5 de jul de 2012

Sheik pede para não virar herói e relembra infância difícil: 'Pressão é medo de bala perdida'




05 de Julho de 2012 às 01:55


Foto 17 de 71 - Torcida do Corinthians exibe mosaico pouco antes do início da decisão da Libertadores contra o Boca Juniors no Pacaembu

Foto 20 de 71 - Jogadores do Corinthians posam antes do início da decisão da Libertadores contra o Boca Juniors

Foto 29 de 71 - Torcida do Corinthians exibe mosaico nas arquibancadas do Pacaembu
Emerson Sheik beija o troféu da Libertadores. Atacante marcou dois gols na final
Emerson Sheik beija o troféu da Libertadores. Atacante marcou dois gols na final

Foto 43 de 71 - Emerson Sheik chuta para abrir o placar para o Corinthians na decisão da Libertadores contra o Boca Juniors Mais Leandro Moraes/UOL

Foto 45 de 71 - Emerson Sheik comemora após abrir o placar para o Corinthians na decisão da Libertadores contra o Boca Juniors Mais Antonio Lacerda/EFE

Foto 46 de 71 - Emerson Sheik comemora após deixar o Corinthians em vantagem sobre o Boca Juniors na decisão da Libertadores Mais Antonio Lacerda/EFE

Foto 48 de 71 - Emerson sheik toca na saída do goleiro Sosa para marcar o segundo gol do Corinthians contra o Boca Juniors na decisão da Libertadores Mais AFP

Foto 49 de 71 - Emerson Sheik comemora após marcar o segundo gol do Corinthians sobre o Boca Juniors na decisão da Libertadores Mais Leandro Moraes/UOL

Foto 50 de 71 - Emerson Sheik comemora após marcar o segundo gol do Corinthians sobre o Boca Juniors na decisão da Liebrtadores Mais Leandro Moraes/UOL


Foto 51 de 71 - Emerson Sheik comemora após marcar o segundo gol do Corinthians sobre o Boca Juniors na decisão da Libertadores Mais Leandro Moraes/UOL

Foto 52 de 71 - Jogadores do Corinthians recebem a taça Libertadores e comemoram após a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors no Pacaembu Mais Joel Silva/ Folhapress

Foto 53 de 71 - Com a taça nas mãos, jogadores do Corinthians comemoram a conquista inédita do título da Libertadores Mais Nelson Almeida/AFP

Foto 55 de 71 - Jogadores do Corinthians posam com o troféu da Libertadores, conquistado após vencer o Boca Juniors por 2 a 0 no Pacaembu Mais Leandro Moraes/UOL

Foto 56 de 71 - Jogadores do Corinthians dão a volta olímpica no Pacaembu com o troféu da Libertadores. Título inédito veio com a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors

Foto 57 de 71 - Jogadores do Corinthians carregam o troféu da Libertadores durante a volta olímpica no Pacaembu. Time comemorou a conquista inédito do título de forma invicta, após a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors

Foto 57 de 71 - Jogadores do Corinthians carregam o troféu da Libertadores durante a volta olímpica no Pacaembu. Time comemorou a conquista inédito do título de forma invicta, após a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors

Foto 59 de 71 - Liedson e Emerson Sheik erguem o troféu da Libertadores, conquistado de forma inédita pelo Corinthians após a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors no Pacaembu

Foto 60 de 71 - Emerson Sheik beija o troféu da Libertadores. Atacante do Corinthians foi decisivo ao marcar os dois gols da vitória por 2 a 0 do Corinthians sobre o Boca Juniors no segundo jogo da decisão do torneio sul-americano, disputado no estádio do Pacaembu

Foto 61 de 71 - Liedson e Emerson Sheik carregam o troféu da Libertadores durante volta olímpica no Pacaembu Mais Leandro Moraes/UOL

Foto 62 de 71 - Emerson Sheik ergue o troféu da Libertadores e exibe a taça para a torcida no Pacaembu Mais Leandro Moraes/UOL

Foto 63 de 71 - Emerson Sheik ergue o troféu da Libertadores. Atacante foi decisivo na vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors e marcou os gols do triunfo corintiano no Pacaembu

Foto 64 de 71 - Juan Román Riquelme deixa o gramado do Pacaembu enquanto jogadores do Corinthians comemoram a conquista inédita do título da Libertadores

Foto 65 de 71 - Tite comemora após o Corinthians confirmar a conquista do título da Libertadores com a vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors Mais Leandro Moraes/UOL

Foto 66 de 71 - Emerson Sheik foi o destaque da vitória do Corinthians sobre o Boca Juniors. Atacante fez os gols do triunfo por 2 a 0 sobre a equipe argentina, que deu ao time paulista o título inédito da Libertadores

Foto 67 de 71 - Emerson Sheik leva banho enquanto conversava com repórteres à beira do gramado do Pacaembu

Foto 68 de 71 - Romarinho, destaque do empate com o Boca Juniors em La Bombonera, posa com sua medalha após a conquista do título da Libertadores

Foto 69 de 71 - Cássio comemora a conquista corintiana na Libertadores da América após vitória sobre o Boca

Foto 16 de 71 - Jogadores do Corinthians posam para foto antes do início da decisão da Libertadores contra o Boca Juniors
Emerson Sheik foi a grande estrela da conquista do Corinthans na Libertadores, mas não quer ser um destaque individual. Na entrevista coletiva com a presença de seus dois filhos, o atacante fez um pedido aos jornalistas para que não fosse tratado como herói e relembrou sua infância difícil.


'Quero pedir a vocês para não me terem como herói, é um pedido. O time todo está de parabéns por tudo que fez, cresceu desde o início da competição, a comissão fez um trabalho brilhante para que nós jogadores pudéssemos trabalhar tranquilos. Sozinho eu jamais faria', disse.


Na noite desta quarta-feira, o Corinthians realizou o maior sonho de sua torcida e sagrou-se campeão a Libertadores pela primeira vez na história com uma vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors, no Pacaembu. Sheik foi o autor dos dois gols do time alvinegro.


'Eu tive o passe do Paulinho, a bola não chegou voando. Vale lembrar que o Paulinho deu um passe sensacional, o Alex deu uma pressão no zagueiro, o Danilo desviou dos zagueiros. A gente não conquista nada sozinho, o grupo conquistou', disse.


Emerson relembrou os momentos complicados quando chegou a ser reserva do time e, principalmente, a infância difícil no subúrbio do Rio de Janeiro. 'Pressão é deitar na cama e ter medo de uma bala perdida atingir seu corpo. Jogar no estádio lotado com vocês, com bola e grama novas é um privilégio. É momento de desfrutar, não de sentir medo ou pressão', disse.


Fonte: UOL