29 de mai de 2014

CORINTHIANS VENCE E ENTRA NO G4

 CORINTHIANS VENCE E ENTRA NO G4
28 DE MAIO DE 2014 ÀS 23:56
Jogadores do Corinthians abraçam Guerrero após gol do peruano sobre o Cruzeiro no Canindé
Jogadores do Corinthians abraçam Guerrero após gol do peruano sobre o Cruzeiro no Canindé Jogadores do Corinthians abraçam Guerrero após gol do peruano sobre o Cruzeiro no Canindé | Foto: Reinaldo Canato/

Um gol de Guerrero, em chute de longe, que contou com a falha do goleiro Fábio, aos 22 minutos do segundo tempo, definiu a vitória do Corinthians sobre o Cruzeiro, por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, no Canindé. O resultado manteve o embalo corintiano, após o convincente triunfo sobre  o Sport, por 4 a 1, no fim de semana, e o colocou no G4 do Brasileirão .

Já o Cruzeiro teve freada a sequência de três vitórias consecutivas, mas a derrota, a segunda no atual Brasileirão, não tirou o time mineiro da liderança do Brasileiro, ainda com 16 pontos. O Corinthians, que tem a melhor defesa do Brasileirão, ao lado do Goiás, com quatro gols sofridos, parou o ataque mais eficiente do certame, com 15 gols.

O jogo marcou o confronto entre o Corinthians, que começou hesitante como mandante, com apenas quatro pontos conquistados em nove possíveis (aproveitamento de 44,44%), e o Cruzeiro, que antes desta partida, ostentava rendimento de 75% longe de seus domínios, com nove pontos obtidos em 12 disputados. O triunfo corintiano melhorou seu percentual, que foi para 58,33%, enquanto o rendimento cruzeirense caiu para 60%.

A fala do técnico Mano Menezes, minutos antes do início da partida, destacando a importância do apoio do torcedor, especialmente nos momentos de dificuldade da equipe durante a partida, parece ter surtido efeito. Mal a bola rolou e os gritos de 'timão, timão' ecoaram pelo Canindé. Neste embalo, o Corinthians começou melhor, procurando tomar a iniciativa  e criou a primeira boa oportunidade de gol, aos 13 min, quando Jadson completou cruzamento da direita, mas Fábio defendeu.

A partir dos 15 min, o Cruzeiro modificou sua maneira de atuar. Deixou de esperar o Corinthians para tentar o contra-ataque e voltou ao seu jogo normal de partir para cima do adversário, independente do dono do mando de campo. E aí as oportunidades celestes para abrir o marcador se sucederam, começando a brilhar a estrela do goleiro Walter, que fez sucessivas e importantes defesas. Aos 16 min, por exemplo, foram duas seguidas, em finalizações de Willian e Ricardo Goulart.

O Corinthians tentava diminuir o ímpeto celeste, à esta altura, tocando mais a bola. Mas não impedia a equipe mineira de chegar com perigo. Aos 24 min, Walter dividiu com Borges, livre, e a bola foi para fora. Dois minutos depois, o goleiro corintiano impediu o gol de Henrique. A torcida paulista, que neste momento já não fazia tanto barulho, quase comemorou o gol, aos 30 min, quando o zagueiro Bruno Rodrigo vacilou, perdeu a bola e deixou Petros em ótima condição para marcar. Mas Fábio fez grande defesa.

Outro momento de delírio, na etapa inicial, para os corintianos foi por causa de bela jogada de Jadson, que 'chapelou' duas vezes o volante Willian Farias, avançou pelo lado esquerdo do ataque e cruzou para Romarinho, que desperdiçou a finalização. Em jogo de muitas alternativas, o Corinthians havia voltado a equilibrar as ações. Foi a vez então do Cruzeiro cadenciar a partida, tocando pacientemente a bola. E o primeiro tempo terminou empatado sem gols.

Os 45 minutos iniciais foram muito disputados, sem cartões amarelos aplicados pela arbitragem, mas com muita 'bola dividida'. Numa delas, Willian, que foi campeão brasileiro pelo Timão em 2011, gerou reclamações do lateral direito Fagner. 'Coloquei o braço para me proteger e ele ficou gesticulando, querendo falta, mas não foi nada de anormal', disse o atacante celeste, que elogiou o 'poder defensivo' adversário e reclamou do campo: 'Não ajuda'. Já o zagueiro corintiano destacou a atuação do seu time, não apenas em seu sistema defensivo e manifestou confiança no triunfo. 'O jogo não acabou, ainda tem 45 minutos', disse.

Mano Menezes não mexeu no Corinthians, apesar de ter feito reparo na atuação ofensiva da sua equipe no primeiro tempo. 'Precisamos de mais qualidade na chegada da intermediária para frente', observou o treinador do time da casa. Segundo ele, embora a partida tenha sido 'lá e cá', nos 45 minutos iniciais, o Cruzeiro mostrou 'um pouco mais de iniciativa'. Marcelo Oliveira também não alterou a formação do time celeste.

E a segunda etapa começou igualmente ofensiva. O Cruzeiro finalizou duas vezes para fora com Ricardo Goulart e Borges. Aí foi a vez da resposta corintiana, com Romarinho, aos 6 min, obrigando nova defesa de Fábio. No minuto seguinte, Fábio Santos chutou para fora. A equipe paulista,à esta altura, aumentou a pressão, mas se colocava em impedimento ou falhava no momento da conclusão das jogadas.

Mas, aos 22 min, o Corinthians fez o gol. Walter jogou a bola no ataque, Guerrero ajeitou para Romarinho, que devolveu para o atacante peruano arriscar de longe. A bola resvalou, de leve, em Bruno Rodrigo, mas Fábio escorregou e falhou, ao não conseguir fazer a defesa. O Corinthians seguiu melhor, enquanto Marcelo Oliveira tentava melhorar o rendimento ofensivo, colocando Mayke, Dagoberto e Julio Baptista. O jogo seguia disputado, mas o primeiro amarelo só foi mostrado aos 29 min para Petros. O Corinthians administrou a vantagem e ainda teve chances de ampliar a vantagem, aos 43 min, quando mandou duas bolas na trave, em sequência, com Luciano e Guerrero.

CORINTHIANS 1 X 0 cruzero

Data: 28 de maio de 2014 (quarta-feira)
Local: Estádio do Canindé,
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva - PA (ASP-FIFA)
Assistentes: Rafael da Silva Alves - RS (ASP-FIFA) e Jose Eduardo Calza - RS (CBF-1)
Cartão vermelho: Petros (COR)
Gol: Guerrero, aos 22 min do segundo tempo

CORINTHIANS:
Walter; Fagner (Guilherme Andrade), Cleber, Gil e Fabio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros (Danilo) e Jadson; Romarinho (Luciano) e Guerrero
Técnico: Mano Menezes

cruzero
Fábio; Ceará (Mayke), Léo, Bruno Rodrigo e Egídio; Willian Farias, Henrique (Julio Baptista), Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian (Dagoberto) e Borges
Técnico: Marcelo Oliveira