25 de mai de 2014

Ataque funciona, e Corinthians reage com goleada sobre o Sport

o 25/05/2014 18h08min37)

Ataque funciona, e Corinthians reage com goleada sobre o Sport




O contestado ataque do Corinthians voltou a funcionar no Campeonato Brasileiro. Na tarde deste domingo, a equipe comandada por Mano Menezes contou com dois gols de Jadson (um de falta e o outro de pênalti), dois de Romarinho e uma grande atuação de Paolo Guerrero para fazer 4 a 1 sobre o Sport na Ilha do Retiro. O time pernambucano diminuiu com Augusto César e teve Durval e Neto Baiano expulsos.

Dessa forma, o Corinthians voltou a vencer depois de três partidas oficiais – vinha de empates com São Paulo e Atlético-PR e derrota para o Figueirense – e passou a computar 12 pontos ganhos na competição nacional. O Sport, com um jogo a menos em relação à maioria dos seus concorrentes, permaneceu com 7.

Os dois times estarão novamente em ação na noite de quarta-feira. O Corinthians tentará alcançar as primeiras colocações diante do Cruzeiro, no Canindé, enquanto o Sport voltará à Ilha do Retiro para buscar a reação contra o Grêmio.
Divulgação/Agência Corinthians


Romarinho marcou dois dos quatro gols do Corinthians sobre o Sport (foto: Daniel Augusto Jr.)O jogo – O Corinthians sofreu uma baixa logo no princípio da partida com o Sport, disposto a pressionar desde os primeiros minutos. Aos três, o goleiro Cássio trombou com o atacante Neto Baiano dentro da área, contundiu o joelho esquerdo e recebeu atendimento médico. Poucos depois, quando os seus zagueiros ainda discutiam para acertar o posicionamento, ele precisou ser substituído por Walter.

O goleiro reserva do Corinthians demorou a começar a trabalhar, ao contrário de Cássio. Seguindo a recomendação de Mano Menezes, que não queria o seu time tão recuado, Romarinho se movimentava bastante e a buscava tabelas com Fagner. No meio, Jadson não estava mais tão apagado quanto nas últimas partidas. E, mais adiante, Paolo Guerrero era o mesmo guerreiro de sempre.

O primeiro gol do Corinthians surgiu graças ao trio ofensivo. Aos 19 minutos, Guerrero brigou com três marcadores do Sport e tocou a bola para Jadson, que ajeitou para Romarinho na meia-lua. O atacante finalizou firme e acertou a rede, fazendo a alegria da parte alvinegra da Ilha do Retiro.

O gol pareceu inspirar ainda mais Romarinho. Em um bom lançamento de Fagner, aos 22, ele limpou a marcação e bateu cruzado, colocado. A bola não foi ao alvo por pouco, no último susto sofrido pelo Sport antes de igualar o marcador. O time pernambucano, de novo empurrado por sua torcida, retomou a pressão sobre o Corinthians e acabou premiado.
Divulgação/Agência Corinthians

Guerrero passou em branco, mas foi um dos destaques corintianos (foto: Daniel Augusto Jr.)Aos 27 minutos, Leonardo ajeitou de cabeça dentro da área, depois de um cruzamento da esquerda. Augusto César se antecipou à zaga corintiana e concluiu na saída de Walter para colocar a bola no gol.

Acostumado a ceder o empate em alguns dos seus últimos jogos, o Corinthians não desanimou desta vez. Precisou de mais dez minutos para voltar a ficar em vantagem. Jadson cobrou falta da entrada da área e contou com um desvio na cabeça de Patric para enganar o goleiro Magrão e garantir a vantagem parcial no primeiro tempo.

Como de hábito, no entanto, o Corinthians retornou para a etapa complementar mais recuado. O Sport tentou tirar proveito para retomar a pressão do começo da partida. Até Durval aparecia no ataque com perigo. Augusto César, por sua vez, finalizava sempre que podia. E Neto Baiano levantou a torcida ao levar a melhor sobre a defesa visitante, que falhou na linha de impedimento, e parar na defesa de Walter.

Quando subiu ao ataque, porém, o Corinthians foi letal. Guerrero encarou sozinho a marcação na ponta esquerda e bateu com força. Magrão espalmou. Na sequência da jogada, Petros ficou diante do goleiro e acabou derrubado por Durval. O árbitro Péricles Bassols não hesitou em apontar a marca da cal e em mostrar os cartões amarelo (o segundo) e vermelho para o zagueiro do Sport.

Após alguns segundos de reclamação, Jadson se encarregou da penalidade, aos nove minutos, e deslocou Magrão para anotar outra vez. Mano Menezes, nervoso, nem quis assistir à cobrança certeira. Do outro lado, o seu colega Eduardo Baptista recompôs a defesa do Sport com Ewerthon Páscoa no lugar de Leonardo. Pouco mais tarde, trocou o muito vaiado Renan Oliveira por Felipe Azevedo.

Àquela altura, Mano já estava tranquilo para promover a entrada de Renato Augusto na vaga de Bruno Henrique. E ficaria ainda mais calmo a partir dos 22 minutos. Guerrero fez outra grande jogada pela esquerda, superando a marcação e cruzando rasteiro. Romarinho, na pequena área, só teve o trabalho de empurrar para dentro.

Com a goleada corintiana configurada, Neto Baiano ainda foi expulso, por acertar o braço em Cleber em uma disputa de bola. Romarinho, então, saiu ovacionado do gramado e cedeu o seu posto para Luciano. Em festa enquanto o público do Sport deixava a Ilha do Retiro mais cedo, a torcida do Corinthians passou os últimos minutos do jogo gritando “olé” e cantando que “o campeão voltou”.

FICHA TÉCNICA

SPORT 1 X 4 CORINTHIANS




Local: Ilha do Retiro, em Recife (PE)

Data: 25 de maio de 2014, domingo

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)

Assistentes: Eduardo de Souza Couto e Michael Correia (ambos do RJ)

Cartões amarelos: Augusto César, Durval e Patric (Sport); Bruno Henrique (Corinthians)

Cartões vermelhos: Durval e Neto Baiano (Sport)

Gols: SPORT: Augusto César, aos 27 minutos do primeiro tempo; CORINTHIANS: Romarinho, aos 19, e Jadson, aos 37 minutos do primeiro tempo; Jadson, aos 9, e Romarinho, aos 22 minutos do segundo tempo




SPORT: Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely (Wendel), Augusto César e Renan Oliveira (Felipe Azevedo); Leonardo (Ewerthon Páscoa) e Neto Baiano

Técnico: Eduardo Baptista




CORINTHIANS: Cássio (Walter); Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique (Renato Augusto), Petros e Jadson; Romarinho (Luciano) e Guerrero

Técnico: Mano Menezes