2 de jun de 2014

Andrés aposta em alugar espaço para eventos e naming rights para pagar Arena Corinthians Andrés Sanchez admite divida por Arena Corinthians e detona 'padrão Fifa'

01/06/201418h42


 Andrés aposta em stand up, casamento e até em feira para pagar Arena Corinthians

Por ESPN.com.br 
O estádio do Corinthians ficou pronto. Resta agora pagar a conta da arena - uma das mais modernas do país -, construída para ser casa do Corinthians. E para quitar a dívida em 20 anos com o BNDS referente ao estádio, o time terá que arrecadar R$ 480 milhões.
Jadson faz o 1º gol, mas Corinthians vacila, só empata com Bota e segue sem vencer na Arena
Quantia que o clube pode amealhar através da renda dos jogos corintianos, desde que a média de público nas partidas corintianas em casa gire em torno de 30 mil pessoas. Se o público for menor do que espera a diretoria do Corinthians, porém, o clube terá que encontrar outras maneiras para fazer essa conta fechar. 


Em entrevista concedida neste domingo, Andrés Sanches - ex-presidente do Corinthians e atual administrador da Arena Corinthians - disse que o clube vai ter que apelar para formas alternativas de arrecadação. 

"Serão no máximo 40 partidas de futebol por ano. O grande desafio do Corinthians é utilizar toda a estrutura que temos aqui para eventos, para festas, para casamento, para stand-up, para shows, para peças de teatro, para feiras", disse Andrés, maior responsável pela construção do estádio corinthiano. "Aqui, temos 42 mil metros no lado oeste, com ar condicionado, com estacionamento privativo, com cozinhas e com lanchonetes para fazer qualquer tipo de evento".

Dificuldade em negociação de "naming rights"

Ainda sobre o pagamento da dívida corintiana, Andrés atribuiu a dificuldade em vender os naming rights ao pouco costume que se tem no Brasil de batizar arenas com nome de empresas. 

O clube espera pagar a parte de sua dívida com a venda do nome do estádio, por R$ 400 milhões por dez anos.









Andrés Sanchez admite divida por Arena Corinthians e detona 'padrão Fifa'
O ex-presidente comentou sobre a decisão dos Bombeiros em vetar setor Norte da Arena. Sobre a Fifa, Andrés foi direto: 'Essa história de padrão Fifa é uma tremenda bobagem'


LANCEPRESS! - 01/06/2014 - 16:00

Polêmico, André Sanchez detona padrão Fifa (Foto: Arquivo LANCE!)

Em entrevista coletiva antes da partida entre Corinthians e Botafogo, neste domingo, na Arena Corinthians, ex-presidente do Timão, Andrés Sanchez, detonou o "padrão Fifa" e fez duras críticas à entidade máxima do futebol:

- Essa história de padrão Fifa é uma tremenda bobagem. O que a Fifa quer é estádios em condição para ter jogo de Copa, coisa que a cidade não tinha. Eles querem o estádio para isso. Agora, como vai ser o estádio, o que vai ter, isso é a gente que decide - detona, curto e grosso.


Ácido, Andrés apoiou a decisão do Corpo de Bombeiros em vetar o setor Norte da Arena Corinthians para a partida. Para ele, a prioridade deve ser a segurança dos torcedores:

- Fiquei contente. A segurança é a primeira preocupação. E, se não estiver liberado para a Copa, não é para usar também. Se os bombeiros não liberaram é porque não era para liberar, não era seguro. Quando for seguro vão liberar. Os bombeiros não são loucos de liberar algo que não está seguro - disse, feliz com a decisão.


Andrés também afirmou ter conversado com as torcidas organizadas do Corinthians, para evitar danos ao estádio. Na partida de estreia realizada no dia 18 de maio, contra o Figueirense, 55 cadeiras foram danificadas nos setores onde as organizadas estavam:

- Em todos os estádios, são quebradas de dez a vinte cadeiras. Exageramos um pouco, é da nossa cultura. Mas eles estão tomando cuidado, tivemos uma reunião com eles. Depois da Copa, vão tirar as cadeiras - comentou.

Um dos responsáveis pela Arena Corinthians, Andrés cutucou também o atraso na definição dos naming rights do estádio. Segundo ele, que já realizou viagens ao Oriente Médio em busca de negociantes, o acordo está próximo:

- Já estamos atrasados. Não dá para eu ser hipócrita e dizer que não estamos atrasados, porque estamos. Era para ter fechado isso faz um ano e meio. Mas acredito que em um tempo próximo aí a gente fecha - afirmou, para continuar - É uma questão de costume. No Brasil ainda não estamos acostumados a batizar as coisas com os nomes das empresas. Na Europa isso é normal, mas aqui é mais complicado, por isso que está demorando um pouco mais.

Sanchez fez comentários também sobre a dívida que o Corinthians contraiu para a construção de sua Arena. Ao admitir que o valor chega a R$ 100 milhões, Andrés redirecionou suas críticas para a imprensa esportiva:

- Estudos mostram que se tivermos uma ocupação média de 30, 35 mil pessoas, o estádio se paga tranquilamente. Agora, se tivermos 20 mil por jogo teremos de pagar com outras fontes de receita. Realmente temos R$ 100 milhões de juros para pagar pela demora na liberação das verbas. É algo que nem deveria ter acontecido. Mas agora está tudo resolvido. Por que agora vocês (imprensa) estão preocupados com isso? Vocês não diziam que o estádio saiu de graça? Por que agora querem saber como vamos pagar? - finaliza.