31 de mai de 2014

"Otimista", Mano já se permite falar na briga pelo título com o Corinthians Em 10 dias, Mano supera protestos, mantém equipe e faz Timão arrancar

31 de maio de 2014 • 08h21

"Otimista", Mano já se permite falar na briga pelo título com o Corinthians


Técnico está satisfeito com a evolução alvinegra no BrasileiroFoto: Getty Images

Mano Menezes previa bastante dificuldade para o Corinthians no início do Campeonato Brasileiro e planejava ajeitar o time na parada para a Copa do Mundo. Houve, sim, dificuldade, mas a liderança é uma possibilidade antes do recesso, o que amplia o horizonte.

"Eu penso que é um pouco cedo para objetivamente falar sobre isso, mas nós queremos, sem dúvida nenhuma, brigar pelo título. Trabalhando no Corinthians, tendo o que temos à disposição, precisamos trabalhar para brigar pelo título. Sem dúvida nenhuma", afirmou o treinador.

Após oito rodadas, o Corinthians está na terceira colocação da competição nacional, apenas um ponto atrás do líder - derrotado pelo time do Parque São Jorge na última quarta-feira. A combinação certa de resultados no domingo pode assegurar a primeira posição até o retorno do Nacional, no meio de julho.

"Estou otimista em relação à segunda parte. Saímos de uma dificuldade tão grande no Paulista e tivemos uma resposta que já nos coloca entre as primeiras equipes. É lógico pensar que vamos estar melhores quando voltarmos dessa parada. Estou bastante otimista", sorriu Mano.

Além do mês de treinos, haverá a integração de Elias, considerado peça-chave para as pretensões alvinegras no Brasileiro. Terminada a Copa do Mundo, também estará à disposição o meia-atacante uruguaio Lodeiro. A diretoria ainda espera fechar com um zagueiro e um atacante.


Na visão do treinador, só na metade da competição será possível fazer uma avaliação mais real das possibilidades. Ele prevê oscilações pelo fato de a equipe ainda estar em um processo de formação, mas já vê uma clara evolução em relação à péssima campanha no Estadual, com eliminação na primeira fase.
publicidade


"Estamos em um segundo estágio, certamente. O primeiro passou no Paulista. Tínhamos que confirmar algumas ideias, e isso se faz em campo. Certamente, estamos no segundo estágio, mas temos que melhorar bastante. Repetir a ideia de jogo, fazer isso dentro e fora de casa, dentro e fora de casa, contra adversários de nível, como fizemos contra o Cruzeiro, de forma constante, é o último passo", comentou Mano.

Esse passo será dado, imagina o gaúcho, "com todas as contratações encorpadas". Ele já tem "certeza de que o time estará nesse bolo da frente", mas ainda vê o projeto inconcluso, como o estádio corintiano em Itaquera. "Faltam uns dois laudos ainda. É bastante, laudo demora... Faltam dois laudos para a parte superior."


















31/05/2014 07h50

Em 10 dias, Mano supera protestos, mantém equipe e faz Timão arrancar
Experiente, técnico diz que, se dependesse das reclamações, teria mudado muita coisa durante má fase. Manutenção, porém, dá frutos após três partidas


Por Diego Ribeiro

Mano supera má fase no Corinthians
(Foto: Daniel Augusto Jr/ Ag. Corinthians)

Vaiado há 10 dias, quando o Corinthians não estava em sua melhor fase, Mano Menezes viveu cenário bem distinto após a vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, na última quarta-feira, no Canindé. Acostumado às mudanças de humor da torcida alvinegra, o comandante exaltou o apoio vindo das arquibancadas nos últimos jogos e pediu que isso se repita neste domingo, na Arena Corinthians, onde o Timão enfrenta o Botafogo – é a última partida antes da pausa para a Copa do Mundo.


Sereno, Mano Menezes diz não ter se abalado com as reclamações após o empate por 1 a 1 com o Atlético-PR, dia 21 de maio. Se dependesse dos protestos, o técnico poderia ter feito mudanças na equipe. No entanto, deu padrão tático, não mudou uma peça sequer e ganhou uma resposta com duas vitórias – além do Cruzeiro, o Timão bateu o Sport.


– Se eu fosse precipitado, teria mudado muita coisa de quarta-feira passada para essa, e certamente isso teria trazido muito mais prejuízo do que crescimento. A vantagem de ser um técnico experiente é que ele sabe como as coisas funcionam, e nisso me enquadro bem – ressaltou Mano.


A viagem para o Recife logo depois do empate com o Atlético-PR ajudou a melhorar a confiança dos jogadores. O próprio Mano havia dito que o Corinthians jogava melhor fora de casa, e a distância da torcida, àquela altura muito nervosa, seria benéfica. Atuando da forma que mais gosta, sem se expor muito e esperando oportunidades para contra-atacar, o Timão fez 4 a 1 e voltou bem mais tranquilo.


Contra o Cruzeiro, a postura das arquibancadas foi bem diferente. A boa atuação ajudou, claro, mas Mano viu aquilo que deseja: a Fiel jogando junto, e com paciência para entender possíveis dificuldades.


– Precisamos muito do torcedor ao nosso lado, e o que tentamos fazer é que a equipe dentro de campo mereça esse apoio. Se tiver o comportamento que teve no Canindé, o torcedor vai estar ao lado do time até mesmo na dificuldade. A dedicação é que contagia o torcedor do Corinthians – analisou Mano Menezes.


Neste domingo, contra o Botafogo, o Timão deve ter cerca de 40 mil torcedores a favor em seu estádio. Com 15 pontos, a equipe de Mano é a terceira colocada na tabela, um ponto atrás do líder. A formação do Corinthians será a mesma das últimas duas partidas, com Walter, Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros e Jadson; Romarinho e Guerrero.