1 de jun de 2014

BRASILEIRÃO 2014 - CORINTHIANS 1 X 1 BOTAFOGO

BRASILEIRÃO 2014 - CORINTHIANS 1 X 1 BOTAFOGO
Uma coisa é ter uma casa nova, outra é se sentir em casa. Depois que mudamos para um lugar novo, é natural que precisemos deixar o espaço mais do nosso jeito, mais aconchegante. Se contra o Figueirense, o Corinthians não se comportou como dono da casa, hoje, contra o Botafogo, pareceu que ia melhorar. A equipe vencia até os 41 minutos do segundo tempo, mas de tanto desperdiçar chances para matar o jogo sofreu o empate. Amargo. Muito amargo.

O começo nervoso e a primeira vez

O Corinthians começou nervoso mais uma vez. Apesar do tal “oba-oba”, que o treinador Mano Menezes se referiu após a vitória contra o Cruzeiro ter sido evitado, a equipe não conseguia deixar a bola no chão, se concentrar para valer na partida e buscar o resultado. Com isso, o Botafogo se aproveitou para ameaçar a meta corinthiana e deixar o torcedor apreensivo.

Foram duas chegadas incisivas e duas defesaças de Walter e as duas com Ferreyra. A primeira, é verdade, em posição irregular. A segunda contou com uma intervenção espetacular do goleiro corinthiano.

E goleiro é assim: ele precisa estar lá quando se precisa dele. O Corinthians precisou, Walter correspondeu. Era o que precisava.

Foram 113 minutos. Noventa da partida contra o Figueirense e mais vinte e três até que a bola saiu dos pés de Jadson, numa bomba, certeira, sem chance alguma para Renan. O Corinthians balançava a rede do seu estádio pela primeira vez e colocava 1 a 0 no placar.

A vantagem tirou um peso das costas dos jogadores corinthianos. A equipe deixou os jogadores claramente mais relaxados, mas sem perder o foco na partida. O Timão, inclusive, teve duas chances para ampliar o placar com Bruno Henrique. Na primeira, quase em cima da linha, o volante passou da linha da bola. Na segunda, de fora da área, arriscou bom chute para defesa de Renan. Jogo consiste e vantagem corinthiana no intervalo.

Sem matar o jogo vem o castigo no final

Na volta para o segundo tempo, antes mesmo das equipes esquentarem, Ralf apareceu esperto na frente de Renan após cabeçada de Gil. Um toque leve, bola na trave e quase o 2 a 0 no placar.

Quando as equipes entraram no ritmo o jogo ficou aberto. O Botafogo se arriscava atrás do gol de empate e obrigava o Corinthians a se defender. Aos 10, Wallyson bateu com perigo e obrigou Walter a ceder escanteio.

Se em outras oportunidades o time corinthiano recuaria, dessa vez os comandados Mano Menezes resolveram combater o adversário atacando. Em duas oportunidades, uma com Petros e outra com Guerrero, o Corinthians teve chance clara de marcar o segundo gol e não aproveitou. Irritado com a falta de pontaria, Mano promoveu a entrada de Luciano no lugar de Romarinho.

Para desespero de Mano, a equipe seguiu desperdiçando oportunidades. Seja na conclusão ou no último passe, o Corinthians dava sopa para o azar. Faltava um lance que fosse suficiente para matar o jogo.

Não matou. E com isso viu Edilson, aos 41 minutos do segundo tempo, empatar a partida. O 1 a 1 deixa um gosto amargo para o Timão que só poderá vencer em seu estádio após a Copa.

O público na Arena Corinthians foi de 37.119 e a renda R$ 2.616.819,50

Agora, o Corinthians tem 16 pontos e depende do resultado entre Fluminense e Internacional, para saber se fica no G-4. O próximo jogo corinthiano será contra o Internacional, dia 16 de julho, ainda sem local definido
 .meu timão

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1X1 bota
Campeontato: Brasileirão 2014
Local: Arena Corinthians,
Data: 1º de junho de 2014, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Público: 37.119 pagantes
Renda: R$ 2.616.819,50
Cartões amarelos: Ferreyra, Airton e Edilson (Botafogo)
Gols: (Corinthians) Jadson, aos 24 minutos do primeiro tempo (Botafogo) Edilson, aos 41 minutos do segundo tempo
CORINTHIANS: Walter; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros (Zé Paulo) e Jadson (Renato Augusto); Romarinho (Luciano) e Guerrero
Técnico: Mano Menezes
BOTAFOGO: Renan; Lucas (Daniel), Bolívar, André Bahia e Júnior César; Airton (Jorge Wagner) e Bolatti; Edilson, Zeballos e Wallyson (Gegê); Ferreyra
Técnico: Vagner Mancini