24 de mai de 2014

Em homenagem emocionante, Corinthians inaugura busto em homenagem a Rivellino


Em homenagem emocionante, Corinthians inaugura busto em homenagem a Rivellino 15h40 24/05/2014 - Cultural Agência Corinthians

  © Rodrigo Coca/Ag. Corinthians Clique na imagem e confira outras fotos do evento


Na manhã deste sábado (24), o Corinthians inaugurou, na Praça da Liberdade, no Parque São Jorge, um busto em homenagem ao ex-jogador Rivellino, assinado pelo artista Edu Santos.

Durante a celebração marcada de muita emoção, o presidente Mário Gobbi falou sobre o atleta alvinegro, que segundo ele sempre teve a cara do Corinthians. “Este busto repara uma injustiça muito grande feita em 1974, onde em um esporte coletivo se debita o revés a uma única pessoa e no esporte coletivo todos ganham e todos perdem. Ele foi o único jogador do Corinthians que jogou a Copa das Copa, na seleção das seleções como titular, graças a sua genialidade. Hoje fizemos a reparação do desagravo feito naquela época, reconhecendo todo o amor e carinho com a eternização do busto no jardim do Parque São Jorge ”, declarou o mandatário alvinegro.

O evento também atraiu o ex-jogador, como Basílio, e o ex-presidente Andrés Sanchez. "O Rivellino é um grade amigo. Na minha opinião, ele é o melhor jogador quer já vi jogar pelo Corinthians. Títulos ganhamos e perdemos, mas atleta como esse nunca ninguém viu jogar. Rivellino, só tem um”, disse Sanchez.

Flávio Ferrari, diretor cultural, falou sobre a felicidade de fazer parte deste momento histórico. “Estamos acertando um agravo do passado. Rivellino afirmou que hoje tira um peso das costas e conseguimos fazer uma homenagem linda para um dos dez melhores jogadores do mundo eleito pela FIFA”.

Rivellino, conhecido como o Reizinho do Parque, também falou da emoção e não conteve as lágrimas nos olhos ao ver seu busto inaugurado. “É muito gratificante receber uma homenagem em vida, é realmente muito significativo. Eu acho que fui um dos únicos que nasci aqui e fui campeão do mundo nesses mais de 100 anos. Nessa minha passagem pelo Corinthians eu aprendi a ser corinthiano de coração, eu sei que eu fiz tudo que pude nas minhas limitações para esse clube e hoje estou sendo eternizado como uma forma de agradecimento pela minha passagem durante esses anos todos”.

Rivellino

Revelado nas categorias de base do Timão, Rivellino conquistou o Torneio Rio-São Paulo de 1966, o Torneio do Povo de 1971 e o Torneio Laudo Natel de 1973 com o manto alvinegro. O meia defendeu a Seleção Brasileira tricampeã do mundo, em 1970, quando atuava pelo time do Parque São Jorge. 


 


24/05/201415h21
Corinthiano Rivellino se emociona em inauguração de seu busto no Parque São Jorge Por ESPN.com.br com Gazeta Press

Gazeta Press

Rivellino voltou a se emocionar ao admirar o novo busto do Parque São JorgeRoberto Rivellino estava ansioso para a inauguração de seu busto no Parque São Jorge. Ele apareceu na sede social do Corinthians quase 20 minutos antes das 11 horas - horário combinado para o início da cerimônia. Foi recepcionado pelo presidente Mário Gobbi, seu fã incondicional, na frente de quem chorara copiosamente na primeira vez em que vira a estátua.
"Prometo que não vou chorar desta vez", sorriu Rivellino, bastante aplaudido por associados presentes na sugestiva Praça da Liberdade do Parque São Jorge. A promessa não foi cumprida. Bastaram algumas palavras sobre o homenageado para que ele ficasse com os olhos marejados e precisasse conter as lágrimas com os dedos.

Sobravam motivos para a emoção de Rivellino, grande ídolo do Corinthians entre as décadas de 1960 e 1970
"Hoje, vou dormir mais tranquilo", suspirou Rivellino, quando o seu busto foi descoberto em meio à queima de fogos e à chuva de papel picado. "Não era para eu ter saído nunca do Corinthians. Fui tirado do Corinthians. Isso era uma coisa que me incomodava até hoje. Agora, sendo reconhecido em vida... Só tenho a agradecer por ter sido imortalizado na história do Corinthians", discursou.

Rivellino ganhou beijos e abraços efusivos de Mário Gobbi, tão empolgado com a homenagem quanto o seu ídolo de infância. "Quiseram cobrar de você, Rivellino, algo que não era seu. Fizeram isso da forma mais cruel possível.
Procurar um culpado faz parte da cultura medíocre que ainda hoje temos no futebol. Diz a psiquiatria que não nos aquietamos quando não achamos um culpado. Assim foi com você. Um dos maiores jogadores do mundo passou por isso", lamentou o presidente.

Ao vestir uma camiseta branca com a imagem de Rivellino, o delegado Gobbi ainda definiu o que houve em 1974 como um "agravo". "Mas Deus permitiu que fizéssemos esse desagravo em vida. Rivellino, seu futebol é muito maior do que uma partida, do que um título ou do que qualquer outra coisa. O Corinthians ama você. Com justiça, você está eternizado aqui", declarou.

Antecessor de Gobbi na presidência do Corinthians, Andrés Sanchez também falou diante do público presente. E estava menos tenso do que os demais. "Primeiramente, boa noite. Ou melhor, bom dia. Ainda estou na madrugada. Dizem que a gente não pode mais beber, mas eu bebi um pouquinho nessa noite, viu, Riva?", contou, às gargalhadas.

Sanchez, responsável pela gestão do novo estádio corintiano, usou um tom mais sério para lembrar que o primeiro gol da Arena Corinthians foi marcado por Rivellino (em um pênalti ) no amistoso festivo de inauguração. Durante a sua gestão como presidente, o dirigente já havia tentado homenagear o ex-jogador. A ideia era registrá-lo como atleta profissional e colocá-lo em campo na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2011, desde que o título já estivesse garantido. Assim, o Reizinho enfim teria sido campeão pelo Corinthians.O "desagravo", no entanto, foi feito por Mário Gobbi com o busto na Praça da Liberdade. A celebração ficará completa quando o Corinthians passar a jogar, em agosto, com uniformes alvinegros que remetem à década de 1960.Hoje, sou corintiano de coração. Esse clube fez e continua fazendo coisas maravilhosas na minha vida", emocionou-se outra vez o corintiano Roberto Rivellino