 













Veja o momento em que Alessandro levanta o troféu
Depois dos gols de Emerson, o 'novo Basílio', lateral faz história com a taça










É TUDO NOSSO! O Corinthians conquista a Libertadores da América, invicto


04 de Julho de 2012 às 23:50
































Emerson Sheik fez os dois gols da partida






Crédito da imagem: Antonio Lacerda/EFE


O dia mais sonhado pelos corintianos e mais temido pelos rivais chegou. Muitos acreditavam que não estariam vivos para presenciar este momento, mas o Corinthians é campeão da Libertadores. Um dos maiores mitos do futebol brasileiro veio abaixo no gramado do Pacaembu na noite desta quarta-feira, quando o predestinado Emerson Sheik deu o primeiro título do Corinthians na história da Libertadores.


Com dois gols no segundo tempo, o atacante selou a vitória por 2 a 0 sobre o multicampeão Boca Juniors e pôs fim a uma longa espera da Fiel Torcida.


Foi um desfecho do jeito que o 'bando de loucos' adora, com sofrimento, suspense e gols de raça. Sheik que já havia sido herói na vitória sobre o Santos no primeiro jogo da semifinal fez valer sua aura de talismã, construída com o tricampeonato brasileiro por três equipes diferentes em anos seguidos. Assim, se iguala no coração corintiano a nomes do olimpo alvinegro, como Basílio-1977 e Tupãzinho-1990.


Primeiro um gol de pé esquerdo, aproveitando rebote dentro da área do Boca Juniors, depois um golaço arranco com a bola dominada desde o meio de campo, em repertório que provavelmente elevará Emerson ao nível dos maiores ídolos da história do Corinthians.


A vitória na final sobre o hexacampeão Boca, de Riquelme e companhia, coroa uma campanha quase perfeita, sem derrotas e apenas quatro gols sofridos (em 14 partidas). O técnico Tite montou uma equipe que praticamente não passa sustos, e acaba contemplado com o mais importante troféu do futebol sul-americano. Foi uma trajetória para ninguém contestar, com sucessos no mata-mata em duelos nacionais diante de Vasco e Santos, em noites que o Pacaembu não vai esquecer.


Agora, que venha o Chelsea de Lampard e Ramires, numa projeção de um duelo com os atuais campeões europeus no Mundial da Fifa no Japão, no final do ano. E assim como na trajetória campanha da Libertadores, ninguém duvida que a Fiel estará do outro lado do planeta para cantar e empurrar o time até o fim e que a festa vai se arrastar por todo o segundo semestre.


Sem a badalação de outras incursões na Libertadores, ao contrário do time de Ronaldo Fenômeno e o da 'era Marcelinho', a turma de Tite esculpiu sua campanha na edição 2012 do torneio baseada em uma estratégia defensiva bem-sucedida e muita eficiência nas moderadas ações ofensivas. Tite jamais se abalou com as críticas à cautela tática do sistema que montou e foi com ele até o fim.


Em comparação com o grupo campeão brasileiro do ano passado, o atacante Liedson perdeu espaço no time. Por sua vez, Chicão reconquistou a confiança de Tite e voltou a ser decisivo na zaga ao lado de Leandro Castán. No meio de campo, uma formação que blindou a confiança do torcedor contra os traumas passados, com o marcador implacável Ralf e o multitarefas Paulinho. Destaque também para a experiência de Alex, Danilo e, claro, Emerson Sheik.


A história do Corinthians campeão da Libertadores ainda reserva capítulos à parte para dois nomes que a Fiel conheceu neste ano. Cássio assumiu o gol na fase eliminatória, após falhas de Julio Cesar no Paulistão, e virou fundamental debaixo das traves. Na decisão, brilhou a estrela do reserva Romarinho, recém-contratado junto ao Bragantino, autor do gol de empate na partida de ida contra o Boca em La Bombonera.


Apesar da festa da torcida no Pacaembu, o clima era de muita tensão do lado de fora e houve confrontos entre policiais e torcedores antes do jogo. Em campo, o nervosismo também era visível nos minutos iniciais. Em menos de cinco minutos, o esquentado Erviti se estranhou com Paulinho e Ralf. Chicão e Mouche receberam cartões amarelos.


Sob tensão, o Corinthians não conseguia impor sua tradicional marcação, enquanto os xeneizes aproveitaram o melhor início e pressionavam a saída de bola alvinegra com os dois volantes adiantados. O craque Riquelme tinha liberdade, transitava pela intermediária e era marcado apenas à dist'ncia.


O Timão conseguiu encaixar a marcação e equilibrou a partida levando mais perigo com jogadas de Alex e Emerson, que levantou os braços para incendiar as arquibancadas.


A partida seguiu sem muitas chances de gol e com a marcação se sobressaindo sobre a criação. No lado do Boca, os atacantes se mostraram lentos e pouco se via de Riquelme que perdeu disputa individual com Paulinho no centro e não conseguiu produzir com os homens das alas.


O Corinthians não permitia que o Boca levasse perigo, mas tinha dificuldades para acertar o passe e adiantar a marcação, uma de suas metas antes da partida. Danilo e Alex passaram a atuar mais pelo meio para preencher os espaços e a equipe teve as melhores chances, mas não assustou muito.


O que parecia ser sorte de campeão apareceu quando o goleiro Orion sentiu uma lesão e saiu antes do intervalo. O reserva Sosa Silva entrou na meta argentina com a missão de parar o ataque corintiano.


O Boca gostava do empate e começou o segundo tempo já fazendo cera. Riquelme ganhava bastante tempo nos escanteios, pedindo espaço para os fotógrafos. Mas a estratégia de nada funcionou.


O Corinthians cresceu no jogo e foi corado com um gol histórico de Emerson Sheik. Bonito como a explosão da torcida e os fogos que incendiaram o Pacaembu. Na cobrança do Alex, Danilo teve inteligência para dar um passe de calcanhar e o atacante estampou as redes para marcar seu quarto gol e igualar Danilo como artilheiro da competição.


Após o jogo, o Corinthians manteve sua postura ofensiva, sem se esquecer de voltar para marcar. Dessa forma, neutralizava o Boca que deu pouco trabalho a Cassio, mesmo em desvantagem no placar.


E, iluminado, Emerson Sheik apareceu novamente para selar o título e levar a Fiel ao delírio aos 27 min. O atacante aproveitou o erro de Schiavi na saída de bola e teve tranquilidade para invadir a área e tocar rasteiro na saída de Sosa.


O Corinthians confirmou sua supremacia na partida e precisou apenas administrar o placar, enquanto o Boca se lançava ao ataque em tentativas desesperadas. Mas quando preciso, lá estava Cassio. Ainda houve tempo para Sheik ser substituído já nos acréscimos e sair lentamente de campo para irritar os jogadores do Boca. Mas foi só esperar o apito final e vibrar a conquista das Américas pela primeira vez na história.


O próximo jogo do Corinthians será pelo Brasileirão contra o Sport nesse domingo às 16h00










CORINTHIANS TEM QUE RECEBER PATO DE VOLTA NA TERÇA




Alexandre Pato se reapresentará ao Corinthians apenas nesta terça-feira, mas já está apto a entrar em campo caso o técnico Cristóvão Borges assim solicitar. O atacante, que atuou por empréstimo no Chelsea (ING) no primeiro semestre da temporada, foi registrado no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF desta segunda.




Desta maneira, Pato está regularizado junto à CBF e tem a possibilidade de reforçar o Timão no próximo sábado, data da partida contra a Chapecoense, às 16h30 (de Brasília), na Arena Condá.




Também nesta segunda, Pato voltou a ganhar as manchetes da imprensa italiana O jogador brasileiro é cotado na Lazio




Há exatas duas semanas no comando técnico do Corinthians, Cristóvão Borges já sinalizou que pretende contar com Pato. Isso porque, em sua avaliação, o atual campeão nacional carece de peças ofensivas se quiser lutar pelo bicampeonato brasileiro e pela Copa do Brasil.




Após o Corinthians golear por 4 a 0 sobre o Flamengo, na tarde de domingo, na Arena, Cristóvão voltou a falar a respeito do ex-camisa 7. “Em relação ao Pato, vamos esperar a chegada dele. Está se refazendo a equipe, o trabalho desse ano era remontar, fazer outra equipe porque perderam muitos jogadores. É necessário que as coisas caminhem assim, precisa de afirmação, precisa de confiança”, concluiu.




O jogador tem vínculo com o clube paulista até 31 de dezembro, mas já pode assinar um pré-contrato com qualquer outro time. O Chelsea, que possuía o direito de compra de Pato, não o exerceu até o momento. De acordo com o presidente do Timão, Roberto de Andrade, o atleta só deixará o Parque São Jorge caso seja vendido em definitivo