3 de jun de 2014

Em evento no Parque São jorge , Andrés é cobrado sobre preço de ingressos de jogos do Corinthians



03 de junho de 2014 • 20h36

Em evento no Parque São jorge , Andrés é cobrado sobre preço de ingressos de jogos do Corinthians


Marcos Guedes

Responsável pela construção e pela administração do estádio do Corinthians, Andrés Sanchez foi ao Parque São Jorge na noite de segunda-feira participar do lançamento de um livro sobre a Arena Corinthians. Antes de participar do debate que promovia o livro, o ex-presidente alvinegro ouviu novas reclamações sobre os preços cobrados na nova casa do clube em Itaquera.




Oito torcedores, alguns deles vestidos com roupas de torcidas organizadas, conversaram por cerca de meia hora com o dirigente. Embora houvesse familiaridade entre os que se comunicavam, o tom foi frequentemente ríspido, e se formou um cerrado semicírculo em torno de Andrés, no vidro da farmácia que funciona no Parque Sao Jorge em frente ao auditório.

Os ingressos na Arena Corinthians, nos dois jogos disputados por lá, custaram de R$ 50 a R$ 400 (R$ 35 a R$ 280, com o desconto dos fies-torcedores), com menos espaço popular do que havia no Pacaembu. Os protestos têm sido frequentes, com gritos de "Andrés, aqui não tem burguês", mas o ex-presidente já avisou repetidas vezes que não vai mudar os valores.

Questionado sobre detalhes da conversa com os torcedores, o cartola disse: "Pergunta pra eles!". Nem quando questionado sobre o sonho do estádio realizado, tornou o semblante mais ameno. "Se eu te enumerar os problemas que tivemos, vamos ficar aqui falando meia hora."

Ainda não é alívio o que sente Andrés, a menos de dez dias da abertura da Copa do Mundo no estádio do Corinthians. "Tive tantos problemas nos últimos meses que não consigo sentir nada. O que me sinto, como torcedor, é triste porque não conseguimos ganhar lá ainda. Se Deus quiser, nos próximos jogos, vamos ganhar."