26 de mai de 2014

Mano diz querer permanência de Ralf no Corinthians, mas não descarta saída do volante


Mano diz querer permanência de Ralf, mas não descarta saída do volante
Treinador do Corinthians diz que assunto é complexo e que negociação pode ocorrer caso seja 'vantajosa para todos os lados'. Clube não vai dificultar se aparecer boa proposta


LANCEPRESS! - 26/05/2014 - 07:30

Ralf está no Corinthians desde 2010 (Foto: Miguel Schincariol/ LANCE!Press)

Ralf pode não ser mais jogador do Corinthians após a Copa do Mundo, que acaba em julho. O volante já manifestou desejo de deixar o clube para a Europa, e a diretoria alvinegra decidiu que não vai se opor caso uma boa proposta apareça.

Neste domingo, após a goleada do Timão por 4 a 1 sobre o Sport, na Ilha do Retiro, o técnico Mano Menezes comentou sobre a possibilidade. Mano foi consultado pelos dirigentes e não se opôs à saída, contanto que um substituto à altura seja contratado. Publicamente, ele afirmou que não deseja a saída, mas admite que ela pode ocorrer.

- Sempre sou consultado para saídas e chegadas de jogadores do grupo. Não é uma única opinião que define a situação. As coisas são complexas. Tem o interesse do atleta, o respeito por tudo que ele fez e construiu no momento mais vitorioso. E também a direção leva em consideração, precisa ser uma coisa muito vantajosa para todos os lados. Isso vai definir. Eu prefiro que ele permaneça, obviamente - afirmou o treinador alvinegro, no Recife.

Nos últimos dias, Mano já admitiu a pessoas mais próximas que cogita sacar o camisa 5 da equipe titular para escalar dois volantes que saibam sair mais para o jogo. No elenco, Bruno Henrique e Guilherme poderiam fazer a primeira função, enquanto Elias e Petros poderiam ser escalados como segundo homem.

Vale lembrar que foi o próprio Mano quem deu o aval para sua contratação do Barueri, em 2010, quando ele ainda era um desconhecido. Depois, ele convocou-o para a Seleção Brasileira. Certa vez, porém, afirmou que gostaria de volantes mais completos, que soubessem sair para o jogo, justificando sua ausência em uma das convocações.